This site will look much better in a browser that supports web standards, but it is accessible to any browser or Internet device.



blog0news


  • TA TUDO MUITO ESQUISITO, DEPOIS QUE VISUAL VIROU QUESITO

  • Vislumbres

    Assinar
    Postagens [Atom]

    Powered by Blogger

    Fragmentos de textos e imagens catadas nesta tela, capturadas desta web, varridas de jornais, revistas, livros, sons, filtradas pelos olhos e ouvidos e escorrendo pelos dedos para serem derramadas sobre as teclas... e viverem eterna e instanta neamente num logradouro digital. Desagua douro de pensa mentos.


    segunda-feira, fevereiro 27, 2012

    The Most Painfully Awkward Moments of Last Night’s Oscars




    It’s all part of the ritual. First we spend months predicting the nominations, then we complain about the nominations, then we predict the winners to the point where there are no surprises during the ceremony itself, so we then complain about the show. Yes, folks, Oscar season came to a close last night.

    read about the awkward moments here

    Vice Maria!!



    (Joinville, SC)
     
     
    clique na charge para ve-la maior
    para ver outras charges clique em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    Charge da hora



    (Campinas, SP)

    clique na charge para ve-la maior
    para ver outras charges clique em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    domingo, fevereiro 26, 2012

    Um deus com quem não se pode conversar




    Limites da liberdade na Arábia

    RASHEED ABOU-ALSAMH

    O jovem jornalista saudita Hamza Kashgari não devia ter sonhado que seus comentários postados no Twitter no aniversário do profeta Muhammad, no dia 4 de fevereiro, iam ter consequências tão estridentes e perigosas para ele.

    Um grupo foi formado no Facebook, com mais de 8.000 membros, pedindo a morte dele. Atordoado pela reação feroz de crentes através do mundo islâmico, Hamza logo excluiu seus comentários e deletou sua conta no Twitter. Ele fugiu do país no dia 9 de fevereiro, mas poucos dias depois foi detido na Malásia quando tentava embarcar num vôo para a Nova Zelândia, onde ia pedir asilo político. O rei da Arábia Saudita, Abdullah ibn Abdul Aziz, havia mandado prendê-lo e o reino alegadamente tinha acionada a Interpol para deter o jovem onde ele estivesse no mundo. Logo depois, ele foi mandado de volta para o reino, onde continua preso e aguarda julgamento.

    “O arrependimento dele foi feito com palavras frias”, disse sheik Nasser. “Ele está sendo insincero, ele deve ser executado. Nós não devemos nos engajar em debates com ateus. Mas, em vez, devíamos esquentar nossas espadas para lutar contra eles.”

    Interessante é ver como a internet está senda usada por jovens sauditas para se expressar e para responsabilizar líderes pelos seus atos. No Twitter há uma conta anônima que regularmente delata vários excessos de príncipes, como ganhar comissões gigantescas em contratos com o governo, ou ter palácios enormes. E ver que alguns dos príncipes têm respondido às denúncias, se defendendo, uma coisa que nunca ia acontecer na mídia tradicional que é fortemente controlada pelo governo. No YouTube, vários cineastas estreantes estão ganhando milhares de seguidores com seus seriados de 15 minutos cada, que eles postam lá regularmente, mexendo com os mais variados tópicos, desde a pobreza urbana até o amor entre jovens.

     leia texto completo aqui

     

    sábado, fevereiro 25, 2012

    O gol mais comentado do ano

     
    (Joinville, SC)
     
     
     
     
      (Vitoria, ES)
     
     
     
     
    (Rio de Janeiro, RJ)
     
     
    clique nas charges para ve-las
    num tamanho maior que o padrão do Blogger

    para ver outras charges clique em
    "marcadores: charges"
     
     


    Marcadores: , , ,

    Remi Ochlik's photojournalism


    The French photographer Remi Ochlik has died in Syria after a shell hit a safe house for journalists in Homs. Here we display some of his work



    gallery clicking here 

    Pela Cochlea: Estrela Leminski &Téo Ruiz ; Quirera



    Se vocês querem essa quirera de música de sucesso
    Espera, mas espera sentado contemplando o retrocesso
    Pudera, quem pensa em lucro e grana
    pensa em gana, drama e fama
    Pondera, ser artista não é empenho?
    estudo, instrumento, palavra, sentimento
    Gravar, divulgar, negociar, cobrar, muito ensaio
    Tudo isso dá trabalho prá...caramba

    Compra o nosso disco pra banda decolar
    Coloca na novela pra ver no que vai dar

    Mas que hora, mais uma crise de mercado
    se não tem QI tá ferrado
    Patrocinador evapora
    E até lei de incentivo
    Acaba dando o crivo pra quem já está muito bem servido
    Ou tem um marketeiro querido
    E quem tá fora, do grande esquema enfrenta mil problemas
    Agora, também é quem dá o tom
    porque tem o poder de fazer qualquer som
    Decora, o próximo refrão grudento
    que é o hit do momento

    Ronald Searle: "Eu só sei desenhar"


    por Dorrit Harazim



     O ano de 2012 nasceu com um traço a menos. A perda, dois dias antes da virada do calendário, não foi pequena. O dono do traço que se extinguiu chamava-se Ronald Searle. Morreu dormindo, aos 91 anos de idade. Não fosse assim, talvez tivesse morrido de lápis na mão, rabiscando a própria despedida.

    Seu derradeiro livro, publicado quatro meses atrás e intitulado Les Très Riches Heures de Mrs. Mole, é uma coletânea de desenhos criados para aliviar as sessões de quimioterapia e radioterapia com que Monica combateu um câncer de mama. Foram 47 sessões ao longo de cinco anos. Para cada sessão criou uma nova faceta da toupeira radiosa e adorável inventada pelo artista para representar a companheira com quem viveu cinquenta anos. Monica morreu em julho passado. “Eu não podia fazer mais nada por ela”, concluiu, “pois só sei desenhar.” Só?




    leia mais aqui

    sexta-feira, fevereiro 24, 2012

    Ela tentou salvá-los da Cracolândia

    Como uma estudante de engenharia da USP deixou o conforto de casa para “adotar” três moradores de rua; dois deles viciados em crack.



    leia a reportagem clicando aqui

    Roda Viva - Laerte

    quinta-feira, fevereiro 23, 2012

    Pela COCHLEA: First Aid Kit - Dancing Barefoot (Patti Smith)

    VI: XXY (dir Lucia Puenzo Arg, 2007)

    Quando ia nas férias para uma cidadezinha balneária no Uruguai conheci uma menina chamada Alex.
    Alex é hermafrodita.

    Bom filme da diretora argentina Lucia Puenzo, mais uma em nossa série sobre identidade sexual.

    Acabou o Pinheirinho: veja as imagens e as lembranças do lugar que abrigou 9000 pessoas


    "Acabou o Pinheirinho, entendeu? Isso aqui é propriedade privada, entendeu?" O segurança dirige-se a três homens que saíam do terreno de 1,3 milhão de metros quadrados, que já foi um bairro pobre de São José dos Campos, com casas, bares, igrejas, jardins e ruas, hoje desfeito em escombros.

    "Dezoito dias depois daquela guerra, os gatos e cachorros estão esfomeados, assustados, desidratados, mas ainda esperam por seus donos, em cima dos escombros das casas em que viviam", afirma Veriane. 

    Soterrados também foram livros, roupas, bonecas, brinquedos, camas, documentos, discos, geladeiras, fotos, bordados. Anda-se pelo terreno tropeçando em lembranças.

    leia mais aqui
    (e assista ao videocast) 

    Google Glasses: Frightening Or Fantastic?

    Carnaval de Charges



    (Belo Horizonte, MG)



    (São Paulo, SP)



    (Belo Horizonte, MG)






    PELICANO
    Sao Paulo, SP

    clique nas charges para ve-las maiores
    para ver outras charges clique em
    "marcadores: charges" 

    Marcadores: , , ,

    Faltou Maria Antonieta: Wall Street celebra os lucros com a crise


    O jantar black-tie no St. Regis Hotel de Manhattan foi de arromba. Os 200 senhores que afluíram ao salão de candelabros na noite de 19 de janeiro passado, acompanhados ou não de suas damas, tinham o que celebrar: um aniversário e os lucros com a crise. Eram todos membros da Kappa Beta Phi, o exclusivo e fechadíssimo clube de grandalhões de Wall Street, que comemorava 80 anos de existência. Todos membros graúdos demais para naufragar — ou, mesmo quando náufragos, certos de receberem socorro de Washington.
     artigo de DORRIT HARAZIM
    ilustração de CRUZ 











    Marcadores:

    Fechando o carnaval com Siba



    No fim da bagaceira
    Minha vista escureceu
    Se alguém souber meu nome
    Diga pra mim, quem sou eu
    Vou dormir na calçada
    Abraçado a um cachorro
    Pra uma alma cebosa
    Me levar carteira e gorro

    E ainda se dar mal
    Pois não tenho um real

    Pode acabar-se o mundo
    que eu vou brincar carnaval

    (SIBA)

    quarta-feira, fevereiro 22, 2012

    THE COPYRIGHT INDUSTRY - A CENTURY OF DECEIT




    The past 100 years have seen a vast array of technical advances in broadcasting, multiplication and transmissions of culture, but equally much misguided legislators who sought to preserve the old at the expense of the new, just because the old was complaining.

    It started around 1905, when the self-playing piano was becoming popular. Sellers of note sheet music proclaimed that this would be the end of artistry if they couldn’t make a living off of middlemen between composers and the public, so they called for a ban on the player piano

    In the 1920s, as broadcast radio started appearing, another copyright industry was demanding its ban because it cut into profits. 

    In the 1940s, the movie industry complained that the television would be the death of movies, as movie industry profits dropped from $120 million to $31 million in five years. Famous quote: “Why pay to go see a movie when you can see it at home for free?”

    In 1972, the copyright industry tried to ban the photocopier. This push was from book publishers and magazine publishers alike. “The day may not be far off when no one need purchase books.

    The 1970s saw the advent of the cassette tape, which is when the copyright industry really went all-out in proclaiming their entitlement. Ads saying “Home taping is killing music!” were everywhere

     The 1980s is a special chapter with the advent of video cassette recorders. The copyright industry’s famous quote when testifying before the US Congress – where the film lobby’s highest representative said that “The VCR is to the American film producer and the American public as the Boston strangler is to the woman home alone” - is the stuff of legend today

    Right after the turn of the century, the use of Digital Video Recorders was called “stealing” as it allowed for skipping of commercials (as if nobody did that before).

    In 2003, the copyright industry tried to have its say in the design of HDTV with a so-called “broadcast flag” that would make it illegal to manufacture devices that could copy movies so flagged.

    Every time something new appears, the copyright industry has learned to cry like a little baby that needs more food, and succeeds practically every time to get legislators to channel taxpayer money their way or restrict competing industries.

    READ MORE HERE

    E se os artistas clássicos da pintura fizessem uso do PhotoShop?

    Autor iraniano exilado cria ‘novela’ em quadrinhos na web inspirado em blogs




    Intitulado O Paraíso de Zahra - nome também de um cemitério em Teerã - o livro conta a história de uma mãe (Zahra) à procura do filho desaparecido (Medhi, de 19 anos).

    "Se você é um jornalista no Irã, há grandes chances de que sua câmera seja confiscada. Mas tudo o que você precisa é de uma caneta e a sua imaginação".
    "Quando você combina a imagem e a internet, todas as barreiras de espaço, tempo e linguagem que te impedem de dar seu recado com rapidez desaparecem".

    leia mais aqui 

    terça-feira, fevereiro 21, 2012

    Carnaval de Charges

    (Piracicaba. SP)
     
     
     
      (Belo Horizonte, MG)
     
     
     
     
    (Joinville, SC)
     
     
     
     
    (Rio de Janeiro, RJ)
     
     
     
    clique nas charges para ve-las em tamanho maior
    para ver outras charges clique em marcadores:charges

    Marcadores: , , , ,

    Swedish Man Survives Two Months Inside Snow-Covered Car




    Doctors say the 44-year-old entered a dormant, hibernation-like state which allowed him to withstand sub-zero temperatures.

    read the story here

    segunda-feira, fevereiro 20, 2012

    VI: Tomboy (dir Celine Sciamma, França, 2011)



    Quando eu era criança apareceu um menino novo na nossa rua.
    Acabou se enturmando com todo mundo, participava das brincadeiras todas, tinha uma menina até que era meio caida por ele.
    Ele dizia que era menino mas ela era menina.

    Excelente filme sobre a identidade sexual.

    Olha o carnaval da cultura aí gente!!


    Duo Moviola - O retrato do artista quando pede 

    Pra sobreviver de arte em São Paulo
    Tenta o SESC, tenta o SESC
    Mas se o programador não for com a tua cara
    Esquece, esquec

    Marcadores:

    Empresa vencedora desconhece regras básicas de edital de aeroportos


    Em conversa com analistas, Carlo Bottarelli disse que os investimentos estão condicionados à demanda. "Se não tiver demanda, não tem investimento.".
    O edital estabelece que o risco de demanda (ou seja, se a demanda prevista pelo governo não se concretizar) é do operador. E que ele está obrigado a investir, independentemente da demanda, até o fim da concessão --em 30 anos, no caso de Viracopos. 

    A obra requer uma grande movimentação de terra por se tratar de terreno acidentado. À Folha Bottarelli demonstrou desconhecer a complexidade da obra. "Não creio que deve movimentar muita terra. É uma área plana."
    Bottarelli disse ainda que não vê complexidade na operação de aeroportos. "É diferente de um foguete. É alocação de espaço, de custo e de receita imobiliária. É como shopping."

    leia mais aqui

    domingo, fevereiro 19, 2012

    Caiu a ficha!


    (São Paulo, SP)





      (Vitoria, ES)
     
     clique nas charges para ve-las maiores
    para ver outras charges clique em
    "marcadores: charges"


    Marcadores: , ,

    Sobre o que pode uma cronista de tecnologia escrever em pleno sábado de carnaval? Música enlatada.




     

    Houve um tempo em que todos nós gravávamos música que tocava na rádio ou nas nossas vitrolas (assim se chamavam os players da época) para fazer fitas com as nossas favoritas. A circulação dessas fitas entre o meu grupo de amigos era grande, e nunca causou problemas a ninguém, nem à indústria fonográfica, nem aos gravadores das fitas. As produtoras de discos achavam, muito acertadamente, que quanto mais os seus produtos circulassem, mais conhecidos ficariam, e mais chances teriam de ser vendidos.

    Nesses tempos de retorno ao cinema mudo, com “O artista” arrebanhando prêmios onde quer que passe, não deixa de ser curioso constatar como a primeira atitude das corporações é se porem contra toda e qualquer inovação tecnológica. Quando o cinema falado chegou às telas, a American Federation of Musicians pegou em armas figurativas contra a nova novidade. Criou uma Liga de Defesa da Música, e inundou jornais e revistas com uma agressiva campanha publicitária contra a música gravada. Segundo o site da revista do Smithsonian, a Liga gastou mais de U$ 500 mil em publicidade, pedindo ao público que exigisse música ao vivo nos teatros e nos cinemas. O vilão da campanha era um robô mal-encarado que, com o tempo, substituiria todos os músicos humanos.
    Assim como a batalha da MPAA contra o vídeo-cassete, esta também fracassou. Os pianeiros e as pequenas orquestras que tocavam nos cinemas acabaram, de fato, mas a indústria da “música enlatada” abriu um mercado gigantesco para os músicos, que tanto haviam reclamado…


    sábado, fevereiro 18, 2012

    Pela Cochlea; Leonard Cohen - Amen



    Tell me again when the day has been ransomed
    And the night has no right to begin
    Try me again when the angels are panting
    And scratching at the door to come in.
    Tell me again when I'm clean and I'm sober
    Tell me again when I've seen through the horror
    Tell me again, tell me over and over
    Tell me again that you need me then
    Amen, Amen, Amen, Amen Amen

    sexta-feira, fevereiro 17, 2012

    PSDB foi superado



    CLAUDIO
    (São Paulo, SP)

    Marcadores: ,

    Aragão: Um Laerte no banheiro incomoda muita gente





    Estamos entrando no âmbito do filósofo Eric Hobsbawn, das definições de “costumes” e “tradições inventadas”. Não creio que o argumento da “conversa no banheiro” possa ser determinante para se proibir o acesso de alguém. Temos de criar novos costumes, não apenas repudiar o que nos parece errado por colocar em xeque antigas tradições. Os costumes, graças ao Grande Designer do Universo, mudam o tempo todo.
    As mulheres têm direito à privacidade, mas precisamos encarar os pontos fora da curva e procurar soluções para eles, embasadas democraticamente. Quanto aos tarados, não me parece que tenham o hábito salutar de obedecer as regras sociais. Se cismarem de entrar num banheiro feminino não serão impedidos por costumes e tradições. Acharão uma maneira, como sempre fizeram, sem precisar de um precedente. O que não dá é tentarmos parar as transformações do mundo sem uma análise mais profunda do problema.
    Não me parece que o caso de Laerte seja o de um indivíduo surtado, mas sim um sinal de que as coisas estão mudando. Por isso, sugiro que mudemos o ângulo de nosso enfoque sobre esse dilema.

    leia o post completo aqui

    Peruano põe goleada argentina em 1978 sob nova suspeita




    Genaro Ledesma Izquieta disse que a partida de futebol estava ligada a um acordo político costurado pelas ditaduras de Argentina e Peru e fez parte da Operação Condor, plano de cooperação entre regimes militares sul-americanos para eliminar opositores. 

    leia mais aqui



    quinta-feira, fevereiro 16, 2012

    Como poderia estar sendo o carnaval da Bahia



    CHICO CARUSO
    (Rio de Janeiro, RJ)



    THOMATE
    Rio Preto, SP




    (Campinas, SP)



    PELICANO
    Sao Paulo, SP 



    (Belo Horizonte, MG)


     clique nas charges para ve-las maiores
    para ver outras charges clique em
    "marcadores: charges" 





    Marcadores: , , , , ,

    terça-feira, fevereiro 14, 2012

    Pela COCHLEA: Tom Waits - Blue Valentines



    She sends me blue valentines
    Though I try to remain at large
    They're insisting that our love
    Must have a eulogy
    Why do I save all of this madness
    In the nightstand drawer
    There to haunt upon my shoulders

    She sends me my blue valentines
    To remind me of my carnal sin
    I can never wash the guilt
    Or get these bloodstains off my handa
    And it takes a lot of whiskey
    To take this nightmares go away
    And I cut my bleedin heart out every nite
    And I die a little more on each st valentines day

    VI: The Girl with the Dragon Tatto (dir David Fincher bas Stieg Larsson, EUA, 2011)



    Num ótimo thriller, David Fincher aprimorou o filme sueco anterior, e melhorou bastante o livro original da série Millenium.

    Se eu já gostava de Lisbeth Salander, agora, então, depois da última cena nesta versão...

    Na madrugada de 22 de janeiro, um domingo, ou seja, há menos de um mês, a Polícia Militar irrompeu no terreno ocupado irregularmente e retirou os moradores de suas casas, tangendo-os para fora do perímetro da propriedade. Em seguida, máquinas contratadas pelos administradores da massa falida da indústria de café Selecta, suposta proprietária, arrasaram as casas, destruindo móveis, utensílios domésticos, documentos e recordações daquela gente.


    Pois bem: CartaCapital acaba de demonstrar que a pressa da Justiça em mandar devolver o terreno à massa falida da Selecta tem muitos aspectos suspeitos. Os repórteres da revista realizaram o trabalho que o resto da imprensa brasileira não soube ou não quis fazer: foram examinar a história do terreno que é reclamado por Nahas e descobriram fortes indícios de que a Justiça foi vítima ou cúmplice de um típico “cambalacho”.
    Além das velhas suspeitas de grilagem, diz o texto, sobram provas de que o especulador tentou de muitas formas burlar o pagamento de impostos e nunca usou o terreno para outra coisa além de apresentá-lo como garantia para a obtenção de empréstimos bancários.


    A retirada dos moradores pobres deve valorizar ainda mais o imóvel, que, segundo demonstra a reportagem, não precisava entrar na conta dos débitos da Selecta para que fossem pagos os direitos trabalhistas apontados como justificativa para a reintegração de posse. De mesma forma, não havia outro motivo para tanta pressa na desocupação do imóvel – a não ser como forma de atender ao desejo de lucro do especulador.



    Portugal cria versão de protesto do hit "Ai se eu te pego"


    Manifestantes portugueses criaram uma versão da música do cantor sertanejo Michel Teló para ser cantada durante protestos contra as medidas de austeridade, em meio à crise econômica na Europa. A música tem o refrão "Ai, não, não nos calam".

    Kodak, Yahoo, direitos autorais e a inevitabilidade do digital

    Por Alexandre Matias

    Um deles é a concordata da Kodak e o outro, a demissão de Jerry Yang, um dos criadores do Yahoo, do cargo de “cofundador e líder” do site (sim, esse era seu cargo). Ambas notícias podem ser comparadas à clássica anedota sobre a inevitabilidade do digital – quando as grandes gravadoras do mundo resolveram processar seus próprios consumidores (que, graças ao Napster, descobriram que era possível baixar música de graça e à vontade) e deram início ao fim de seu próprio monopólio, o da música gravada e lançada em mídias físicas.

    A Kodak, uma empresa centenária, inventou a câmera fotográfica portátil que a tornou sinônimo do aparelho que popularizou. Mas também inventou a primeira câmera digital – na pré-história do mundo digital, nos anos 70. Mas como também vivia de vender filmes, preferiu não investir neste setor, com medo de perder o mercado analógico. Mas, ao manter-se irredutível nesta posição, viu ao mesmo tempo o mercado que queria proteger sumir e outras empresas assumirem as rédeas da fotografia digital. 

    Mas o que estamos assistindo em 2012 é ao aumento da truculência e da força política de uma indústria que, como a Kodak e o Yahoo, preferem não abraçar o digital inevitável e agarrar-se a uma legislação que não faz sentido em tempos digitais.

    leia o artigo completo aqui

    Quem deve usar o banheiro feminino? Laerte responde




    Por Marina Caruso

    Será que o de fato de um homem se vestir de mulher o outorga o direito de usar o toalete feminino? E eu? Se me vestir de homem posso frequentar o banheiro masculino? Fiquei com isso na cabeça o fim de semana todo. Discuti com o lado mais moralista (e com o mais libertário também) da minha família e não cheguei a nenhuma conclusão. Então, resolvi ligar para o Laerte e fazer a pergunta para ele. A resposta foi:

    leia mais clicando aqui

    O bloco da PM baiana



    (Recife-PE)
     
     
     
     
    (Rio de Janeiro, RJ)
     
     
     
      (Campinas, SP)
     
     
     
     
    CHICO CARUSO
    (Rio de Janeiro, RJ)
     
     
     
     
      (Piracicaba. SP)
     
     
    clique nas charges para ve-las
    num tamanho maior que o padrão do Blogger

    para ver outras charges clique em
    "marcadores: charges"
     

    Marcadores: , , , , ,

    segunda-feira, fevereiro 13, 2012

    Benjamim Moser: Why I love Brazil




    Everywhere I went, I found everything I expected to find. There was no lack of golden beaches, colonial charm, scary rain forests, soccer players, tropical rhythms and chatty hookers. I drank cachaça-based cocktails; I got a tan. 

    All of those things I more or less expected. I didn't expect to find a gigantic factory in Recife that its owner, the sculptor Francisco Brennand, had spent half a century transforming into a total work of art full of abstract ceramic genitalia. I didn't expect anything like "The Passion According to G.H.," a novel written by a part-time Rio beauty columnist named Clarice Lispector, about a well-to-do lady who, at the height of a mystic crisis, eats a roach.

     That was how it went all over the country. Every time I thought I had seen something, another door would open and make me realize everything I had missed.

    It's not that the country doesn't still have its problems. It's because if Brazil, with all its enormous challenges, can come this far this fast, there's hope for the rest of us too. 

    read full article here


    Marcadores:

    domingo, fevereiro 12, 2012

    Pela COCHLEA: Thomas Dybdahl - Something Real




    Oh...I need dirt and twigs that break beneath my feet

    Francisco Bosco: O Itaú e o Alalaô

    Embora eu seja, obviamente, a favor das bicicletas compartilhadas disponibilizadas pela prefeitura do Rio, considero um abuso o fato de elas serem inteiramente laranjas, com logos enormes do Itaú na frente e nas laterais. Então um serviço público, que de resto é pago, obriga os usuários a se fantasiarem de garotos-propaganda de um banco?

    A política do choque de ordem é em boa parte o avatar mais recente dessa postura colonizada. Talvez nunca tal política tenha sido mais inadequada, pois se trata de desprezar a singularidade brasileira justamente no momento em que o mundo inteiro parece tê-la descoberto (sem falar que ela reproduz, na sua suposta ordem, práticas arraigadas da desordem brasileira). É verdade que a proposta de um choque de ordem visa também a combater o grande problema da formação brasileira, que é o problema da legalidade, da falta da lei, da lei que não pega, da lei que só é lei para alguns. Mas é preciso sensibilidade antropológica para saber diferenciar entre a necessidade, justa, de acabar com os estacionamentos em fila dupla e a imposição, absurda, de uma única cor para os guarda-sóis da praia.

    leia a coluna completa de FRANCISCO BOSCO clicando aqui


    sábado, fevereiro 11, 2012

    UiWando para a Lua


     QUINHO 
    (Belo Horizonte, MG)
     
     
     
     
      (Vitoria, ES)
     
     clique nas charges para ve-las maiores
    para ver outras charges clique em
    "marcadores: charges"
     

    Marcadores: , ,

    sexta-feira, fevereiro 10, 2012

    is-the-help-the-most-loathsome-movie-in-america/




    I'm not sure why so many people flocked to spend hours in this world of American apartheid. For me, watching The Help was like visual waterboarding. Still, Viola Davis should win the Oscar for Best Actress

    read Toure´s article here


    Pela COCHLEA


    Comadre Fulozinha - Ô Papai


    Eu vou fazer o meu vestido Todo cheio de modelo Cheio de cava e botão E quando eu me vestir nele Vou me embora pro sertão. Voar, voar como um pavão Que é bicho do bico dourado Eu tô namorando um soldado Do bando de Lampião. 







    Marcadores:


    e o blog0news continua…
    visite a lista de arquivos na coluna da esquerda
    para passear pelos posts passados


    Mas uso mesmo é o

    ESTATÍSTICAS SITEMETER