This site will look much better in a browser that supports web standards, but it is accessible to any browser or Internet device.



blog0news


  • TA TUDO MUITO ESQUISITO, DEPOIS QUE VISUAL VIROU QUESITO

  • Vislumbres

    Assinar
    Postagens [Atom]

    Powered by Blogger

    Fragmentos de textos e imagens catadas nesta tela, capturadas desta web, varridas de jornais, revistas, livros, sons, filtradas pelos olhos e ouvidos e escorrendo pelos dedos para serem derramadas sobre as teclas... e viverem eterna e instanta neamente num logradouro digital. Desagua douro de pensa mentos.


    segunda-feira, março 31, 2003

    As peladas na Granja do Torto estão cada vez mais interessantes...




    E AINDA NEM É PRIMEIRO DE ABRIL

    Parece daquelas notícias plantadas por ocasião do primeiro de abril, mas pode ser também verdade...

    Míssil dos EUA leva time iraquiano à vitória no campeonato nacional de futebol

    Vi essa notícia no Contexto da Descoberta, onde a Chris a descreve assim:
    5 mil iraquianos estiveram num estádio hoje para assistir a 28a rodada do campeanato nacional. O al-Zawra venceu o al-Samara por 3 x 0. O terceiro gol aconteceu porque os zagueiros do al-Samara se distraíram quando caiu um míssil na cidade.

    Se Eurico Miranda descobre mais essa maneira de tumultuar um jogo... já pensaram?


    I LOVE THE SMELL OF NAPALM IN THE MORNING...

    Afinal, os americanos usaram ou nao usaram napalm no Iraque?




    COMENTÁRIOS QUE ACABAM VIRANDO POSTS

    A KBR/Halliburton saiu da concorrência de reconstrução. Deu no JB de hoje. Dor na consciência ou estão aprendendo a fazer as coisas por baixo dos panos?



    PAX ROMANA

    Atualização no post publicado aqui hoje sobre o fato do Império pretender vender a ãgua enviada como socorro aos iraquianos sedentos:

    se refere na verdade aos planos da construção de um aqueduto ligando o Kuwait e o mar ao Iraque, levando água para cidades do sul. Os custos desta construção seriam pagos forçosamente com dinheiro iraquiano.

    Os aquedutos são uma invenção arquitetônica dos romanos. O Império Romano, nos rincões que conquistava, construía edificações no estilo romano, como, por exemplo, os aquedutos. Os custos de construções como aquedutos eram cobertos por pesados impostos e taxações que impunham aos "bárbaros" dominados.


    JORNALISTA NÃO É SOLDADO

    Se eu fosse a Al Jazeera contrataria o Peter Arnett como comentarista da guerra em lingua inglesa.


    A possibilidade dos ataques suicidas estã deixando os invasores com os dedos nervosos.
    Leiam o que aconteceu hoje.

    Parece até blitz no Rio de Janeiro.


    Update:
    por que as mulheres nao pararam?
    Leia Pedro Dória no seu excelente Weblog do no minimo.


    CONTA-GOTAS PELA LIBERDADE

    Acabo de ouvir uma notícia em que custo a acreditar. Preciso checar isto. Não é possível. Mas é o seguinte:
    as tropas invasores se preparam para fornecer água para a população carente e sedenta do Iraque
    mas vão COBRAR PELA ÁGUA!!

    Eles destroem o país, em Basra por exemplo eles mesmos cortaram o abastecimento de água pra forçar o cerco, e agora vão distribuir a água cobrando por isso!!

    Quem sabe isso vai entrar na lenga-lenga sobre o petróleo?
    Olha, estamos passando a mão no seu petróleo,
    mas fica por conta pela água que te demos.


    Ou vão querer que o povão, que já não tem porra nenhuma,
    e menos ainda depois de um embargo imposto por esses mesmos invasores,
    desembolse pelo ato de beber água?

    domingo, março 30, 2003


    No Canterbury Tales da Letícia

    link para Posters Contra essa Guerra.





    MALTRATADO DE GENEBRA

    As tropas do Império prenderam dois jornalistas portugueses e dois jornalistas franceses julgando que fossem espiões iraquianos infiltrados em meio às tropas.

    (Essa noticia já é meio inverossímil - como confundir portugues com iraquiano? não pensaram em fazer o teste do pisca-pisca?)

    Os quatro jornalistas presos foram finalmente identificados como sendo quem disseram quem eram e foram libertados e enviados de volta a seus países. Não sem terem sido interrogados e... espancados.

    Se esse pessoal - que nem iraquianos eram - ao serem presos, foram espancados, isso significa que os prisioneiros iraquianos sob a guarda das tropas invasoras estão sendo espancados.

    E depois ainda vem invocar o Tratado de Genebra para impedir a exibição dos vídeos com os prisioneiros americanos?


    BOLICHEANDO POR COLOMBINA

    Michael Moore diz que tudo o que aconteceu no Oscar foi porque foi à igreja naquela manhã...


    É PRECISO PENSAR COMO O INIMIGO PARA PODER DERROTÁ-LO.
    MAS... E QUEM NÃO SABE PENSAR?


    Outro demonstrativo de como as cabeças mandantes do Imperio não entendem esse inimigo que estão combatendo - e por isso cometem erros crassos na condução da invasão
    é esta declaração de Bush quantos ao ataque suicida contra tropas americanas ser uma prova de como eles estão desesperados ante o poderio da democracia.

    Ataques suicidas para aquela cultura não é desespero, é um meio de vida (embora morte). É uma forma válida e respeitada de combate. Gloriosa. Recompensada pela eternidade. Para quem acredita, uma imolação bela.

    De um lado, um povo disposto a morrer pela pátria, seja comandada por um facínora como Saddam ou não. Do outro, podem ter certeza, pessoas que daqui pouco, quando a areia der nos nervos, estarão perguntando o que eu tô fazendo aqui.


    FÍSICA RELATIVA

    O exército do Império agora já está combatendo na Quinta Dimensão
    ou Além da Imaginação.

    Ou como escreveu Jânio de Freitas,
    Desde a entrevista dada no outro sábado pelo comando central no Qatar, as tropas anglo-americanas estão sempre "avançando rapidamente em direção a Bagdá"
    - sem jamais deixarem de estar "a 80 km de Bagdá".



    VERMELHO SÓ O COMANDO

    Joaquim Ferreira dos Santos em sua coluna no JB misturou a guerra no iraque nossa guerra do tráfico futebol bandalheira impunidade falta de respeito
    e saiu-se com mais um texto primoroso sobre a derrocada do nosso país.

    Leia aqui


    TODO SUPERHOMEM TEM A SUA KRYPTONITA

    Os acontecimentos no Iraque demonstram que os artífices dessa invasão acreditaram na sua própria propaganda.
    Não era nem propaganda mas uma visão do mundo inerente aos americanos.

    Eles acreditaram realmente que bastava ir aos ímpios com um punhado de homens e uma coleção de brinquedos impressionantes
    e tacar muitas bombas chocantes e pavorosos
    que o inimigo deporia as armas e os receberia nas ruas cantando e os cobrindo de flores.

    Afinal, os americanos são um povo tão bacana
    todos os outros povos do mundo tem tanta inveja deles
    - foi o que Bush disse, após o atentado ao WTC, que os árabes tinham é inveja da democracia e do bem-estar americanos -

    que ninguem teria coragem de atacar pessoas tão boazinhas e que vem carregadas de presentes legais
    (isso para os xiitas do interior)
    ou teriam tanto medo de um povo tão fodão e poderoso que se entregariam imediatamente
    (no caso dos bagdalis).

    Acontece muito com os mentirosos. Acabam acreditando nas suas fantasias.

    Agora pediram um intervalo tecnico na partida e estão mudando todo a tática para o jogo.
    Estão percebendo que, mesmo para os americanos, o buraco pode ser mais embaixo.



    A COISA TÁ HUSSEIN NO IRAQUE

    Outro ponto onde o Império calculou mal foi em sua percepção de Saddam Hussein como um ignorante fanfarrão do deserto, içado ao poder através da força bruta.

    Não prestaram atenção aos relatórios de quem conhece Hussein como um eficiente estrategista e o maior líder do mundo árabe. Um homem impulsivo, sim, brutal, mas também astuto e paciente.

    Ele e o Iraque se tubularam na guerra de 91, mas porque os EUA , seu amiguinho, lhe passou uma rasteira, dando a entender que tudo bem ele invadir o Kuwait e depois caindo de pau. Para esta guerra tem se preparado há anos e está pronto para tudo.

    O interessante é que ele está jogando para a posteridade e não por resultados imediatos.
    E contrariando os prognósticos, tem se atido fielmente à sua estratégia de vítima.
    Não fez uso das armas químicas (até agora), desmoralizando a principal razão de ser desta invasão.
    Não pos em ação nem os mísseis SCUD, que desmentira que tinha.
    Não envolveu Israel na disputa nem tem cometido atos deliberados de muita agressão.
    Está na defensiva, onde esperar minar o ataque até que sua imagem de vítima,
    somados às imagens das vítimas reais, acabem por lhe dar razão nessa contenda.

    sexta-feira, março 28, 2003


    THE SOUNDS OF SILENCE

    No br101
    que está se configurando como o melhor blog brasileiro para acompanhar o passo a passo da guerra
    link para MP3 de mais dois grupos roqueiros lançando músicas contra a guerra:

    REM
    Green Day



    TEM CULPA EU ?

    Nesta reportagem do Independent fica claro que a bomba que caiu no mercado (o primeiro - agora já temos contagem de mercados atingidos) veio acompanhado de avião (ou aviões). E fica o Império com esse papo de aranha de que foi uma bateria anti-aérea iraquiana que ficou arriada.


    MERCADOS EM BAIXA

    Outro mercado destruido por bombardeios em Bagdá.
    Numero de civis mortos divulgado: 50.
    Fora os que vão morrer no hospital.
    É a liberação do Iraque a pleno vapor.


    CONVERSA DE CERCA-LOURENÇO

    E ainda outra guinada na estratégia americana
    (que muda mais do que tabela de campeonato organizado por Eurico Miranda).

    Deu cagaço nas tropas invasoras e ao invés de penetrarem em Bagdá para tentarem acabar com a guerra
    mas tendo que lutar no pau a pau com o inimigo
    partem agora para um cêrco à cidade
    esperando que o inimigo se renda.

    O cerco, ou sítio, a cidade, ou fortificação,
    é uma tática medieval. Seu efeito principal consiste em cortar qualquer acesso de suprimentos para a população sitiada, que, diante da fome e do desânimo, se entrega.
    (Ou não - lembrem-se de Stalingrado.)

    Resta saber se os invasores vão ter culhão pra levar essa tática até o fim
    (pois somente assim será eficaz)
    enquanto o mundo acompanha os bagdalis definhando lentamente.




    PEDRAS QUE VOAM

    Desde os primórdios das passeatas modernas - circa maio 68, paralelepípedos arrancados das ruas de Paris - temos imagens de protestantes tacando pedras em policiais.
    Aliás, citei 68 mas paralelepípedos arrancados das ruas de Paris, já os havia nos protestos contra os Napoleões.

    Agora, uma insólita inversão nessa convenção: num protesto no Egito, a polícia é que joga pedras nos manifestantes.


    A CORJA COMEÇA A MOSTRAR SEUS ESQUELETOS

    Richard Perle, um dos artífices deste governo Bush, membro dessa turma escroto de radicais direitistas que quer dominar o mundo,
    pede demissão
    envolvido em falcatruas com vendedores de armas árabes
    e demais roubalheiras.

    É o primeiro a sair - ou ser saído - do armário. Que venham outros.

    Update: é um pessoal que sempre está por cima.
    Perle na verdade deu uma de ACM
    renunciou â presidência do grupo de conselheiros do governo
    mas continua como parte do conselho
    mandando e dando palpites errados como sempre.




    A ULTIMA DO RUINSFIELD

    Donald Ruinsfield tem a cara de pau de dizer que não existe ainda uma crise humanitária no Iraque.

    Olha, meu caro, não precisa nem falar dessa guerra. Crise humanitária no Iraque existe desde que seu país impos um embargo que inclui até mesmo remédios.




    Fernando Beira-Mar transferido para Alagoas, um dos estados mais corruptos do Brasil?

    E depois ainda falam dos erros de estratégia dos americanos!!



    BUSH ESTÁ PUTINHO

    A BBC hoje veiculou uma matéria maior do que a de ontem sobre as mentiras e distorções com a qual a imprensa, inclusive sua emissora, tem sido alimentada pelo Comando do Império. E novamente pedindo desculpas ao público e avisando que as informações que eles mesmos estão divulgando devem ser visto com desconfiança até serem totalmente confirmados.

    Bush, nervoso com o (pouco) andamento desta guerra, acabou criando caso com a imprensa (essa mesma tão servil e colaboracionista). Tem dado patadas nas coletivas e declarou que as críticas aos erros estratégicos dos EUA são um absurdo e que a imprensa é muito impaciente.

    Até a CNN está ficando irritada com Bush & as trapalhadas de sua corja. Hoje foi lido um editorial duro em resposta às acusações da milicada, enfatizando que a imprensa existe justamente para criticar e fazer perguntas.
    Jim Clark, ancora da cobertura da invasão,
    ao ouvir um comentário do repórter da Casa Branca de que o governo poderia estar frustrado com seus planos de guerra,
    disse que mais do que frustrado o governo deveria estar é envergonhado
    por estar entregando a reconstrução do Iraque, sem licitação, a uma empresa da qual fez parte o vice-presidente da nação.

    Enquanto isso, do lado, a Fox News exibia famílias de soldados mortos ou capturados, todos com suas camisas xadrez e caras de jecas, pedindo que a luta continue. A vinheta no canto da tela, durante a cobertura Fox, é uma bandeira americana.



    TIRO AO ÁLVARO

    A TV iraquiana exibiu orgulhosa o helicoptero Apache americano que teria sido derrubado por um camponês do interior com um único tiro de fuzil.

    O que eu quero saber é o seguinte: esse Davi, com sua funda precisa, recebeu a recompensa de 16 mil dólares prometida por Saddam Hussein a quem derrubasse um helicoptero inimigo?

    quinta-feira, março 27, 2003


    Quarenta e seis porcento da população iraquiana tem menos de 16 anos de idade.

    A idade média das tropas americanas é de 21 anos.

    Qual é a próxima merda que o mundo vai aprontar?
    Uma nova Cruzada das Crianças?




    LIGANDO A PENEIRA

    Hoje a BBC perdeu a paciência e um apresentador da guerra leu mais ou menos o seguinte texto:
    - Nõs temos que mostrar para vocês o que é mostrado para nós.
    Mas aconselhamos a receber estas notícias com uma pitada de sal
    (with a grain of salt, ou seja, dando o devido desconto, sempre com desconfiança)

    e passou a lista uma série de notícias transmitidas que depois se revelaram como falsas ou plantadas
    como tomadas de cidades, deslocamento de tropas,
    pequenas vitorietas ou
    o célebre levante de iraquianos contra iraquianos em Basra (que até agora ninguem sabe ninguem viu)


    MONTANDO O QUEBRA-CABEÇAS

    A SKY lançou uma parada interessante
    e que veio a calhar para zapeadores inquietos como eu
    em busca da versão menos mentirosa desta invasão.

    No canal 209 rola um mosaico "Conflito no Iraque"
    com a tela dividida em quatro
    exibindo simultaneamente CNN, BBC, GloboNews e a patriótica Fox News.

    Além de economizar no controle remoto, é interessante quando se vê um canal desmentindo ao vivo um outro.
    Mas o barato mesmo foi ver a coletiva do Blush, quer dizer, do Blair, pois com os delays cada canal transmitia a mesma coisa em instantes diferentes, quatro blairzinhos dessintonizados.


    A HORA É DOS BLOGS

    Até a CNN leva ao ar uma matéria sobre os blogs que estão cobrindo a guerra, tanto os pros quanto os contra quanto os simplesmente descritivos
    - claro, sendo a CNN, dá mais destaque aos favoráveis -
    reforçando aquilo que a humanidade está descobrindo:
    a melhor cobertura da guerra está na internet
    e principalmente nas URLs alternativas.

    A grande atração da matéria é a estrela dos warblogs, o interessante Where is Raed, supostamente escrito direto de Bagdá por um bagdali local (e muito citado neste blog0news).

    Ironico é a CNN encher tanto a bola dos blogs e ao mesmo tempo proibir seus repórteres de publicarem seus blogs, descontinuando, por exemplo, o bem-sucedido Kevin Sites.
    (Ao contrário da BBC, onde o blog de sua equipe é até hospedado dentro do seu site)



    FILHOS DE GANDHI

    Nova Iorque amanheceu hoje para um dia de protestos contra a guerra, e, desta vez, num sutil enfoque, principalmente sobre a maneira como a invasão está sendo apresentada.

    Desobediência civil. Resistência pacífica.
    A eficácia destas palavras está sendo comprovada mais uma vez
    com centenas de pessoas simplesmente deitando em algumas das vias principais de NY e ficando lá. Deitadas. Parando o trânsito e engarrafando o pulso da cidade no coração do Império.

    A polícia remove as plastas humanas, rasga os cartazes, mas isso leva tempo, tempo é dinheiro, e a mensagem está lá, escrita no asfalto.


    SAINDO DA TOCA

    Chega a notícia de que uma coluna da guarda republicana deixou Bagdá para reforçar uma barreira na cidade de An Najaf, mais ao sul, onde chega a ponta-de-lança invasora.

    Acho um erro (do ponto de vista deles, é claro). A Guarda Republicana, tropa de elite, deveria se manter na defesa, entocada dentro da cidade de Bagdá, aguardando os invadores chegarem mais esfalfados e longe de sua linha de suprimentos. Para a guerra urbana.

    Se fizeram isso conscientemente, pode ser por considerarem viavel agora segurarem essa posição por muito tempo, o suficiente que compense o deslocamento para fora da cidade. O que contraria todas as análises que estamos recebendo do Comando Invasor.

    Update: agora se diz que essa notícia é falsa. Como quase tudo nessa guerra.


    CEGO EM TIROTEIO

    O Comando do Império também muda de tática, mais uma vez, num percurso estratégico que vira a casaca de dois em dois dias. Agora decidiram segurar um pouco o avanço veloz
    pelo deserto (para Bagdá) dando a volta nas cidades e nos bolsoes de resistencia.

    Decidiram agora reforçar as tropas em terra, e tomar primeiro as cidades sulistas, assegurando este território. Com isso, é claro, a guerra demora e será cada vez menos rápida, desmentindo o marketing.

    Devem ter sentido que em breve ficariam atolados antes de Bagdá, gastos pela marcha e sem uma retaguarda segura de reforços e suprimentos.


    CHEGOU A CAVALARIA!

    Fritz Utzeri apontou um fato que realmente tinha escapado à minha atenção. Esta Sétima Cavalaria, que ora avança pelo deserto iraquiano, é o mesmo que em tempos de faroeste avançava pela planície americana sob o comando do General Custer.

    Ou seja, continuam fazendo o mesmo: matando os índios.


    A GUERRA EM VIDEOGAME

    Finalmente um jornalista, não-identificado na tela à qual eu assistia, conseguiu encaixar uma pergunta pertinente numa dessas coletivas no Circo de Qatar, sob a lona armada para os generais do alto comando invasor apresentar suas palhaçadas.

    Rolara nas telonas mais um desses clips de videogame, onde em tons diversos de verde e cinza um alvo é mirado e destruído.

    Jornalista: Já estamos cansados de ver esses mesmos videos com essas mesmas imagens. O que queremos saber agora é - quando vão mostrar os videos com os mísseis que caíram em locais errados?

    Pano rápido.


    CONTAGEM DE MERDALHAS

    Artur Xexéo teve uma sacada genial ao comparar a cobertura da TV americana desta guerra
    à cobertura da TV americana à Olimpíada onde esteve presente
    exemplificando bem como é a visão americana do mundo.

    Nas Olimpíadas, por exemplo, os canais americanos só acompanham os esportes onde os americanos estão se dando bem. A impressão que passam é a de que os americanos estão arrasando na competição. (Igual a esta guerra, não?)

    Outra: o sistema tradicional de pontuar a colocação dos países numa olimpiada é pelo número de medalhas de ouro ganhas. Como naquela ocasiao a China tinha muito mais medalhas de ouro, a imprensa americana passou a pontuar pelo numero total de medalhas ganhas (onde os EUA estava bem à frente).

    Quer dizer, a imprensa (no esporte e na guerra) não chega a mentir. Apenas omite. Ou distorce. Ou muda o criterio de pontuação.


    O Império bombardeou a TV iraquiana, cortando as comunicações oficiais entre o governo e a população, mas como efeito correlato o acesso à Internet a partir de Paquetá, que já é uma porcaria, caiu mais uma vez. Só consegui enfiar um post ontem, depois o black-out.

    quarta-feira, março 26, 2003


    BALAS & BOMBAS

    Não sei o que está ficando mais perigoso

    ir ao mercado em Bagdá
    andar de metrô no Rio de Janeiro

    terça-feira, março 25, 2003


    GUERRAS E GUERRAS

    O assassinato afrontoso de mais uma juiz
    desta vez no território sem lei do Espirito nada Santo
    esfregou na nossa cara
    nos que estamos grudados na guerra mesopotâmico
    que a guerra aqui continua e os exércitos do tráfico estão vencendo.

    Quando começam a matar os juizes
    sem receber o cartão vermelho
    a coisa está preta.

    E me dou conta, através de reportagem em O Globo, que o Programa de Proteção a Testemunhas foi desativado - por falta de recursos!!

    Como querem combatentes nessa guerra se uma arma elementar
    - o incentivo ao bandeamento de lados - o acesso a informacoes internas -
    é desmontada e guardada na sala de munições?
    E pior: deixando desguarnecidos todos aqueles que testemunharam confiando em alguma forma de proteção...

    O famigerado porta-voz do reacionarismo impresso a cores e com muitos anúncios, a revista Veja, tenta implementar uma outra guerra brasileira
    na edição desta semana com artigo sobre invasão de terras.

    Já começa dizendo que FHC foi o maior incrementador da distribuição de terras no Brasil até agora (!) e que agora no governo do seu sucessor Lula o MST está correndo solto, mandando no PT, e daí vai pra epidemia de invasões que vem pela frente e a pretexto de artigo sobre as milícias está aí a Veja praticamente incentivando os agricultores a se armarem contra isso.


    KEVIN SAI DO SITES

    Na batalha dos blogs/sites,uma baixa incompreensível.
    A CNN proibiu seu repórter Kevin Sites de continuar publicando seu informativo blog.

    O blog coletivo dos repórteres da BBC continua.

    E enquanto isso o jornalista independente do Back to Iraq 2.0 conseguiu levantar os dez mil dólares de colaborações na internet e já está partindo hoje para Ancara na Turquia.
    Para quem não está acompanhando, Chris Albritton fez uma viagem anterior pelo Iraq, postando suas impressões num blog.
    Pretende voltar agora e dar um jeito de cruzar a fronteira e viajar de forma totalmente avulsa pela zona de guerra, postando suas impressoes.


    ENTROU AREIA

    Rolando uma tempestade de areia no deserto iraquiano.
    Helicopteros se perderam e os avanços estão mais lentos ainda.

    Pô, nem a natureza colabora para receber os libertadores da pátria?

    ps.: por outro lado, finalmente uma noticia boa para os invasores
    supostamente houve um levante popular em Basra contra as tropas locais (iraquianas). Está rolando um quebra-pau entre basrianos xiitas e sunitas, ou leais e anti Saddam, o que era pelo qual os invasores ansiosamente esperavam.




    Para quem quer acompanhar reportagens de guerra direto do front, em portugues, recomendo Sérgio D´Avila na Folha que está com textos interessantes com um enfoque bem pessoal.

    Um exemplo é o artigo onde descreve uma daquelas visitas a hospital bagdali para noticiar as vítimas dos bombardeios. Descreve vários feridos, sua dor, sua agonia, e por ultimo entrevista um jornalista iraquiano todo enfaixado e coberto de sangue.
    Quando a turma de jornalistas vai deixando o hospital, levados pelo guia oficial, Sérgio vai ficando para trás. O suficiente para ver este jornalista deixando o hospital num carro manobrando no pátio. Serelepe sentado no banco da frente.

    (Não adianta por o link, pois a Folha é da chatíssima UOL e tem que ter senha e membership pra acessar - ou então comprar a Folha impressa.)

    Li na coluna do Gerald Thomas que D´Avila é genro de José Hamilton Ribeiro, um dos maiores repórteres brasileiros, um dos fundadores da revista Realidade que nos anos 60 muito me instigou para virar jornalista.

    Aliás, Gerald lança mais de seus papos cabeludos tentando comparar a situação atual, com, por exemplo, os anos 70 e Chile sob o ditador Pinochet?
    E como se sentiria alguém contra as guerras
    se houvesse uma invasão dos EUA para derrubar o sanguinolento e maléfico Pinochet
    se então não se justificaria?

    Pô, Gerald, vamos usar um exemplo mais próximo.
    Você acha que se os EUA resolvesse invadir o Brasil para tirar o Médici,
    o povo brasileiro aplaudiria?

    Com salvadores como os americanos, ninguem está a salvo.



    MATEMÁTICA AMERICANA

    Donald Rumsfield acaba de anunciar que o Império capturou 3.500 prisioneiros iraquianos.

    Ué, na sexta-feira, não eram 8000 ?


    Para aqueles que pensam que a guerra acaba quando acaba a guerra:

    o aiatolá Hakim, líder de um grupo xiita no Irã, acaba de declarar que os americanos devem deixar o Iraque assim que derrubatem o regime de Saddam
    ou então passarão a ser o novo inimigo.


    TIJOLO POR TIJOLO NUM DESENHO SÓRDIDO

    Alguem que perdeu um parente ou pessoa querida entre os destroços do WTC
    teoricamente - segundo o raciocínio do Império - a pessoa que mais odiaria os terroristas, ou seja, os iraquianos e demais árabes

    essa pessoa tem imagens de escombros gravados duramente para sempre em suas vidas

    O que será que pensa uma pessoa dessas
    ao ver novamente imagens de escombros repetidamente atiradas aos seus olhos
    ruinas agora de casas e prédios no Iraque.

    Pensa em vingança
    pensa bem-feito
    em justiça, retribuição dente por dente, tijolo por tijolo?

    Pensa que aquilo que ela sofreu e está sofrendo
    nao deveria ter inflingido sobre nenhuma outra pessoa
    não importa o que seja?

    O que pensa quem passou por aviões derrubando vidas
    quando as explosoes e fumaça preta voltam a ser a programação principal da TV?


    DE L A Y

    Na CNN (e certamente em outras emissoras) as imagens geradas a vivo tem um delay.
    Que vai além do delay da demora na transmissão.
    É para dar tempo do monitor de imagens, sempre vigilante, tirar a transmissão do ar se aparecer algo indevido ou muito pauleira.


    BR 101 É A ESTRADA DA INFORMAÇÃO

    se você quiser acompanhar a invasão do Iraque passo a passo, com informes constantes, com uma visão crítica, e, o melhor, em portugues
    acesse sempre o blog
    br101.org
    descrito como o diário de um jornalista independente


    Foi lá que descobri hoje que o Al Jazeera inaugurou um site em ingles!
    Está em construção ainda, tem muitos links fora do ar, mas vale a pena acompanhar as notícias "pelo outro lado".

    (Aliás, fizeram tanto farol com a CNN sendo expulsa de Bagdá - os jornalistas do Al Jazeera acabam de ser proibidos de trabalhar na Bolsa de Valores de NY)

    E na br101 acabo de ler também que os bares alemães não estão mais vendendo Coca, Budweiser, Marlboro e outros produtos americanos.




    A PROPAGANDA É A ALMA DO NEGÓCIO BÉLICO

    No afã de vender a guerra como uma injeção rápida e indolor, os publicitários do Pentágono anunciaram imediatamente após a invasão as tomadas das cidades iraquianas do golfo pérsico.

    Com o tempo os esquemas publicitários foram sendo desmentidos pelo procon da realidade. Nenhuma cidade havia sido capturada, nem no golfo, nem no interior, nada de Umm Qasr nem Al Faw, nem Nassíria nem Nafar, quanto menos Basra, a metrópole onde os soldados invasores seriam recebidos com flores nas ruas.
    Não obstante a palhaçada inconveniente da bandeira americana fincada no alto da murada, como se tivessem chegado os donos do pedaço.

    A resistência iraquiana maior que a esperada levou a mudanças de planos e agora dizem: "Nosso interesse não era mesmo tomar essas cidades, estamos dando a volta para chegar mais rápido a Bagdã". Existe a necessidade urgente de alguma vitória significativa americana para fazer jus à expectativa criada pela máquina publicitária cujo slogan era a imensa superioridade dos superheróis ocidentais.

    O comercial planejado com milhoes de iraquianos se rendendo e/ou recebendo os invasores de braços abertos não pode ir ao ar porque os figurantes se recusaram a participar.

    Se não fosse essa fissura por uma guerra rápida, para acalmar o mercado (sempre o mercado) e a ojeriza planetária, o Império poderia ter adotado estratégias mais calmas e eficazes. Dias (ou semanas) de ataque aéreo antes da entrada de tropas terrestres. Avanços lentos tomando posse realmente do terreno passo a passo.

    Assistimos também a um festival de erros pastelões por parte dos invadores. Seriam cômicos, não fossem trágicos, como mísseis americanos indo cair num onibus na Síria, longe das batalhas. Quem matou o jornalista ingles? Os americanos. De quem era o míssil que derrubou o avião ingles? Dos americanos.

    Especialistas militares nos asseguram que tais gafes são normais em guerras.
    Mas esvoaçam ainda mais ridículas quando o slogan dessa guerra era a eficácia precisa da tecnologia.

    No outro lado, papagaios iraquianos repetem em microfones que o fim da guerra está próximo, que serão vitoriosos, que estão vencendo e os invasores se cagam de medo, correndo para casa. Como manterão os anúncios no ar quando seus castelos estiverem desmoronando?

    São todos uns meninos brigões num terreno baldio, arrotando vantagens enquanto dão e tomam porradas.

    ALLIES ? ALL LIES!

    Sabendo que eu estava visitando meu pai, telefonou-me meu tio Ray. Ele tem 80 anos. Perguntou o que eu andava fazendo.

    - Não muito. Estou aqui deprimido e angustiado, sem conseguir desgrudar da televisão, vendo a guerra pela BBC e CNN...
    - DON´T WATCH CNN! IT´S ALL LIES!!
    THE REAL WAR IS ON THE INTERNET!!


    OSCARALHO

    Michael Moore lavou a minha alma.
    Claro, em seguida a mídia cai de pau, que ele foi exagerado, que é um fanático, que ali não foi lugar praquilo...
    Ali foi exatamente o lugar pra um discurso desses.
    Ele estava no cerne do americanismo, no palco das engrenagens que fabricam os sonhos ufanistas, militaristas, americanos.

    Eu gosto de assistir ao Oscar. Acho a cerimonia uma babaquice corporativa, o sistema de premiação é injusto, mas acabo assistindo. Minha paixão por cinema é tão grande que incorporo até o Oscar. Aliás - interessante - mais pra assistir aos clipes e homenagens de filmes antigos do que torcer pelos novos.

    Quando a cerimônia interminável a madrugadeira era ainda mais brega, eu e Ana inventamos uma maneira de torná-la mais palatável: começamos a chamar amigos pra participar conosco através de um bolão chamado Oscaralho. Quem faz mais pontos no bolão leva, além do dinheiro, um mero detalhe, a reluzente e fálica estatueta do Oscaralho confecionada de maneira diferente a cada ano por nosso filho Luke Bosshard.
    Pra manter o interesse dos azarados, quem faz menos pontos leva a versão menor (e mais anatomica) do Oscaralhinho.

    Em 2003, nada disso. Nossa náusea impede celebrações e brincadeiras. Não, como disse Nicole Kidman, por estar celebrando enquanto nossos garotos morrem além mar. É que tudo aquilo ficou alienígena e falso. Não tenho como sorrir amarelo com as piadinhas de Steve Martin.

    No meu ceu agora, infelizmente, as estrelas não são as de Hollywood mas os rojões mortíferos caindo sobre as margens do Rio Tigre.

    Mas Michael Moore rasgou o cenário de firmamento e por um breve instante os clarões das bombas foram mais que os refletores cenográficos.
    Depois, a música estridente tocou, tudo voltou, the show must go on, e a lua ali nasceu. But it´s only a paper moon.


    Convidei meus colegas documentaristas para subir ao palco comigo. Ele estão aqui em solidariedade porque nós gostamos de não ficção. Gostamos de não ficção e vivemos em tempos fictícios. Vivemos num tempo em que temos resultados eleitorais fictícios que elegem um presidente fictício. Vivemos num tempo em que temos um homem nos enviando á guerra por razões fictícias. Nós somos contra essa guerra, Sr. Bush. Que vergonha, Sr. Bush! QUE VERGONHA!
    - Michael Moore
    cerimonia do Oscar







    segunda-feira, março 24, 2003


    Por que a expressão à deriva de George W. Bush na coletiva de ontem? Talvez porque ele tenha sido vítima da própria máquina de propaganda, destinada ao inimigo. Acreditou que os iraquianos querem ser libertados da tirania de Saddam Hussein por uma invasão e ocupação de 200 mil soldados do Bem.

    Neste sentido, os revezes no sul do país são particularmente amargos para os EUA. Se sequer em Umm Qasr e Basra - as duas cidades grandes mais avessas ao regime de Saddam Hussein - a população acolheu como libertadora a passagem dos tanques americanos e britânicos, é porque o roteiro está descarrilhado.

    No fundo, a única batalha decisiva que os Estados Unidos precisariam vencer é a da identidade nacional do país a ser conquistado. E esta, a curto ou longuíssimo prazo, parece perdida: até agora, os iraquianos se revelaram mais iraquianos do que inimigos do atual regime. Governos e regimes são transitórios. A pátria, não. A dimensão da derrota dos Estados Unidos só poderá começar a ser avaliada depois da derrubada de Saddam Hussein.


    -Dorrit Harazim
    "Deus e os Generais"



    tiveram o choque e o estupor de publicar links para o blog0news
    (a propósito até dessas coisas de guerra rolando aqui)

    Contexto da Descoberta

    Vidinha mais ou menos


    O primeiro, de Chris, Assis Pacheco, tem bastante coisas também sobre essa insanidade.



    INGLÊS É FISK

    Retomei os posts citando um artigo do Robert Fisk porque dele são alguns dos melhores artigos sobre esta guerra.
    Fisk, do jornal ingles Independent, é um arguto especialista em Oriente Médio, cobre a região há anos, é bem informado e escreve muito bem. Está agora em Bagdá.
    Aqui você acompanha seus relatos

    Ele é o único da frente de batalha que vi reportar, até agora, sobre o uso no Iraque, pelos americanos, das armas A-10 - aquelas que tem como brinde o urânio sujo, contaminando o pedaço por séculos.
    E é um jornalista que chega numa casa iraquiana detonada pelos mísseis supostamente inteligentes e começa seu artigo assim:

    No meio da lama e do concreto esmagados havia uma revista da Batgirl. Na página 17, onde a sujeira borrara a página, Batgirl, estranhamente, salvava americanos de uma torre em chamas.


    E A GUERRA CONTINUA

    Não tem como se desligar por muito tempo do dilúvio de informações sendo despejado como um tsunami de desgraças pela mídia
    em qualquer restaurante ou local publico o assunto é guerra
    e suas consequencias -
    nao há indiferença embora haja diferenças,
    contras e a favor.

    Tento me atirar de novo nessa correnteza.
    É estranho: anos e anos de visão jornalística dos fatos
    outras guerras, outras violencias, muitos absurdos,
    e agora vivo essas coisas sentindo essa dor, esse desânimo
    e a toda hora uma vontade de chorar.

    Porque a guerra que acompanho não é essa da TV e dos reporteres embutidos
    essa me supre de algumas imagens
    mas as historias interessantes mesmo estão na internet
    pois são os relatos da pessoas e não dos batalhões.

    Mas alguma coisa quebrou dentro de mim quando acompanhei numa tela o bombardeio insensato de Bagdá. a cidade das 1001 noites e agora dos 320 mísseis por dia.
    Parece que o vento das explosões me atirou num buraco e estou caindo, caindo -

    A barbárie, ou como diria o coronel Kurtz, the horror... the horror...

    Alguma coisa quebrou no mundo com esta guerra
    e temo não poder ser consertado.
    Os tempos que vem serão escuros e ardentes como a fumaça densa dos poços incendiados.


    Existe algo doentio, obsceno, sobre essas visitas a hospitais. Nós bombardeamos. Eles sofrem. Aí aparecemos e fotografamos suas crianças feridas. O ministro da saúde iraquiano decide realizar uma coletiva insuportável no corredor para enfatizar a natureza "bestial" do ataque americano. Os americanos dizem que não é sua intenção machucar crianças. E Doha Suheil olha para mim e para os médicos buscando consolo, como se ela fosse acordar desse pesadelo e movimentar sua perna esquerda e não sentir mais dor.

    Então vamos esquecer, por um momento, a propaganda barata do regime e a moralização igualmente barata dos srs Runsfield e Bush, e dar uma volta pelo Hospital Universitário Al-Mustansaniya. Pois a realidade da guerra por fim não é sobre vitória ou derrota militar, nem sobre as mentiras quanto às "forças da coalização" que nossos jornalistas "embutidos" agora estão traficando numa invasão envolvendo apenas os americanos, os britânicos e um punhado de australianos. Uma guerra, mesmo quanto tem legitimidade internacional - o que esta não tem - é primordialmente sobre o sofrimento.


    - Robert Fisk
    "Esta é a realidade da guerra. Nós bombardeamos. Eles sofrem".




    domingo, março 23, 2003

    Pimenta nos olhos dos outros...

       Agora que , finalmente , diante dos olhos do mundo ( imagens da Al Jazeera ) aparecem as imagens dos primeiros prisioneiros da Coalizão , capturados pelo Iraque , Ruimsfeld evoca o Tratado de Genebra , que vetaria a filmagem de prisioneiros de guerra . .
        Ele acha que censurando as imagens vai continuar a manter a mentira do sucesso da invasão , e que o Tratado de Genebra não vale em Guantanamo ...

    Postado por Ana Lucia Pinta


    Em tempos de guerra, quando os cavaleiros da imbecilidade, da ganância, da arrogância e da carnificina cavalgam a terra como nazguls famintos, em minha cidade pessoas sao ceifadas pelo absurdo desvairado em que se alojou o mundo, e o sentido se revira por um avesso averso ao senso -
    os laços familiares são reconfortantes.

    Vim visitar os meus pais.

    Ontem, hoje e amanha, no minimo, os posts serao inconstantes. E estou tambem enojado. Espero que aqui, brincando com as piadas familiares, revisitando nichos do passado, passando por fotos antigos e me atualizando com as novas, a nausea camusiana passe para poder reportar de novo às chacinas.

    Podem usar os argumentos políticos, estratégicos, historicos que forem. Continuo considerando o bombardeio de Bagdá, que presenciei ao longe, porem próximo, via imagens televisivas, um dos absurdos mais chocantes - entre tantos - deste Império que se diz o salvador do futuro.

    Que futuro é esse?

    sábado, março 22, 2003




    A cidade de Bagdá sendo "liberada"


    UM OLHO NA TV, OUTRO NA INTERNET

    Os fabricantes de informações do Império estão fazendo de tudo para fazer esta guerra parecer um passeio de tropas invasores Iraque adentro
    "em tres ou quatro dias estaremos em Bagdá"
    "a guerra levará uma semana"

    parece até que o Império já vence a guerra de goleada
    e suas tropas avançam impavidos rumo à vitória.

    Pena que esqueceram de combinar isso com a realidade.

    Lembra antes da guerra, a propaganda que nos venderam?
    Sobre os xiitas que detestavam os sunitas e o regime de Saddam
    e que as tropas americanas seriam recebidos no sul do Iraque com festas nas ruas como os grandes e bondosos libertadores?

    E que as tropas que guarnecem o deserto eram fracos e se renderiam em massa?

    O que está acontecendo na realidade é que os invasores estão enfrentando uma resistência muito acima do esperado. Conseguiram dominar os portos com dificuldade e mesmo o de Qasr, onde fincaram a bandeira gritando vitória, não está totalmente dominada, com bolsoes de resistencia.

    Preferiram dar a volta em Basra, que inicialmente seria tranquilo, mas subindo o Eufrates toparam com iraquianos em Nassiriya, e não conseguem passar.

    Se essas tropas do sul, notoriamente os mais fracos e desprovidos de armamentos, estão oferecendo resistência, o que dirá do resto?

    Enquanto isso, o norte do país já virou uma merda, com os americanos e turcos brigando entre si - os americanos acharam que conseguiriam impedir que os turcos invadisssem o Curdistão e apavorassem os curdos, que também, na propaganda, receberiam os americanos de braços abertos?

    Portanto, não acreditam nas imagens repetidas e repetidas dos cnns da vida. Procurem se informar nos blogs e na imprensa alternativa que estão realmente cobrindo essa guerra.

    sexta-feira, março 21, 2003


    THE DAY AFTER

    Bem, amanhã veremos as imagens por tras dos planos gerais exibidos na TV, não o espetáculo grandioso-chocante das luzes mas os predios desmoronados, as paredes incendiadas, e os danos aos civis...

    Ou não veremos. Apesar do oba-oba dos generais, esta é uma guerra censurada.

    Mas até os militares se preparem para os danos colaterais das imagens de matanças. Um milico do Pentágono chegou a dizer hoje que haverã sim a morte de alguns civis porque as baterias anti-aéreas iraquianas estavam atirando a esmo e muitos fragmentos caiam sobre casas. (!!!!)


    WAR, LIES & VIDEOTAPE

    Mais chocante do que as imagens do bombardeio são as imagens mostradas em seguida pelos canais da guerra, numa edição esperta de uma coletiva dos donos do bombardeio.

    De um lado da tela, Rumsfield falando de palavras como humanitário, liberação, compaixão,
    e de outro lado , o replay das explosões com as pessoas de Bagdá sendo bombardeadas.

    Postado por Ana Lúcia Pinta



    APOCALYPSE NOW LIVE

    Estou pasmo! PASMO!!

    Bagdá está sendo bombardeada massivamente diante de nossos olhos.
    Se o objetivo dessa operação, como diz o seu nome, é Shock & Awe,
    posso dizer que fui atingido em cheio.
    Estou chocado!
    I am in awe!

    Parece que fui transportado por um Matadouro 5 para Dresden, 1945.
    E é horrível. A batucada das bombas bate em explosões de vermelho, amarelo e roxo e fumaça azul. Estrelas anti-aéreas riscam o céu azul escuro e as chamas lambem.


    Dizem que é a noite do Dia A .
    Para mim é A de Assassinato em massa.


    Se você já sabe
    Quem vendeu
    Aquela bomba pro Iraque
    Desembuche
    Eu desconfio que foi o Bush
    Foi o Bush

    Onde haverá recurso
    Para dar um bom repuxo
    No companheiro Bush?
    Quem arranja um alicate
    Que acerte aquela fase
    Que corrija aquele fuso?

    Talvez um parafuso
    Que tá faltando nele
    Melhore aquele abuso
    Um chip que deslique
    Aquele terremoto.
    Aquela coqueluche.

    - TomZé



    A ARTE DA ENTREGA

    Ridícula a cena onde dois iraquianos numa estrada se entregam para soldados americanos. O soldado grita ordens tipo You! Come Here! Ou You! Kneel!! para os manes que não entendem porra nenhuma.

    Não tem ninguém nas unidades que saiba arranhar o árabe? Não foi distribuído um phrasebook?

    Tudo fica ainda mais ridículo quando - como eu - se desconfia que a cena foi montada.


    BOATARIA

    Bob Woodward, um jornalista sério, confirma a história de que o Império teria obtido a localização de Saddam, Uday & Qusay (filhos) num bunker na parte sul de Bagdá e por isso os bombardeios foram poucos e localizados, inicialmente, numa tentativa de cortar a guerra pela cabeça..

    Se um dos três foi atingido ou não, é outra história.
    O local foi arrasado mas pode ser que tenham conseguido sair ilesos.
    Pode ser que nem estivessem lá e tenha sido uma dica plantada.

    A discussão do dia tem sido o vídeo onde Saddam aparece tranqüilo, embora cansado, discutindo os bombardeios da madrugada. Um alemão especialista em Saddam e seus dubles afirma que no vídeo aparece o próprio, Uma amante de Saddam por anos, agora nos EUA, diz que não é o Saddam.

    Outra hipótese é o vídeo ter sido pré-gravado (no que acredito).

    Mas as informações vem e vão num campo inteiramente minado. Não se sabe o que é fato ou boato ou propaganda.

    Tem a história de que o temido (e terrível) Uday tenha sofrido hemorragia cerebral ao ser agredido por um soldado curdo. O soldado teria sido tão insultado e humilhado por Uday perante seus companheiros de tropa que avançou e cobriu Uday de porrada. Teria sido morto imediatamente, é claro.

    A própria teoria de que os EUA estariam amenizando os bombardeios inicialmente previstos enquanto negociam secretamente com elementos da guarda republicana
    que se entregariam enfraquecendo o governo do inimigo
    essa própria teoria tem sua cotrateoria na versão de que esses guardas estariam fingindo o interesse com o objetivo de confundir e de ganhar tempo na guerra.


    NAÇÕES PUNIDAS

    A ONU não desmoronou esta semana com a invasão de um país sem motivação legal e à revelia desta organização de paz mundial, sendo bombardeada pelo Império Americano.

    A ONU acabou quando concordou com cobrir o mural com Guernica, de Picasso, para não incomodar o secretário americano Collin Powell.


    ONU LAVA MAIS BRANCO ?

    Segundo a revista online In These Times
    os inspetores da ONU poderiam aproveitar que estão desocupados
    tendo que se retirar do Iraque
    para se dedicar à inspeção de armas químicas nos EUA.
    Teriam muito com o que se ocupar!!




    PENTEANDO MACACOS

    A invasão começou na quarta-feira à noite pela TV com duas webcams ligadas sobre Bagdá e dezenas de comentaristas em várias estações aguardando um bombardeio arrasador que não chegava.

    Uma duas horas depois, as primeiras explosões, todas longe das webcams, que mostrava ruas noturnas, esverdeadas, onde passavam devagar carros e alguns ônibus. Ouvia-se sirenes, gemidos tétricos, mas os carros continuavam passando pelas imagens das webcams e os comentaristas e analistas e jornalistas preenchiam a noite com um falatório de previsões na falta de notiícias.

    Na imagem de uma mesquita, amanhecia um céu azul.

    As multimilionárias CNN, Fox, BBC e outras siglas tinham seus batalhões a postos mas foi a pequena RTP quem capturou as primeiras imagens de guerra mesmo, com bombas ribombando em Bagdá.
    Foi um furo mundial sem deixar de ser uma transmissão lusitana: o jornalista, Carlos Fino, se agachava a cada vez que uma bomba explodia em Bagdá.

    Agora o bombardeio é constante e as câmeras mostram incêndios por toda a beira do Tigre e tropas avançam Iraque adentro, com repórteres tagarelas embutidos nos batalhões e os fatos são muitos para se acompanhar

    mas lembrarei sempre daquelas primeiras horas de suspense e apreensão e embromação da mídia televisiva.

    E dos breves e gratificantes instantes em que compartilhamos, sem querer, da intimidade com o poder
    nas imagens mais importantes e reveladores do início desta invasão:
    cortaram para Washington e o imperador estava nu.

    Recitava para si mesmo o texto que leria em breve, tentando socar algum conteúdo naquelas palavras, enquanto acólitos ajeitavam seus cabelos, já que ninguém consegue ajeitar a sua cabeça.

    Ele dava pulinhos, ele abria e fechava os punhos, tentando pegar os neurônios no tranco.

    E foi assim que a invasão começou.


    Em meados do ano passado, enquanto esta guerra estava sendo incubada, George W. Bush declarou que "devemos estar prontos para atacar em qualquer obscuro rincão do mundo". O Iraque é, portanto, um obscuro rincão do mundo. Acreditará Bush que a civilização nasceu no Texas e que seus compatriotas inventaram a Escritura? Nunca ouviu falar da biblioteca de Nínive, nem da Torre de Babel, nem dos Jardins Suspensos da Babilônia? Não ouviu nem um só dos contos das Mil e Uma Noites de Bagdá?
    - Eduardo Galeano


    quinta-feira, março 20, 2003


    QUERIDO DIÁRIO

    Não sabemos o que vai acontecer, Podemos morrer, e pode ser que a gente esteja vivendo os nossos últimos dias na vida. Espero que todo mundo que leia o meu diário lembre de mim e saiba que tem uma menina iraquiana que teve muitos sonhos na sua vida...
    - Thuraya El-Kaissi.
    17 anos, moradora de Bagdá.







    QUE COMECEM OS VIDEO-GAMES!

    A realidade prevalecerá na consciência da humanidade.


    Em 1898, o presidente William McKinley declarou que Deus havia dado a ordem de ficar com as Filipinas, para civilizar e trazer para o cristianismo seus habitantes. McKinley disse que falou com Deus enquanto caminhava, à meia-noite, pelos corredores da Casa Branca. Mais de um século depois, o presidente Bush garante que Deus está do seu lado na conquista do Iraque. A que horas e em que lugar recebeu a palavra divina? E por que Deus teria dado ordens tão contraditórias a Bush e ao papa em Roma?
    - Eduardo Galeano



    IS RAED REAL?

    Lembram que escrevi ontem à noite sobre um blog publicado direto de Bagdá, com impressões do que acontecia nas ruas...
    e depois, ao acessar mais o blog, comecei a desconfiar que era escrito como se fosse de Bagdá mas feito em outro local, talvez mais ocidental?

    Pois essa mesma desconfiança começa a varrer a Internet
    e uma grande discussão rola hoje sobre a veracidade de Salam Pax.

    Veja esta investigação feita por Paul Boutin


    Disseram que os iraquianos não teriam os culhões de incendiar seus próprios poços de petróleo
    mas é isso que está acontecendo
    poços do sul do Iraque foram incendiados numa tentativa de obstaculizar (!) o avanço das tropas americanas subindo do Kuwait.

    É aí que o bicho pega.
    A razao de ser desta guerra pode ser destruida pela propria guerra.


    QUEREM SABER COMO É UMA GUERRA?
    NÃO É ISSO QUE VOCES VÊEM NA TELEVISÃO.

    É ISSO AQUI:
    THE UNSEEN GULF WAR

    (Link captado do Nemo Nox)




    A GUERRA DA INFORMAÇÃO

    Eu acredito que a melhor cobertura desta invasão do Iraque será feita pela Internet.
    Com certeza, a mais isenta.

    O que a primeira guerra do golfo fez para o jornalismo a cabo - a partir de Peter Arnett da CNN nos telhados de Bagdá - esta guerra poderá fazer para o jornalismo online.

    Pedro Dória compilou uma lista interessante de links para acompanhar a guerra.

    Vou preparar também uma lista para os leitores do blog0news.
    Mas na ótima lista do Dória destaco o blog do jornalista Kevin Sites, um relato bem pessoal da guerra (com fotos & audio).




    A GUERRA DA INFORMAÇÃO

    E o Rumsfield agora tá putinho porque "vazaram informações" sobre a ofensiva para a imprensa.
    Eles tem mesmo que manter um controle severo sobre o fluxo de informações, porque quando o restinho de imprensa independente que sobrou começar a publicar as noticias das atrocidades que serão cometidos nessa invasão...


    A GUERRA DA INFORMAÇÃO

    E parece que o Império vai fazer de tudo para evitar que jornalistas independentes cubram essa guerra, apresentando informes alternativos à Visão Oficial.

    Tudo, no caso, é tudo mesmo: inclusive bombardear as posições de onde transmitem esses jornalistas.

    Leia aqui, por exemplo


    A invasão e a ocupação do Iraque começaram.
    Será que esquecemos o que é o mais importante ? A vida humana.
    Guerra não é liberação.
    Guerra é a mais sangrenta, não-democrática e violentamente repressiva das instituições humanas.
    Se isso é liberdade, o que nos restou em termos de opressão?



    quarta-feira, março 19, 2003


    E enquanto eu escrevia o post abaixo chegou a noticia de que Bush acaba de assinar a diretiva para o ataque ao Iraque.
    SEGUREM SEUS CHAPÉUS!!!


    Agradeço os links que foram publicados ontem e hoje para posts no blog0news.
    Vamos trocando informações sobre esta invasão que se aproxima, né ?
    É o que resta pra gente fazer a esta altura.

    Alguns desses links sairam no

    InternEtc
    No Espelho
    Para o post sobre os movimentos artísticos contra a guerra

    Carta Aberta
    para o post sobre a nossa própria guerra, bem aqui, nas esquinas

    Polis
    para o post sobre Art Spielgelman deixando o New Yorker

    O post sobre o jornalista que quer ir ao Iraque publicar um blog direto da guerra também foi um assunto popular, citado em vários blogs brasileiros, como pode ser visto no Toplinks.

    Mas mais interessante talvez que a visão de um jornalista no Iraque é o blog de uma pessoa que vive e mora em Bagdá:
    Where is Raed ?

    Leiam, é em ingles, um ingles arabesco, mas é interessante
    e foi outra dica do InternEtc da Cora, um blog desanimado, frustrado, mas que não desiste de postar contra a insanidade.

    E a tradução que fiz do mordaz artigo de Terry Jones, do Monty Python, virou circular de email pela internet afora...

    Update:Acessando frequentemente o blog Where is Raed (link acima) estou desfiando que, bem no estilo da Internet, isto não está sendo realmente escrito de Bagdá;
    Se não for, talvez seja mais (ou menos) interessante. Confiram.





    Você está cansado de ser um ditador bundão?
    Veja como mudar isto


    O Brasil tem um presidente impressionantemente popular, com muito apoio político. Há 40 anos o Brasil também teve um presidente popular, não no nível de Lula, mas um tipo sério, João Goulart. E ele foi derrubado por um golpe militar. No caso de Lula, não há rumores sobre um golpe militar. Por duas razões.

    Primeiramente, a população não toleraria isso. Mas também por outra razão: não é tão necessário. Lula pode ser controlado - este é o pressuposto - por mercados financeiros internacionais. O processo de liberalização financeira e privatização que foram impostos por programas neoliberais nos últimos 20 anos, principalmente nos últimos dez anos fez com que seja extremamente difícil para ele fazer qualquer tipo de programa de reformas.

    É por isto que Lula foi a Davos (no Fórum Econômico Mundial, onde Chomsky também esteve), além de Porto Alegre (Fórum Social Mundial). E ele foi aclamado por financistas internacionais. Porque eles sabem, ou pensam, que podem impedi-lo de fazer as reformas. Simplesmente por meio do controle dos mercados.




    ZONA DE GUERRA

    Para quem pretende acompanhar a guerra em português, uma boa leitura são os despachos de José Meireles Passos, enviado especial de O Globo, na fronteira Jordânia/Iraque.
    Hoje ele escreve sobre o carteiro informal que leva mensagens de Amã para Bagdã e sobre os fixers que em troca de grana quebram todos os galhos.


    A TV DIRETA VAI PRO CÉU

    Preocupa - muito - a concordata da Direct TV e sua possível absorção pela concorrente, Sky.
    Se isto acontecer toda a transmissão de tv paga por satélite estará sob um único guarda-chuva. O dono da nossa Sky é o conglomerado de Robert Murdoch, um dos magnatas mais ricos e reacionários do mundo, notório popularizador das mídias em detrimento da qualidade.

    Murdoch é dono, por exemplo, da Fox News.
    A Fox News conseguiu superar a CNN no imaginário americano por apoiar e incentivar abertamente o belicismo americano.
    O principal correspondente da Fox no Iraque é nada menos que Oliver North, mercenário corrupto envolvido em algumas das piores falcatruas internacionais dos anos 80/90, condenado inclusive no caso Irã-Contras.
    Nem jornalista o pilantra é.

    E - pasmem - o slogan da cobertura jornalística da Fox News nesta invasão é:
    GIVE WAR A CHANCE!

    Pois é, Lennon, imagine there's no future.


    CAIU NA REDE, É TERRORISTA

    Uma das ações principais dessa Operação Escudo da Liberdade (!)
    para evitar ataques terroristas em represália à invasão do Iraque
    está sendo um monitoramento intensivo da Internet
    pois, segundo dizem, "a internet é uma das armas mais utilizadas pelos terroristas".


    O APOIO QUE NÃO OUSA DIZER O NOME

    O interessante na última declaração de Collin Powneles não é que 45 países estão apoiando os EUA na invasão do Iraque, mas que
    15 deles preferem manter esse apoio no anonimato.

    Puxa, os governos desses paísesdevem achar que essa guerra vale a pena mesmo, não é ?


    E O OSCAR ?

    Criticado por suas posições políicas empedernidas
    e até por sua arquitetura genial mas desprovida de praticidade humana
    Oscar Niemeyer é um símbolo a ser admirado.

    Um camarada de 95 anos que continua com a disposição de encarar uma viagem de carro de dois dias para ir a Brasilia, o fim de mundo que ajudou a criar, para se encontrar com um presidente novo
    que continua trabalhando e criando - e em projetos belos
    e que chega a essa idade ainda acreditando no ser humano e num futuro possível.


    O planeta inteiro está a postos aguardando a invasão do Iraque.
    Ninguem sabe realmente o que vai acontecer. A apreensão é angustiante.
    Mas eu acho que não será hoje, apesar dos prazos.
    Creio que aguardarão a decisão da Turquia em permitir que tropas americanas também partam de lá.
    Isto faria total diferença na frente norte.

    BABY BOOM

    Os hospitais de Bagda estâo lotados de mulheres fazendo cesarianas , dando luz a bebes prematuros de ate sete meses , temendo que com o inicio da guerra não possam ter acesso aos hospitais . As cirurgias estâo sendo feitas sem anestesicos e não ha numero suficiente de incubadoras para todos os bebes

    Postado por Ana Lucia Pinta


    Adendo do Ricky: Os médicos também estão ficando direto nos hospitais, temendo que com o início da guerra não consigam sair de casa e chegar nos locais de atendimentos às centenas de feridos.
    Anestesia é algo que não existe no Iraque. A maioria de remédios também não.
    Estão numa lista de produtos proibidos pelo Governo Americano
    que alega poderem ser transformados quimicamente em armas de destruição em massa.
    A ausencia desses produtos é que está destruindo em massa.



    terça-feira, março 18, 2003


    Eles estão de volta!!
    Eles não querem esperar!!




    Arte de Luke Bosshard
    para Casseta & Planeta OnLine






    ALERTA PISTACHIO!

    Não percam o clip pauleira que Michael Moore fez para o System of a Down, com imagens das manifestações contra a invasão do Iraque!

    Aliás, Michael Moore detonou uma carta aberta ao Presidente Bush.
    No seu estilo peculiar desfila vários argumentos, como esse tipo pimenta no cu dos outros é refresco, ou seja, war is fun when you know you won´t die.

    Dos 535 membros do congresso americano, só UM tem fillho ou filha nas forças armadas. Bush, se você quiser realmente defender a América, por favor mande suas filhas gêmeas lá para o Kuwait agora mesmo para que vistam seus aparatos de guerra química. E vamos ver cada membro do Congresso com filhos em idade de servir também sacrificar a garotada por este esforço de guerra. Como? O que estão dizendo? Que não acham isso uma boa idéia? Pois é, adivinha só - nós também não achamos!

    Leia a carta no site do Michael Moore

    Tradução para o portugues no Gilfil






    UM NÃOZÃO

    Já que tem muita gente vindo aqui sobre os movimentos artísticos contra essa guerra, cito também o concerto realizado este fim de semana em Londres, organizado pelo mesmo pessoal do festival de Glastonbury.

    Entre as atrações Travis, Coldplay, Beth Orton, Faithless, Paul Weller (que fez um discurso esculachando o Blair) e Michael Moore.

    Arthur Dapieve teria orgasmos se estivesse lá para ver/ouvir Chris Martin do Coldplay e Ian McCulloch (ex-Echo & the Bunnymen) duetando Walk on the Wild Side do Lou Reed.


    URUBUS

    Foi no blog do figuraça abaixo inclusive que pesquei este dado:
    o Império esta reservando uma quantia de 1.5 bilhão de dólares que serão distribuídos para algumas mega-corporações que, em troca, reconstruirão a infra do Iraque apõs o mesmo ser destruído pelos EUA.

    Um bilhão e meio para empresas particulares.
    Que vão cuidar do, digamos, hardware físico de um futuro Iraque.
    Sabem quanto o Império está reservando para entidades que vão cuidar das pessoas apõs a guerra: 50 milhões de dólares.
    Comparem um dado com o outro.

    E acrescento: o bilhão e meio citado acima será dividido basicamente entre cinco corporações: Parsons, Berger, Bechtel, Fluor e Kellogg &Brown & Root. Todos financiadores massivos da campanha de Bush à presidente. Sendo que a última empresa é subsudiária da petrolífera Halliburton.
    Que vem a ser a empresa da qual um dos diretores é Dick Cheney. Vice-presidente americano.


    FIGURAÇA

    Christopher Albritton
    Este jornalista, do New York Daily News, está levantando dinheiro na Internet para ir por conta própria cobrir a guerra no Iraque.

    Sozinho, com uma câmera, um laptop e um telefone por satélite, ele vai tentar entrar no norte do Iraque, no Curdistão, para escrever um blog direto das cenas do conflito.
    E sem influencias ou cerceamento da grande mídia ou das forças americanas.

    Albritton fez essa viagem no ano passado, publicando suas experiências através de um blog. Agora a barra vai ser muito mais pesada. Ah sim, além do equipamento acima ele leva uma injeção de atropina e uma máscara anti-gases, presentes de um soldado israelense.

    Seu maior temor é ter seu sinal de satélite confundido com uma transmissão de soldado iniimigo pelos americanos e ser bombardeado.
    Será que ele chega lá ?
    Será que ele sobrevive ?
    Vai conseguir transmitir seu blog ?

    Acompanhe aqui.

    Reportagem na Wired


    FIGURAÇA

    John Wolf
    Este ativista americano resolveu protestar onde ele acha que será ouvido. Foi direto à casa do "inimigo". No caso, o Imperador Ensandecido Bush II.

    Bush tem um rancho perto da cidadezinha de Crawford, no Texas.
    Quando se entra na cidade vê-se logo um outdoor: "Home of the President George W. Bush".
    Agora, seguindo um pouco em frente, se verá cartazes com outro tipo de dizeres.

    Wolf levou meses vendendo bugigangas pacifistas, juntou uma grana e comprou uma casa bem no meio de Crawford, Texas. Ali pretende lançar uma unidade pacifista, com um centro de imprensa e local para reuniões.

    A população local, claro, está puta da vida. Mas a idéia é ótima.

    Leia reportagem direto do Texas

    Leia entrevista em portugues na Folha

    segunda-feira, março 17, 2003


    Este desenho foi feito por Nooran Adil.
    Ela tem 11 anos.
    Ela estuda no colégio primário Al-Istikwar, em Badgá.
    Nooran Adil fez o desenho porque espera que o Iraque consiga viver em paz.


    GENTE ESTRANHA NUMA FESTA ESTRANHA

    Jim Morrison já cantava
    People are strange
    e as pessoas são estranhas mesmo.

    Você pode conhecer algumas dessas pessoas
    no novo blog de Leticia Bosshard, do Canterbury Tales:

    PEOPLE ARE STRANGE


    A LEITE DE PATO

    Meu colega Adailton Percegonha inaugura o blog Celebridades, do Gravataí Menrengue, com uma raríssima entrevista sobre si mesmo.




    Uma guerra contra o Iraque não tem absolutamente nada a ver com petróleo.

    - Donald Rumsfield, ministro da Defesa


    O petróleo do Iraque pertence ao povo do Iraque.
    - Colin Powell, Secretário de Segurança


    Esta não é uma guerra sobre petróleo. Será uma guerra para liberar o Iraque, não para ocupar o Iraque.
    - Paul Wolfowitz, vice-ministro da Defesa


    A acusação de que esta administração embarcou nesta política por causa de petróleo é uma alegação ultrajante e indecente.para a qual, se você procurar por evidências, não encontrará nenhuma.
    Existe apenas a sugestão, porque tem petróleo no solo e algumas autoridades desta administração tiveram conexões no passado com a indústria petrolífera, portanto que a política dos EUA é assumir o controle do Iraque. Isso é uma mentira. Uma mentira descarada.

    Richard Perle, consultor do Pentágono


    Então, tá.
    Ao fim de tudo, se ainda sobrar petróleo, veremos.

    sábado, março 15, 2003


    MISS BAHIA ENCONTRA MISTER BAHIA



    foto de Sérgio Lima



    ENQUANTO ISSO, NA ZONA DE GUERRA

    Ou Fernando Beira-Mar está jogando merda no ventilador
    tentando embaralhar ainda mais as cartas
    ou ele deixou claro, nas suas recentes declarações,
    e nas de sua advogada (?)

    que ele teria um acordo rolando com o Casal Garotinho.

    Acordo este que foi rompido, claro, por ele ter começado a chutar o balde, e pela intervenção federal na parada...

    É isso?


    ENQUANTO ISSO, NA ZONA DE GUERRA

    No cinema, nos filmes policiais ou de gangsters, tem um momento em que a bandidagem passa do ponto e assassina alguma autoridade supostamente acima de ser atacado. É nesse momento, com esse ataque de pirro, que seu esquema degringola, perdem a moral, e as forças do estado constituído batem com tudo e os derrotam.

    Na vida real não é nada disso e nao hã limites para a bandidagem. Quer dizer, existiriam limites, mas ninguem as impõe. O assassinato de um juiz era pra ser uma merda federal, com uma reação tão violenta e irada, embora organizada e direta, que chegaríamos logo ao final do filme. (Ou, pelo menos desse filme na trilogia).

    A matança encomendada de um juiz, supostamente por ter coibido Beira-Mar de maneiras com que deveria ter sido desde o início, tem que ter uma resposta imediata, direta e precisa. E potente. Além de vingança, o ato foi principalmente uma bravata, uma demonstração de poder. Poder que se não for contraposto somente continuará crescendo.

    ====================

    Enquanto isso, no Rio, revelam-se os planos de segurança Estado/União cuja atração principal é a construção de um alambrado em volta dos Bangus 1, 2, 3, etc.

    É um muro cosmético. O mais importante não é o cerco, o em-volta, mas o que acontece lá dentro. Mais importante do que impedir que os presos saiam, em fugas, é impedir que as coisas entrem, livremente.

    Continuo nesta tecla: o ponto principal do combate ao crime organizado, no momento, é o combate à corrupção e à conivência.

    O projeto do alambrado me lembra os outdoors colocados em frente das favelas onde as autoridades mundiais passariam durante a Eco-92.

    ============================

    E essa história de transferir os presos mais perigosos para presídios no Acre?
    Isso é levar o Anel para Mordor!
    O Acre, terra de hildebrandos, por mais que tenha sido saneado, é o elemento desse pessoal. Estariam em locais vigiados por dispositivos menores, numa terra sem leis, e próximos às fronteiras por onde passam seus produtos.

    Num ponto geográfico legal para solidificarem pontes entre as organzações das grandes cidades e as organizações dos países vizinhos.

    É fácil tentar resolver um problema isolando-o pra putaquepariu. E os acreanos que se virem.


    IMPRENSA AMERICANA VAI DE MAUS A PIOR

    É incrível, mas em meio a mudanças de casas & viagens & impossibilidade acompanhar tudo
    somente agora fiquei sabendo
    pelo Pensar Enlouquece do Inagaki
    que Art Spiegelman deixou o New Yorker.

    Spiegelman é um dos melhores ilustradores da atualidade e criou algumas das capas antológicas da revista New Yorker. E um quadrinhista genial, autor dos livros premiados MAUS e editor de publicações alternativas como RAW e Drawn & Quarterly.

    Apesar disto, e apesar de sua ligação de 10 anos com a revista, e apesar de sua esposa e designer Françoise prosseguir como editora de arte do NY,
    Spiegelman perdeu o saco.
    Ou manteve a coerencia.

    Diante da caretização crescente do sofisticado NY
    caretização aliás da imprensa americana de modo geral
    aliás - se isso ainda é possível - do povo americano, mais ainda;
    Spiegelman saiu.
    Suas últimas ilustrações vinham sendo vetadas
    e as que foram publicadas geraram ondas de protestos dos leitores da NY.

    Como a capa da edição de 4 de julho onde num detalhe explodia uma bomba atômica. Ou a do Dia de Ação de Graças onde aviôes bombardeavam um país com perus.

    Agora ele pensa em deixar também o país e morar na velha Europa.

    Entrevista com Spiegelman, traduzida do Corriere dela Sera,
    sobre sua saída do NY e o clima atual no Império Americano



    Abertura da mais recente obra em quadrinhos de Art Spiegelman.
    A história está inédita porque nenhuma editora ou publicação americana aceitou publicá-la.



    .


    A mídia hoje está nas mãos de um grupo limitado de proprietários multimilionários cujos interesses não coincidem em nada com os de uma pessoa comum vivendo num país onde o abismo entre ricos e pobres tornou-se intransponível. Nete contexto, toda crítica ao governo é imediatamente tachado de impatriótico e anti-americano. Nossa mídia prefere ignorar notícias que no resto do mundo recebem amplo destaque. Se não fosse pela Internet, mesmo a minha visão do mundo seria extremamente limitada.
    - Art Spiegelman


    sexta-feira, março 14, 2003

    LAND OF THE FREE

       Depois do ridiculo boicote as french fries, aos vinhos e queijos franceses e a rede de hoteis Sofitel , os americanos pro war estao fazendo um abaixo assinado para que a Estatua da Liberdade , doada pela Franca aos americanos , seja coberta com uma lona preta .
       Pensando bem , tem tudo a ver ...

    postado por Ana Lucia Pinta



    ESTOU PERDENDO A PACIÊNCIA COM MEUS VIZINHOS, SR. BUSH!

    Fiquei muito excitado com o último motivo de George Bush para bombardear o Iraque: ele está perdendo a paciência. Eu também!

    Já faz algum tempo que ando puto da vida com o Sr. Johnson, que mora descendo a rua duas casas. Bem, com ele e com o Sr. Patel, o dono da loja de produtos naturais. Os dois olham pra mim de uma maneira esquisita, e tenho certeza de que o Sr. Johnson está planejando alguma maldade comigo, mas até agora não consegui descobrir o que seria. Já rondei a casa dele algumas vezes pra ver o que ele anda aprontando, mas ele está com tudo muito bem escondido. Pra vocês verem como ele é ardiloso.

    Quanto ao Sr. Patel, não me pergunte como, mas eu sei - de fontes garantidas - que ele, na verdade, é um Assassino em Massa. Já distribui panfletos na rua avisando que se não agirmos antes, vai nos eliminar um a um.

    Alguns dos vizinhos dizem, se tenho provas, por que não vou à polícia! Mas isso é simplesmente ridículo. A polícia vai dizer que precisa de evidências de que um crime foi cometido antes de prender meus vizinhos.

    Vão ficar lá com sua burocracia sem fim e discutindo os detalhes do certo e errado de atacar antes de mais nada e o tempo todo o Sr. Johnson vai estar finalizando seus planos de cometer maldades horríveis comigo, enquanto o Sr. Patel vai estar assassinando as pessoas em segredo. Já que sou o único da rua com um estoque razoável de armas de fogo, acho que está por minha conta manter a paz aqui. Até há pouco isso era meio complicado. Agora, porém, George W. Bush deixou bem claro que tudo que eu preciso é perder a paciência, e aí posso ir lá e fazer o que eu quiser!


    Leia o resto deste artigo genial de TERRY JONES, integrante do grupo humorístico Monty Python.


    quinta-feira, março 13, 2003

    A POESIA TAMBÉM É NECESSÁRIA

    Ante-ontem publiquei link para um site disponibilizando músicas contra a guerra e a política imperialista dos EUA
    mas o grande ponto cultural de obras contra essa invasão vindoura do mundo árabe pelos cristãos renascidos bushianos é este:
    Poetas contra a Guerra
    com um acervo já de mais de 13 mil poemas
    recebidos de toda parte do mundo.

    (E se você entrou direto neste post
    vindo do querido InternEtc, da Cora,
    clique AQUI para ver também os posts
    atuais deste blog0news. Muito obrigado.)


    COMENTÁRIOS QUE ACABAM VIRANDO POSTS

    "o populacho daquele país que prima pela boçalidade ignorante."

    Eu adoro aquele programinha o "jackass". Mas, se vc analisar bem, verá o quanto é idiota o populacho acima citado. Um bando de babacas fazem idiotices para nada.

    A cultura para fins de evolução intelectual parece não existir nos EUA. Eu tb assisto , de vez em quando, o Dave Letterman. É engraçado mas, os caras não sabem nada de nada. Piadas idiotas sobre o "não-apoio francês" infestaram uma edição que vi desse talk-show. Procuro ver mtas coisas diferentes na tv, inclusive as merdas do horário da tarde. Mas, acho q essas merdas do horário da tarde têm mais informação intelectual do que esses programas ianques. Acho que sou um afro-americano-de-merda. Hahahaha



    Refere-se a este post.



    VEJAM... ESSA MARAVILHA DE CENÁRIO

    No meu tempo o "cenário da guerra" era a situação estratégica do conflito, a posição e os delocamentos das tropas, o desenvolvimento das táticas, números de vítimas, ganhos e perdas...

    Parece que nesta próxima guerra - a invasão do Iraque - um conflito mediatizado, onde a midia é arma de ponta - o "cenário da guerra" será isto mesmo: o cenário de onde acompanharemos a guerra.

    O Exército Americano contratou um dos cenógrafos top da TV e do teatro, George Allison, para construir um cenário de meio milhão de dólares no local onde será "encenada" a guerra: um centro de imprensa em Qatar onde os generais fodôes americanos dispararão informações para a imprensa ávida.

    O cenário inclui dois pódios e cinco telonas de plasma imensos onde serão exibidos gráficos, mapas e as imagens de videogames que certamente serão filtradas para as telinhas de todo o mundo. Certamente não exibirão cenas de massacres de civis ou de americanos destroçados por fogo inimigo ou mesmo amigo.

    O que eu acho que está acontecendo na América é que estamos nos fartando de pão e circo. Só temos reality shows , açúcar e televisão, e muitos de nós caímos num torpor induzido por essa obesidade social. As coisas que aconteceram foram demais para muita gente; agora, está todo mundo fazendo de conta que está dormindo. Acontece que, quando as pessoas fazem de conta que estão dormindo, é impossível acordá-las. Você entende? Não há como chamar a sua atenção, porque elas estão fazendo de conta que não têm atenção alguma... É um círculo vicioso. A mídia simplesmente torna coletivo o sonho dos que fazem de conta que estão dormindo. Ela não pensa em ninguém, especificamente; apenas expressa o que se tornou lugar-comum ? por estar na mídia ? e reforça isso. Faz o que sempre fez, ou seja, tenta segurar um público desatento com uma dieta crescente de medo, sexualidade e violência.
    - John Perry Barlow
    via coluna da Cora


    quarta-feira, março 12, 2003



    É GRAVE A CRISE



    Está aí a prova de que o novo governo está realmente quebrado.





    AOS QUE SE JULGAM VENCEDORES, AS BATATAS

    A ousadia de um país como a França - a velha Europa - de contrariar o Dono do Mundo, o Império Americano, tem revoltado o populacho daquele país que prima pela boçalidade ignorante. Como podem os franceses ser contra uma guerra justa e santa? O boicote a tudo que é francês - um povo imundo e sem nenhuma cultura, é claro - chegou ao ponto de em várias cidades do interior as pessoas terem deixado de consumir batatas fritas. Isto porque em inglês essa peculariedade gastronômica - tão americana, aliás - tem o nome de french fries.






    MISTÉRIOS DA MENTE QUASE-HUMANA

    Como é que pode, uma mulher tão incapacitada como Rosangela Matheus ser tão arrogante?
    Será insegurança? Ou insanidade mesmo?



    NÃO SE DERAM CONTA

    São injustas as críticas hoje contra o programa Fome Zero porque ainda não abriram uma conta para receber doações de dinheiro e alimentos. Vocês já tentaram abrir conta em banco? É complicadíssimo!

    Tem que levar um monte de documento, é aquela papelada, tem que apresentar saldo médio convincente - e todo mundo sabe que esse governo tá sem dinheiro, cortando até onde não devia!

    Sem falar que tá começando agora no emprego. Como é que ele vai abrir conta se chega no banco, dá o Palácio do Planalto como referência, aí o banco liga pra lá e dizem: "É, ele trabalha aqui sim, mas faz dois meses que começou". Ninguem consegue conta em banco assim, ou então é daquelas contas mixurucas, sem nenhuma estrela, que não dá pra fazer nada.


    O BLOCO DO EU SOZINHO

    Os EUA bate no peito gorila e alardeia que vão fazer a guerra mesmo sem a ONU, os EUA declaram que vão fazer a guerra sem a Europa, os EUA vão fazer a guerra sem a Turquia, os EUA hoje arrotam que vão fazer a guerra sem os britânicos...
    daqui a pouco os EUA vão à guerra mesmo sem o Iraque.



    DEIXA COMIGO!

    Leitores, leitores meus, quem é mais auto-suficiente: George Bush, que vai invadir o Iraque sem depender de mais ninguém, ou Rosangela Matheus, que disse dar conta do crime organizado sozinha?



    ARDIL-22

    Algumas hipóteses e perguntas podem ser lançadas no ar. A mais óbvia e já circulando: se Saddam tem mesmo um arsenal de armas infernais, a guerra será uma hecatombe. Se não tem as armas e as condições de usá-las, o que justificará a invasão a posteriori?


    e o blog0news continua…
    visite a lista de arquivos na coluna da esquerda
    para passear pelos posts passados


    Mas uso mesmo é o

    ESTATÍSTICAS SITEMETER