This site will look much better in a browser that supports web standards, but it is accessible to any browser or Internet device.



blog0news


  • Acabar com a corrupção eh o objetivo supremo de quem ainda nao chegou ao poder. (Millor Fernandes)

  • Vislumbres

    Assinar
    Postagens [Atom]

    Powered by Blogger

    Fragmentos de textos e imagens catadas nesta tela, capturadas desta web, varridas de jornais, revistas, livros, sons, filtradas pelos olhos e ouvidos e escorrendo pelos dedos para serem derramadas sobre as teclas... e viverem eterna e instanta neamente num logradouro digital. Desagua douro de pensa mentos.


    sábado, outubro 15, 2011

    Charge Professoral



    (Belo Horizonte, MG)

    clique na charge para ve-la em tamanho maior


    para ver outras charges clique em marcadores:charges

    Marcadores: ,

    Rafinha Bastos, entre a graça e a grosseria

    De Tutty Vasques:

    Amplify’d from blogs.estadao.com.br
    ilustração pojucan

    São 3 milhões de seguidores na rede social dando força pro cara avançar nas bobagens que diz até que, um passinho em falso, sai todo mundo acusando que “agora ele foi longe demais”.

    O humor, como se sabe, reside na fronteira entre a graça e a grosseria. O lado certo todo mundo sabe qual é! Acontece que, quanto mais o autor da piada se aproxima desta linha tênue, melhor seu desempenho.

    De vez em quando – é inevitável! – um infeliz se esborracha no terreno da indelicadeza gratuita.

    Read more at blogs.estadao.com.br
     

    Listening to João Bosco & Aldir Blanc : Sonho de Caramujo

    Nem menino eu era garotinho

    Vivia adulto sozinho

    Eu nunca fui aonde eu ia

    Andava em má companhia

    Entrava no livro que lia e fugia



    Neguinho me vendo em Quixeramobim

    E eu andando de elefante em Bombaim



    Não vou pro céu, mas já não vivo no chão

    Eu moro dentro da casca do meu violão


    Occupy Wall Street? What about Occupy Sesame Street?

    Amplify’d from latimesblogs.latimes.com
    Sesame_street
    Michael Busch tweeted: "Truly outrageous that 99% of the cookies are consumed by 1% of the monsters on PBS."

    James McKay came up with: "Why do they need a Big Bird?! It's a recession, what about a medium sized bird?"

    And Jon Lustig writes: "Wages at Mr. Hooper's store have frozen since 1982."

    Read more at latimesblogs.latimes.com
     

    sexta-feira, outubro 14, 2011

    A versão masculina do anúncio da Gisele Bundchen


    21st Century Protest Music: What is the music of Occupy Wall Street?

    Amplify’d from www.npr.org
    As a veteran of many street protests and an amateur historian of popular music rabble rousing, I've been waiting for someone to grab center stage in Zuccoti Square and emerge as a new Bob Dylan or Joan Baez. This political movement gone viral, which some identify as the leftist version of what the Tea Party wrought a couple of years earlier, has no leading musical voice. Who will emerge to take up the challenge, to write the 21st-century version of the great hymn of the labor and civil rights movements, "We Shall Overcome"?

    Mostly, though, the music of Occupy Wall Street has been generated not by known performers or even people who necessarily call themselves "artists." It's emerged from the cloud that's spread on the ground. The same 21st-century style organizers who've been holding twice-daily meetings to come to consensus, privileging process over a set of clear objectives, are engaging in the kind of culture-making that dominates the Tumblr-loving, home recording-making, music industry-scorning future thinkers taking pop into its next phase.

    At the Occupy protests from New York to San Francisco, people do their own thing and find themselves coming together.
    Read more at www.npr.org
     

    quinta-feira, outubro 13, 2011

    Ouvindo José González - Deadweight on velveteen

    Deadweight on velveteen

    It's retained emptiness

    It's not what it seems

    Uncover the mystery

    Tell everyone what you see

    It's not what it seems

    Vulgar when brought to light


    Art Spiegelman On The Future of the Book

    Dica de Mike Deodato

    Amplify’d from www.publishersweekly.com
    If you’re going to visit and re-visit a book, it has more reason to be a real book, because of that ability to concentrate and that relationship that you build up with it, as opposed to the relationship that you build up with your screen, rewards replacement. Even on the iPad or the Kindle, you’re rewarded for pressing a button—it’s almost as if it were a Pavlovian thing. There’s a little action that happens. And that there’s always a little pump of adrenaline that happens. But that pump is different when you’re lifting a page as if it was a curtain in a theater to show you another thing.
    The book has very specific qualities. Let’s say in 2300 they discover the physical book, after having lived with the digital book for several hundred years. They’ll be able to say, “Look at all the cool stuff you can have in a real book and how different it is.” The differences are manifold.
    None of this is about the business model. It has to do with the boutique nature of a book, the idea that, as McLuhan put it, when a technology is replaced by another technology, the previous technology either becomes art or it dies.
    Read more at www.publishersweekly.com
     

    Apple Announces Plans To Release Steve Jobs 2

    Amplify’d from www.theonion.com

    Apple CEO Tim Cook announced that in 2012 the company will release the Steve Jobs 2, an updated version of the revolutionary Apple founder featuring a richer, deeper voice and a sleek new white turtleneck.



    Read more at www.theonion.com
     

    quarta-feira, outubro 12, 2011

    Charges das Crianças

    (Rio de Janeiro, RJ)
     
     
     
     
    (Belém, PA)
     
     
     
     
      (Recife, PE)
     
     
     
     
    (São Paulo, SP)
     
    clique nas charges para ve-las em tamanho maior
    para ver outras charges clique em marcadores:charges    

     

    Marcadores: , , , ,

    Arnaldo Bloch: Escravos de Jobs

    Amplify’d from oglobo.globo.com
    Mas não consigo, por mais que me esforce,
    sofrer a perda de Steve Jobs como se fosse a
    de um parente, de um ídolo, de um Lennon, de
    um profeta, de um gênio. O que é um gênio,
    afinal?
    A revolução
    é coletiva, vem das bases, das necessidades
    humanas que fazem mover a sociedade,
    para o bem e o mal. As soluções que Jobs
    criou seriam implementadas de uma forma ou
    de outra, por ele ou por alguém diferente,
    mais cedo, mais tarde, sem diferença fundamental
    numa visão “fora” do foco e do contexto
    no qual já nos inserimos.
    Jobs não “inventou o futuro” coisa nenhuma.
    O futuro teria vez sem ele. A perda de
    Jobs é a perda de um pensador, um formulador
    brilhante.
    Foi um empresário. Um
    homem que potencializou um b usi ne ss . Que
    recorreu aos mesmos mecanismos de concorrência,
    alguns sórdidos, aos quais outros
    monstros da indústria tecnológica recorreram:
    bloqueou acessos, fez acordos de exclusividade
    com operadoras, brecou o download
    de aplicativos que confrontassem seus interesses.
    Criou, com a linha de iPhones, um frisson
    de consumismo galopante que tem muitos
    paralelos com o que Bill Gates implementou
    com seu Windows, fazendo dos usuários
    reféns das próximas versões em cascata.
    No caso de Jobs, haveria um agravante:
    seus súditos não apenas necessitam da próxima
    versão, mas veem nela um sentido
    maior, estético, sobrenatural.
    Read more at oglobo.globo.com
     

    Charge Corrupta



    (Curitiba, PR)
     
      clique na charge para ve-la em tamanho maior
    para ver outras charges clique em marcadores:charges


    Marcadores: ,

    Guy wearing superhero outfit takes to the streets to combat crime

    Amplify’d from newsfeed.time.com
    The masked "vigilante," dressed in a rubber costume that looks like a combination of used Spawn and Batman outfits, was arrested and sat in King County Jail before he posted $3,800 bail,

    To give a little background on this crime fighter who seems to be garnering international headlines, Phoenix Jones is apparently the alter ego of mixed martial arts fighter Benjamin Fodor. He is the leader of a group of super-friends called the Rain City Superhero Movement, according to his Facebook page, who pledge to get in the way every time something happens in the street intervene when the weak need defending.

    Read more at newsfeed.time.com
     

    terça-feira, outubro 11, 2011

    Gisele Bundchen is too sexy for Brazil

    Amplify’d from www.thedailybeast.com
    Gisele Bundchen in Hope Lingerie Ad





    The Brazilian government attacks a sexy lingerie ad campaign with übermodel Gisele Bündchen as sexist, prompting cartoons, lampoons—and the underwear company laughing all the way to the bank.


    Mac Margolis
    Read more at www.thedailybeast.com
     

    Is this the new egyptian regime? Blogger reaches 50th day of hunger strike

    Maikel Nabil Sanad is today entering his 50th day of hunger strike. The Egyptian blogger has been abstaining from food since 23 August in protest of a three-year sentence handed to him by a military court on charges of “insulting the armed forces” and “spreading false news” in a blog post published last March.

    Sanad had accused the Egyptian military of having conducted virginity tests on female protesters earlier that month — a charge that a senior military general later admitted was true
    Read more at uncut.indexoncensorship.org
     

    Ouvindo Eddie Floyd - Things get better (1966)

    Pra melhorar a noite!!


    O mundo todo chora




    (Rio de Janeiro, RJ)
     
    clique na charge para ve-la maior
    para ver outras charges clique em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    Cacá Diegues: o despotismo da Economia

    Amplify’d from www.itamaraty.gov.br
    O pior desse capitalismo contemporâneo, o capitalismo financeiro que gira como uma roleta nas bolsas de valores do mundo inteiro, é a dependência material e simbólica que a humanidade vive hoje da economia. Uma tirania mítica em que a economia substitui o indiscutível poder divino da Idade Média, com seu terrorismo financeiro e promessas de apocalipses inquisitoriais, se não seguirmos seus sinais proféticos, suas tábuas de mandamentos.
    O mundo precisa dar um jeito de aprender a viver sem a opressão da economia, sem o seu despotismo. Não é possível que, ao acordarmos, nosso primeiro pensamento seja sempre para ela e seus números, como indicação do que faremos pelo resto do dia e de nossas vidas.
    A vida é mais importante que a economia, a primeira não pode estar submetida ao despotismo da outra. Os valores de nosso mundo vêm sendo estabelecidos pela aritmética da especulação, sem projeto que inclua o bem-estar da humanidade, para dizer o mínimo. Até já esquecemos o pretexto do progresso que justificava o capitalismo produtivo. Sei que a humanidade não é mesmo lá grande coisa e que o mundo vai estar sempre muito aquém de nossos projetos. Mas, se ignorarmos o desejo contido nesses projetos, perderemos o sentido de nossa existência. É claro que também queremos o progresso. Mas entre o progresso e a civilização, vou escolher sempre a civilização.
    CACÁ DIEGUES
    Read more at www.itamaraty.gov.br
     

    Palavras: Arnaldo Bloch

    A morte de Jobs me fez pensar num contemporâneo

    seu, o finlandês Linus Torvalds, o

    criador do Linux: ninguém fala dos valores

    que poderiam ter sido implementados a partir

    de sua criação, de caráter bem mais ético e

    bem menos comercial. Estaríamos num mundo

    melhor, mais barato e mais plural se as

    ideias de Linux também tivessem vingado.




    - Arnaldo Bloch



    "Escravos de Jobs"

    Marcelo Tas: Adeus Zé, precursor do stand up brasileiro

    Amplify’d from blogdotas.terra.com.br

    Lá se vai José Vasconcelos, 85 anos,  joia rara do humor brasileiro.

    Atuou em teatro, cinema e TV (Record, Band, SBT e Globo) e foi precursor do Stand-Up no Brasil. Seu show “Eu Sou um Espetáculo” lotava os 2 mil lugares do Teatro Paramount com sete sessões semanais (sete!) em São Paulo e ficou uma década em cartaz!
    Read more at blogdotas.terra.com.br
     

    Xexéo: Rafinha Bastos - a nova censura

    Amplify’d from oglobo.globo.com
    A reação à suposta piada de Rafinha Bastos pode gerar mais uma interminável discussão sobre os limites do humor. E, associada ao movimento do governo para tirar do ar um comercial com Giselle Bündchen que estaria manchando a imagem da mulher brasileira, deixa a desagradável sensação de que há uma nova censura nos rondando. Não ficou claro quem suspendeu o comediante. Foi a emissora? Foi a produção do programa? Há insinuações de que, como a piada (não vou repeti-la aqui) atingia a mulher de um empresário com fortes ligações nos meios publicitários, o motivo seria pressão comercial.

    A piada de Rafinha é machista e sem graça. Mas quantas piadas machistas e sem graça já foram proferidas por esta nova geração de stand ups que tomou conta da comédia brasileira, e ninguém foi suspenso em lugar algum? A Rede Bandeirantes e o “CQC” têm todo o direito de considerar o humor de Rafinha Bastos inadequado para seus propósitos. Mas suspendê-lo por improvisar uma piada polêmica num programa que vive de improvisos, piadas, polêmicas e, principalmente, liberdade é voltar aos tempos de Catifunda.
    See more at oglobo.globo.com
     

    Querem diminuir as Unidades de Conservação das florestas

    Amplify’d from oglobo.globo.com

    SÃO PAULO - A pressão para reduzir os limites de Unidades de Conservação (UC) federais aumentou no Congresso Nacional. A falta de regulamentação fundiária, a ausência de fiscalização e a demora para criar planos de manejo sustentáveis acirram os conflitos sociais e fazem com que deputados de vários estados apresentem projetos de lei para alterar as regras. Em agosto passado, a presidente Dilma Rousseff alimentou a polêmica ao apresentar a MP 542, que revê o limite de três Parques Nacionais na Amazônia.

    embora as UCs tenham sido criadas para proteger as florestas, apresentam grande devastação. Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o desmatamento em 132 UCs mais do que dobrou na última década, passando de 5 mil para 11,5 quilômetros quadrados - um aumento de 127%.

    Read more at oglobo.globo.com
     

    Listening to Adriana Calcanhoto - Eu vivo a sorrir


    segunda-feira, outubro 10, 2011

    Bert Jansch, innovative and imaginative guitarrist

    Amplify’d from www.guardian.co.uk

    Innovative, influential guitarist and founder member of the groundbreaking folk band Pentangle

    'Journey into Love' TV Programme - 1971

    Of all the guitarists to emerge from the early days of the British folk music revival, it was Bert Jansch, who has died aged 67, who had the most sustained influence, not only within folk circles, but also on the wider music scene. To Led Zeppelin's Jimmy Page, Jansch was "the innovator of the time … so far ahead of what anyone else was doing". Johnny Marr of the Smiths described Jansch's effect on his musicianship as "massive … one of the most influential and intriguing musicians to have come out of the British music scene". Other artists he influenced included Paul Simon, Donovan and Neil Young, with whom Jansch toured in the US in 2010.

    His finger-picking playing style included a good deal of improvisation, bending the strings and varying the time signatures to fit the natural rhythm of the words of a song.

    Read more at www.guardian.co.uk
     

    Já tomou seu Toddynho hoje?

    (Campinas, SP) 
     
    clique na charge para ve-la em tamanho maior
    para ver outras charges clique em marcadores:charges 

    Marcadores: ,

    The Onion: Last American Who Knew What The Fuck He Was Doing Dies

    Amplify’d from www.theonion.com
    CUPERTINO, CA—Steve Jobs, the visionary co-founder of Apple Computers and the only American in the country who had any clue what the fuck he was doing, died Wednesday at the age of 56. "We haven't just lost a great innovator, leader, and businessman, we've literally lost the only person in this country who actually had his shit together and knew what the hell was going on," a statement from President Barack Obama read in part, adding that Jobs will be remembered both for the life-changing products he created and for the fact that he was able to sit down, think clearly, and execute his ideas—attributes he shared with no other U.S. citizen. "This is a dark time for our country, because the reality is none of the 300 million or so Americans who remain can actually get anything done or make things happen. Those days are over." Obama added that if anyone could fill the void left by Jobs it would probably be himself, but said that at this point he honestly doesn’t have the slightest notion what he’s doing anymore.
    Read more at www.theonion.com
     

    Steve Jobs, o ultimo grande tirano

    Amplify’d from www.estadao.com.br
    "Não quero diminuir em nada a obra dele, mas estamos vendo um nível de adulação que vai além do que seria merecido"
    Ele triturou subordinados e sócios cujo desempenho não o satisfez, arrasou concorrentes que não chegaram aos pés dele e disse a supostos entendidos da indústria que fossem passear. Jobs tinha uma visão da grandeza que brandiu para transformar as indústrias dos computadores, da telefonia e do entretenimento, e não aceitava fazer nenhum tipo de concessão.

    Talvez isso decorra simplesmente do desespero que os americanos têm sentido em relação à estagnação da economia do país, mas o anúncio da morte do cofundador da Apple, na quarta feira, pareceu marcar o fim de algo. Numa era de limites, Jobs foi o último grande tirano.

    DAVID STREITFELD
    Read more at www.estadao.com.br
     

    Os desaparecidos do Rio de Janeiro

    Amplify’d from www.comcausa.org.br
    escancarou
    foi a ocultação do cadáver de Juan, que escancarou mais uma vez uma prática frequente no Estado do Rio de Janeiro: o desaparecimento de corpos, sinistra herança da ditadura militar.
    o número dos desaparecidos no Rio de Janeiro tem aumentado nos últimos anos em razão do advento das milícias.

    Além de ser uma morte sem fim, já que não há corpo, sepultura e um momento específico para o luto,  um desaparecido que nunca vai voltar, como Mateus,  gera uma série de desgastes civis para suas famílias. Sem atestado de óbito,  foi demitido por justa causa, sem direito à indenização. Seus dependentes ficaram anos sem direito à pensão nem ao seguro de vida.  O carro, com mais da metade das prestações pagas – cuja propriedade seria de Mateus em caso de morte – ficou perdido.

    Read more at www.comcausa.org.br
     

    Ouvindo Leisure Society - Something (George Harrison)


    Richard Stallman, ativista do software livre: 'Estou feliz porque Jobs se foi'

    Amplify’d from oglobo.globo.com

    "Steve Jobs, o pioneiro do computador que é uma prisão mas que parece ser cool, projetado para privar os tolos de sua liberdade, morreu.

    "Como o prefeito de Chicago Harold Washington disse uma vez sobre o ex-prefeito corrupto Daley, 'Eu não estou contente por ele estar morto, mas estou feliz porque ele se foi.' Ninguém merece ter que morrer - nem Jobs, nem Sr. Bill (Gates), nem mesmo as pessoas culpadas por males maiores que os deles. Mas todos nós merecemos o fim da influência maligna de Jobs na computação pessoal.

    "Infelizmente, essa influência continua apesar de sua ausência. Podemos apenas esperar que seus sucessores, tentando levar adiante o seu legado, sejam menos eficazes."

    Read more at oglobo.globo.com
     

    Brasileiras! Usem o seu charme!

     
    CLAUDIO
    (São Paulo, SP)
     
    clique nas charges para ve-las maiores
    para ver outras charges clique em
    "marcadores: charges"

    Marcadores: ,

    Marta Suplicy: E se em vez de Gisele fosse um bonitão?

    Amplify’d from www.viomundo.com.br

    Muitas são as formas femininas de se posicionar no mundo machista, nas diferentes áreas de trabalho e no privado. Existem as “armas femininas”, além da sensualidade, como a percepção mais sensível e perspicaz da vaidade, do medo, da intolerância que fazem frequentemente da mulher uma interlocutora mais hábil.

    Por que ela não utilizaria, do jeito que as coisas são e enquanto durarem, uma das mil qualidades e possibilidades que tem?

    Read more at www.viomundo.com.br
     

    Palavras: Occupy Wall Street

    "Não temos demandas explícitas? Colocar uma demanda é, essencialmente, reconhecer a autoridade das pessoas que irão atender a essa demanda. "

    - David Graeber,
    um dos organizadores do Occupy Wall Street


    Marcadores:

    domingo, outubro 09, 2011

    in Memoriam: Bert Jansch recording Fresh as a sweet sunday morning


    Fox renova contrato de 'Os Simpsons' por mais duas temporadas

    Amplify’d from www.estadao.com.br
    Animação é vista em mais de 90 países - Reprodução

    A emissora havia afirmado nesta semana que não conseguiria mais produzir a animação sem que reduzisse 45% dos salários dos principais dubladores. Com isso as temporadas 24 e 25 de Homer, Marge, Bart, Lisa e Maggie estão garantidas.

    Nesta sexta-feira, Harry Shearer, que dubla o empresário Mr. Burns e o vizinho que teme a Deus, Ned Flanders, se dispôs a ter um corte de 70% em seu salário para salvar o seriado.

    Read more at www.estadao.com.br
     

    Ainda Jobs: Pedro Dória fala do homem paradoxal

    Amplify’d from oglobo.globo.com

    RIO - Steven Paul Jobs era um homem pacato. Budista, seguia desde muito jovem a linha zen. Era também um homem agressivo, capaz de demissões sumárias por motivos fúteis. Fez muita gente chorar por broncas duras. Foi um pai amoroso quase toda a vida mas se recusou a reconhecer a primeira filha em seus primeiros anos. Foi um homem ímpar, paradoxal, que marcou profundamente o mundo.

    No Vale, principalmente após Bill Gates criar sua fundação, virou praxe para os grandes milionários doar um bom quinhão de suas fortunas para boas causas. Não Jobs. Suas únicas doações conhecidas são para o Partido Democrata.

    Estourava mesmo. Nos corredores, os funcionários se desviavam dele. Falavam o menos possível, ninguém queria se expor à demissão repentina sem pista do porquê.

    Em alguns depoimentos, porém, alguns sugerem que a idade e os filhos o amaciaram. Quando fazia produtos pensando em famílias, aquilo lhe era natural. Steve Jobs gostava de família.

    Read more at oglobo.globo.com
     


    e o blog0news continua…
    visite a lista de arquivos na coluna da esquerda
    para passear pelos posts passados


    Mas uso mesmo é o

    ESTATÍSTICAS SITEMETER