This site will look much better in a browser that supports web standards, but it is accessible to any browser or Internet device.



blog0news


  • TA TUDO MUITO ESQUISITO, DEPOIS QUE VISUAL VIROU QUESITO

  • Vislumbres

    Assinar
    Postagens [Atom]

    Powered by Blogger

    Fragmentos de textos e imagens catadas nesta tela, capturadas desta web, varridas de jornais, revistas, livros, sons, filtradas pelos olhos e ouvidos e escorrendo pelos dedos para serem derramadas sobre as teclas... e viverem eterna e instanta neamente num logradouro digital. Desagua douro de pensa mentos.


    segunda-feira, março 30, 2015

    Subnotificação agrava problemas na Ilha de Paquetá -


     

    "No caso das bicicletas elétricas, valem em Paquetá as mesmas regras estabelecidas pela prefeitura para o resto da cidade: além de respeitar o limite de velocidade, o condutor deve ter 16 anos ou mais. Mas crianças e adolescentes abaixo dessa faixa são com frequência vistos pilotando bikes elétricas na ilha. Já de acordo com resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), elas só são equiparadas às magrelas comuns se não tiverem acelerador. No entanto, motonetas elétricas com aceleração manual já andam por Paquetá, mesmo sem serem permitidas, inserindo mais um ingrediente na polêmica que toma a ilha."

    leia a reportagem de Ludmilla de Lima​ >

    Subnotificação agrava problemas na Ilha de Paquetá - Jornal O Globo

    (foto Gustavo Stephan​ )  

    pela cochlea: Tame Impala - Why Won't They Talk to Me? (Lyrics)



    Out of this zone, now that I see, I don’t need them and they don’t need me
    I guess I’ll go home, try to be sane, try to pretend all of it happened
    There’s no need to be, lonely old me, whoopsee daisy, I thought I was happy, oh

    Breve: a cerimonia de coroação





     SAMUCA
    (Recife, PE)

    clique na charge para ve-la maior

    para ver outras charges clique em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    Acervo de J. Carlos é adquirido em comodato pelo Instituto Moreira Salles







    "Ele é um dos principais cronistas visuais do Brasil do século XX. Agora, quem quiser rever a produção de José Carlos de Brito e Cunha, o cartunista J. Carlos (1884-1950), vai poder encontrá-la toda em um só lugar. O Instituto Moreira Salles (IMS) acaba de receber o acervo do desenhista, preservado durante décadas em Petrópolis por seu filho.

    São revistas como “Careta”, “O tico-tico” e “Fon-fon” — além de muitas outras; o artista trabalhou na maior parte das publicações do Rio de Janeiro, à época capital federal. São volumes encadernados, além de quase mil originais e desenhos esparsos. Filho de J. Carlos, Eduardo Augusto de Brito e Cunha ainda colecionou em álbuns as notícias que saíram sobre o pai depois de sua morte — e agora elas também estão no IMS, em regime de comodato, por pelo menos dez anos.

    — É uma produção enorme e fascinante. Contei os dias de trabalho dele. J. Carlos começa em 1902 (na revista “Tagarela”) e trabalha até outubro de 1950. São 18 mil dias de trabalho! — afirma o cartunista Cássio Loredano, que já pesquisava o acervo desde 1995 e é consultor de iconografia do IMS."


    mais na reportagem de Mauricio Meireles >
    Acervo de J. Carlos é adquirido em comodato pelo Instituto Moreira Salles - Jornal O Globo

    A tranquila Paquetá sofre com perigos do trânsito


     


    "Alguma coisa está fora da ordem em Paquetá. Na ilha onde carros e motos são vetados, e as ruas são de saibro, um passeio a pé ou de bicicleta perdeu a inocência do passado. O balneário, quem diria, hoje sofre com os transtornos e perigos do trânsito. O fenômeno começou com a proliferação das bicicletas elétricas, que podem chegar a 50 quilômetros por hora. As placas antigas de trânsito presas aos postes indicando a velocidade máxima permitida — de 20 quilômetros — hoje parecem peças de museu: a qualquer hora do dia, é possível ver na ilha pessoas sobre suas e-bikes ou ecotáxis motorizados a todo vapor. Nos horários de chegada e saída das barcas, o tráfego é ainda mais intenso a arriscado. Os casos de atropelamentos já começam a pipocar."

    leia a reportagem de Ludmilla de Lima​ > 
    A tranquila Paquetá sofre com perigos do trânsito - Jornal O Globo

    foto Gustavo Stephan 

    Assim fica difícil!



    MIGUEL
    (Recife - PE) 

    para ver outras charges clique 

    em marcadores:charges 

    Marcadores: ,

    Postcards from Pripyat, Chernobyl on Vimeo




    There was something serene, yet highly disturbing about this place. Time has stood still and there are memories of past happenings floating around us.

    Armed with a camera and a dosimeter geiger counter I explored...

    Soundtrack 'Promise land' by Hannah Miller



    Postcards from Pripyat, Chernobyl from Danny Cooke on Vimeo.



    domingo, março 29, 2015

    pela cochlea: THE MAMAS AND THE PAPAS trip stumble and fall (1966)

    Discovery Brasil





    (Rio de Janeiro, RJ)
      
    para ver outras charges clique 

    em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    Diverse TV Shows in 2015: Is This Real Progress?


     Image credit: Brendan Smyth

    "This season it became painfully clear that there is a severe disconnect between — largely white — TV executives and us minority audiences.

    What makes this even more frustrating is that once these programs manage to get on the air, they tend to do very well in ratings and among critics but face extra challenges in achieving longevity. The networks’ loyalty to these programs is always in question, because history has shown executives aren’t fully committed to diverse shows for their own sake, instead relying on them for quick monetary gain or a temporary influx of viewers. And this is especially disappointing in light of fans’ love for these shows."


    read full story by Pilot Viruet
    Diverse TV Shows in 2015: Is This Real Progress? – Flavorwire:

    Enquanto isso, nas altitudes....




    MARIOSAN
    (Goiânia - GO)

    para ver mais charges
    clique em marcadores: charge

    Marcadores: 

    Marcadores: ,

    Trecho da orla que durante 252 anos ficou restrito à Marinha será devolvido aos cariocas


     
    "Os cariocas estão prestes a redescobrir uma paisagem à beira-mar que, por 252 anos, ficou restrita à Marinha, na área do I Distrito Naval. Das imediações da Candelária à Praça Mauá, às margens da Baía de Guanabara, contornando o Morro de São Bento, o trecho de orla vai ganhar calçadão e jardins, integrando a nova frente marítima do Centro — um caminho contínuo de 3,5 quilômetros, do Museu Histórico Nacional ao futuro boulevard da Zona Portuária. O passeio como um todo será concluído em 2016, antes das Olimpíadas. Até o fim deste ano, porém, os cerca de 600 metros hoje só acessíveis aos militares e seus convidados já deverão ser abertos ao público, encurtando caminhos diante de uma paisagem escondida por décadas."
    .
    "No trecho que será aberto ao público, lembra o militar, estão gravadas lembranças de alguns dos importantes marcos da Marinha, que passou a ocupar a encosta do São Bento em 1763, numa época em que o Rio se tornara o porto mais importante do Brasil Colônia"


    leia a reportagem de Rafael Galdo
     Trecho da orla que durante 252 anos ficou restrito à Marinha será devolvido aos cariocas - Jornal O Globo

    How Robots & Algorithms Are Taking Over


      (Photo: CartoonArts International / The New York Times Syndicate).
    "Even the most beneficial developments have unpleasant consequences that must be managed…. Technological progress is going to leave behind some people, perhaps even a lot of people, as it races ahead.

    Smart machines may make higher GDP possible, but they will also reduce the demand for people—including smart people. So we could be looking at a society that grows ever richer, but in which all the gains in wealth accrue to whoever owns the robots.

    There is a certain school of thought, championed primarily by those such as Google’s Larry Page, who stand to make a lot of money from the ongoing digitization and automation of just about everything, that the elimination of jobs concurrent with a rise in productivity will lead to a leisure class freed from work. Leaving aside questions about how these lucky folks will house and feed themselves, the belief that most people would like nothing more than to be able to spend all day in their pajamas watching TV—which turns out to be what many “nonemployed” men do—sorely misconstrues the value of work, even work that might appear to an outsider to be less than fulfilling. Stated simply: work confers identity."

    "Just who is this “we” who must ensure that robots, algorithms, and intelligent machines act in the public interest? To be fair, no one but those designing these systems is in a position to build in measures of control and security, but what those measures are, and what they aim to accomplish, is something else again. Indeed, their research plan, for example, looks to “maximize the economic benefits of artificial intelligence while mitigating adverse effects, which could include increased inequality and unemployment.”

    The priorities are clear: money first, people second."


    read more in the article by Sue Halpern
    How Robots & Algorithms Are Taking Over by Sue Halpern | The New York Review of Books

    sábado, março 28, 2015

    Cansou minha beleza



    (Brasília, DF) 

    para ver outras charges
    clique em marcadores charges 

    Marcadores: ,

    Entrevista Zygmunt Bauman: "É possível que já estejamos em plena revolução"


     bauman2

    "Há não muito tempo o precariado era a condição de vagabundos, sem-teto, mendigos. Agora, marca a natureza da vida de pessoas que há 50 anos estavam bem instaladas. Pessoas de classe média. Com exceção do 1% que está acima de tudo, ninguém pode se sentir seguro hoje. Todos podem perder as conquistas alcançadas durante sua vida sem aviso prévio. Não faz tantos anos, seis, o crédito e os bancos entraram em colapso e as pessoas começaram a ser despejadas de suas casas e seus trabalhos. Antes disso, os otimistas falavam de orgia de consumo, as pessoas pensavam que podiam gastar dinheiro que não tinham porque as coisas seriam cada vez melhores, assim como seus rendimentos, mas tudo isso desabou. As consequências são hoje os cortes, a austeridade, o alto nível de desemprego e, sobretudo, a devastação emocional e mental de muitos jovens que entram agora no mercado de trabalho e sentem que não são bem-vindos, que não podem acrescentar nada ao bem-estar da sociedade, que são um peso.

    Estamos acostumados com um tempo veloz, certos de que as coisas não vão durar muito, de que vão aparecer novas oportunidades que vão desvalorizar as existentes. E isso acontece em todos os aspectos da vida. Há duas semanas, as pessoas faziam filas durante a noite pelo iPhone 5 e agora mesmo estão fazendo pelo 6. Posso garantir que em dois anos aparecerá o 7 e milhões de iPhones 6 serão jogados no lixo. E isso dos objetos materiais funciona da mesma forma com as relações pessoais e com a própria relação que temos conosco mesmos, como nos avaliamos, que imagem temos de nossa pessoa, que ambição permitimos que nos guie. Tudo muda de um momento a outro, somos conscientes de que somos transformáveis e, portanto, temos medo de fixar qualquer coisa para sempre.

    O sociólogo Richard Sennet calculou, há uns anos, que o trabalhador médio mudaria de empresa onze vezes durante a sua vida. Hoje, essa quantidade é inclusive maior. As gerações que emergem das universidades em grandes quantidades estão ainda buscando emprego. E se encontram, não tem nada a ver com suas habilidades e expectativas. Estão empregados em trabalhos precários, temporários, sem segurança, sem carreira. Então, a principal maneira pela qual nos conectamos com o mundo, que é a nossa profissão, nosso trabalho, é fluida, líquida. Estamos conectados apenas pela água. E não se pode estar conectado por isso, ocorrem inundações, fugas…"


    leia mais clicando aqui> 
    Entrevista Zygmunt Bauman: "É possível que já estejamos em plena revolução"

    Executivos da Lava-Jato vão para presídio



    (Curitiba, PR)

    para ver outras charges

    clique em"marcadores: charges

    sexta-feira, março 27, 2015

    PALAVRAS:: Zé Bonitinho


    O chato não é ser bonito, o chato é ser gostoso.

    - Zé Bonitinho
    (Jorge Loredo) 

    Lucro da Fifa com Copa no Brasil atinge valor recorde



    Times amazonenses têm evitado usar Arena Amazônia por altos preços nos aluguéis

    Na Fifa, lucros recordes. No Brasil, estádios deficitários, fechados e até afetados pela Operação Lava Jato. A Copa do Mundo de 2014 garantiu para a Fifa o maior resultado financeiro de sua história e milhões acima até mesmo do que a entidade previa.

    Entre 2010 e 2014, enquanto o mundo pena para sair de sua pior crise financeira em 70 anos, a Fifa segue um caminho radicalmente diferente graças aos contratos no Brasil. Apenas no ano de 2014, a renda foi de quase US$ 2 bilhões, um recorde absoluto com contratos comerciais, vendas de ingressos e direitos de televisão.

    A entidade argumenta que deixou parte dessa renda ao Brasil, com um pacote de US$ 100 milhões para o desenvolvimento do futebol no País. O que a Fifa não diz é que o volume é equivalente ao que paga, por ano, em salários a seus próprios cartolas.

    O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://esportes.estadao.com.br/noticias/futebol,fifa-fatura-r-16-bilhoes-com-a-disputa-da-copa-do-mundo-no-brasil,1653669 leia o artigo de JAMIL CHADEO material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:Na Fifa, lucros recordes. No Brasil, estádios deficitários, fechados e até afetados pela Operação Lava Jato. A Copa do Mundo de 2014 garantiu para a Fifa o maior resultado financeiro de sua história e milhões acima até mesmo do que a entidade previa.
    http://esportes.estadao.com.br/noticias/futebol,fifa-fatura-r-16-bilhoes-com-a-disputa-da-copa-do-mundo-no-brasil,1653669leia
    Fifa fatura R$ 16 bilhões com a disputa da Copa do Mundo no Brasil - Esportes - Estadão

    pela cochlea: Franz Ferdinand - Fresh Strawberries



    We are fresh strawberries.
    Fresh burst of red strawberries
    Ripe turning riper in the pole
    We will soon be rotten
    We will all be forgotten
    Half remembered rumors of the old

    No outono os ministros caem


    (Rio de Janeiro, RJ)
      
    para ver outras charges clique 

    em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    Teletubbies in black and white





    Swiisleaks: Pressa e desvario


    De Alberto Dines:

      Na verdade estamos assistindo a uma encenação jornalística absurda, desatinada, claramente cínica, hipócrita, ardilosa. O SwissLeaks brasileiro beira a indecência. A lista publicada na segunda-feira (23/3) pelo Globo e pelo blog do UOL com celebridades do show-business misturadas a figuras emblemáticas de nossa cultura desmoraliza o jornalismo investigativo e o jornalismo como atividade com fé pública. Ambos estão na sarjeta.

    Tom Jobim morreu há 10 anos, sua conta no HSBC está zerada. Jorge Amado e Zélia Gattai estão mortos há 14 e 7 anos, respectivamente. A conta dos falecidos e de seus herdeiros foi fechada em 2003, há 12 anos. Qual a intenção de enfiá-los no escândalo? Exibir imparcialidade, coragem, estoicismo?

    Na entrevista da jornalista argentina Marina Walker Guevara, diretora-adjunta do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos, publicada pelo Globo (domingo, 22/3, pág. 12), ela declara:

    “Não interessa revelar a conta secreta de pessoas comuns, que são irrelevantes e não influenciam no destino do país nem na opinião. (...) O trabalho do repórter é justamente pegar essa base de dados [a lista dos correntistas] e aplicar sobre ela critérios de interesse público, avaliando que pessoas devem entrar em reportagens e que pessoas não precisam ser expostas” (ver íntegra aqui).

    Antes, em 4 de março, a Folha de S.Paulo publicou um texto da mesma diretora da mesma entidade em termos ainda mais claros: “Fomos questionados por não publicarmos as listas completas. Mas somos jornalistas investigativos, não vazadores de dados, ou ativistas, ou um órgão governamental” (ver “Jornalismo e interesse público). Estaria querendo dizer que um eventual ilícito fiscal só interessa quando configura um ilícito legal? Neste caso, está desaprovando o trabalho dos seus parceiros brasileiros.


    A mensagem de Marina Walker Guevara, da direção do ICIJ (na sigla em inglês), defende expressamente um “jornalismo lento”, exercido com responsabilidade e precisão, a serviço do interesse público, voltado para intervir em “esquemas sistêmicos”. A técnica da lama no ventilador adotada até agora aponta na direção oposta – pelo primarismo, pressa e desvario, escancara fundadas suspeitas. 

    Câmeras... close !



    (Vila Velha, ES)

    para ver outras charges clique 

    em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    pela cochlea: NINA BECKER, LUIS BARCELOS & LUCAS PORTO ESTRADA DO SOL (DOLORES DURAN)



    É de manhã
    Vem o sol mas os pingos da chuva
    Que ontem caiu
    Ainda estão a brilhar
    Ainda estão a dançar
    Ao vento alegre
    Que me traz essa canção

    Quero que você me dê a mão
    Vamos sair por aí
    Sem pensar no que foi que sonhei,
    Que chorei, que sofri
    Pois a nossa manhã
    Já me fez esquecer
    Me dê a mão
    Vamos sair pra ver o sol

    Lions and tigers and bears, no more: Why countless species now face permanent oblivion


     Lions and tigers and bears, no more: Why countless species now face permanent oblivion

    Maybe baby steps will help, but the world needs a lot more than either the United States or China is offering to combat the illegal traffic in wildlife, a nearly $20-billion-a-year business that adds up to a global war against nature. As the headlines tell us, the trade has pushed various rhinoceros species to the point of extinction and motivated poachers to kill more than 100,000 elephants since 2010.

    Last month China announced that it would ban ivory imports for a year, while it “evaluates” the effectiveness of the ban in reducing internal demand for ivory carvings on the current slaughter of approximately 100 African elephants per day. The promise, however, rings hollow following a report in November (hotly denied by China) that Chinese diplomats used President Xi Jinping’s presidential plane to smuggle thousands of pounds of poached elephant tusks out of Tanzania.



    Lions and tigers and bears, no more: Why countless species now face permanent oblivion - Salon.com - Linkis.com

    quinta-feira, março 26, 2015

    Claudio Marzo





    (Campinas, SP)
    para ver outras charges clique 
    em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    Adeus, Don Draper


    "Há os devotos de “Família Soprano”, os de “Breaking bad”, os de “Game of thrones” e os de “House of cards”. Gosto de todas. Mas nenhuma tem um protagonista introspectivo como Don Draper de “Mad men”. Um sujeito cuja angústia interior está sempre em contraste agudo com sua agitação exterior. A ação em “Mad men” é toda interna. E que trilha, que figurinos, que cenários, que fotografia ao redor. No tempo digital, inspira a nostalgia lenta de uma vida tão de há pouco, tão analógica. Que pena: vai acabar."

     leia a coluna de Pedro Dória:
    Adeus, Don Draper - Jornal O Globo

    How to Block a Surveillance Camera: A DIY Art Tutorial from Ai Weiwei

     

    Amidst recent outcries against the present-day surveillance state we live in, what else is there to do but make good art? Cue in celebrated Chinese artist, provocateur, and human rights champion Ai Weiwei. From Do It: The Compendium (public library) — the fantastic collection of famous artists’ wide-ranging instructionals for art anyone can make based on 20 years of legendary curator and provocateur Hans Ulrich Obrist’s project of the same title, which also gave us David Lynch’s tutorial on how to make a Ricky Board — comes this antiauthoritarian creative project from Ai Weiwei, a DIY way to stick it — spray it, rather — to Big Brother

    Do It: The Compendium is superb in its entirety, brimming with similar irreverent gems by some of the world’s most acclaimed contemporary artists. Sample it here.
    How to Block a Surveillance Camera: A DIY Art Tutorial from Ai Weiwei | Brain Pickings:

    O PMDB e o impeachment




    (Curitiba, PR)

    para ver outras charges

    clique em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    CCR ameaça entregar concessão da Barcas, pela qual pagou R$ 72 milhões - Negócios - Brasil Econômico


    Especialista em Mobilidade Urbana da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), Alexandre Rojas é taxativo e alerta que não existe caridade por parte dos investidores. Enfático, ele sinaliza que o Tribunal de Contas tem que entrar nesta história e explicar porque a CCR assumiu a concessão sabendo que ela dava prejuízo.“Este modelo de privatização não é apropriado. É claro que isso não ia dar certo. Agora o governo está com uma bomba de retardo na mão. Não estou falando só das barcas, não. A crise inclui o sistema de trens e vai chegar ao metrô. Agora, isso tem que ser investigado. Não foi só falta de planejamento”, disse o professor.  

    A chegada em dezembro da barca Pão de Açúcar — primeira das nove novas embarcações que irão reforçar e renovar a frota em 2015 — é um exemplo da falta de planejamento e diálogo entre a concessionária e o governo estadual. No negócio da China, as nove embarcações custaram aos cofres públicos investimentos da ordem de R$ 300 milhões. Os novos modelos têm ar-condicionado, bicicletário, janelas panorâmicas, 100% de acessibilidade, dois andares — com possibilidade de embarque e desembarque simultâneos —, além de possuírem dupla proa, o que elimina a necessidade de manobras para atracação. Com a Pão de Açúcar, o tempo de travessia diminui de 18 para 10 minutos. Porém, ela só entrou em operação em 11 de março, quase três meses depois. A explicação? Não tinha plataforma adequada, a tripulação não havia sido treinada e faltava documentação.


    E esses não foram os únicos problemas. O governo estadual esqueceu de combinar com o estaleiro sobre a manutenção das novas barcas: muito maior do que as antigas, elas não entram no espaço da concessionária em Niterói.
    leiA mais na reportagem de DANIEL PEREIRA
    CCR ameaça entregar concessão da Barcas, pela qual pagou R$ 72 milhões - Negócios - Brasil Econômico

    'Game of Thrones' stars reveal their favorite characters in the Seven Kingdoms

     Screen Shot 2015-03-24 at 12.42.37 AM 

    We asked as many stars as we could who they would play on the show if they could choose any character other than the role they inhabit. Some were reluctant, not wanting to detract from their friends' work on the show, others loved their own role so much they couldn't choose another — but many joined in the fun and the results (below) are surprising.  

    'Game of Thrones' stars reveal their favorite characters in the Seven Kingdoms

    pela cochlea: LUCAS SANTTANA - 01 Cira, Regina e Nana (M. Takara 3 remix)

    quarta-feira, março 25, 2015

    PALAVRAS: Millor


    Acabar com a corrupção é o objetivo supremo de quem ainda não chegou ao poder.

     (Millôr Fernandes)

    terça-feira, março 24, 2015

    Dilma adere aos panelaços





    (Rio de Janeiro, RJ)

    para ver outras charges clique em marcadores:charges 

    Marcadores: ,

    José Miguel Wisnik: "Paira sobre tudo a sombra difusa e inquietante do impasse"



    A confusão entre interesses coletivos e privados precisa ser levada a sério no debate sobre corrupção no país


    "É importante que haja um movimento republicano contra o malbaratamento das instituições, contra o aparelhamento da máquina pública, contra a governabilidade costurada na base dos acertos mais espúrios, contra a apropriação pessoal de recursos públicos por operadores de esquema, contra a conjugação de partidos com altos interesses empresariais cartelizados e contra a denegação sistemática de tudo isso. É ao mesmo tempo parcial, ingênuo em larga escala e nada ingênuo em instâncias bem específicas da política e da mídia que esses atributos sejam encarnados exclusivamente na figura do PT, embora o PT tenha oferecido de bandeja os elementos necessários para essa construção.

    Num extremo, uma visão candidamente moralista da política, embora nada inocente, quer encarnar o mal num representante deste, escolhido a caráter, para “purificar” imaginariamente o resto. No outro extremo, uma análise sabida sustenta que a corrupção é inerente ao sistema capitalista, faz parte dele como um dado estrutural que seria ingênuo pretender negar ou superar enquanto persistir o sistema. Não seria errado pensar essas duas visões da corrupção como um emblema religioso do pecado: num caso, ele é purgado através de uma vítima expiatória, através da qual aparentemente se salva o todo; no outro, o mal é universal, o capitalismo está aí no lugar da condição humana, e só é redimido no horizonte messiânico da salvação."


    leia mais no artigo de Zé Miguel Wisnik​ > 
    Analisando - Jornal O Globo

    pela cochlea: Jack White-Three Women



    I got three women
    Red, blonde, and brunette
    It took a digital photograph to pick which one I like

    O beijo que deveria chocar as pessoas



    (Natal, RN)

    para ver outras charges

    clique em marcadores: charges 

    Marcadores: ,

    Gregorio Duvivier: Jardim dos Impeachments que se Bifurcam

     
    Jardim dos Impeachments que se Bifurcam

     1. Convocam-se novas eleições. Lula se candidata. Ganha. O governo segue corrupto e conservador, mas agora ganhou uma injeção de carisma. Metáforas futebolísticas entretêm povo e imprensa. Em 2018 Lula é reeleito e em 2022 Lula elege Dilma.

    Ou 2. Convocam-se novas eleições. Lula não se candidata. Aécio ganha. O governo não dura uma semana: Anastasia, chefe da Casa Civil, está envolvido na Operação Lava Jato, assim como toda a base governista. Convocam-se novas eleições. Lula se candidata. Ganha. Ver futuro 1.

    Ou 3. Dilma renuncia. Michel Temer assume. O PMDB agora governa o Brasil sem intermediários. Temer protagoniza a CPI do botox: descobre-se que o preenchimento facial diário do presidente era pago com a verba da saúde. O governo, apesar de mais corrupto do que o anterior, tem a aprovação popular. O povo depôs Dilma. Está feliz. Ao fim do mandato, Temer é eleito para a Academia Brasileira de Letras. E Lula se candidata à presidência. Ver futuro 1.

    Ou 4. Dilma renuncia, Michel Temer também. O presidente do Câmara, Eduardo Cunha, é quem assume a presidência e dá um golpe evangélico: muda o nome do país para Estado Cristão Independente, nos EUA é conhecido como CrIsis. A corrupção atinge níveis estratosféricos, mas o povo não tem conhecimento porque os escândalos não passam na Record.

    Ou 5: Eduardo Cunha, que tem seu nome citado em 11 de cada dez escândalos de corrupção dos últimos 20 anos, não pode tomar posse. Renan Calheiros assume. Em quatro horas de governo, Renan protagoniza nove escândalos de corrupção e é deposto com a melhor média da história: 2,25 escândalos por hora. Entra para a história como Renan, o breve.

    Ou 6. O exército responde aos chamados e dá um golpe de Estado. Na hora em que Bolsonaro vai tomar posse, descobre-se que ele não sabe assinar o nome. Coronel Telhada assume em seu lugar. A Rede Globo afirma que o Brasil finalmente retomou o milagre do crescimento. A seleção canarinho ganha a Copa de 2018. Técnico: Dunga. O povo vai às ruas festejar.

    Ou 7. Graças à pressão popular, todos os políticos envolvidos na Lava Jato vão parar na cadeia, assim como os corruptos do setor privado. A pressão faz o Congresso (o que sobrou dele) aprovar uma reforma que proíbe o financiamento privado de campanha. Todos os políticos agora dispõem da mesma verba e do mesmo tempo de televisão, logo os deputados mais esclarecidos vencem as eleições. O voto agora é facultativo, a maconha é legalizada, o aborto é oferecido pelo SUS e as igrejas finalmente passam a pagar impostos. O Brasil parece até primeiro mundo.

    (Esse último futuro é um exercício de ficção.)

    artigo de GREGÓRIO DUVIVIER
    Jardim dos Impeachments que se Bifurcam

    segunda-feira, março 23, 2015

    Chegou o outono



    (São José do Rio Preto, SP)

    para ver mais charges

    clique em marcadores:charges 

    Marcadores: ,

    Sakamoto: Por que fechei meu blog para comentários



     "De uns tempos para cá, a despeito da maioria dos leitores, que enriquece (e muito) o debate, e da moderação, que exclui o chorume, a caixa de comentários se tornou um lugar voltado à troca de ofensas – o que não contribui em nada com o livre debate de ideias.

    Um lugar em que vários perfis reais ou falsos, pessoas de cara limpa ou anônimas, tentam se utilizar de um conceito distorcido de liberdade de expressão para desrespeitar outros direitos humanos. Um lugar em que todos gritam e poucos escutam.

    Ou seja, a área de comentários deixou de acrescentar e passou a tirar. E não acho que isso seja por conta da ação de radicais de direita e de esquerda. Isso envolve a falta de entendimento do que é viver em sociedade."


    leia mais no post de Leonardo Sakamoto​ > 
    Por que fechei meu blog para comentários - Cotidiano - Cotidiano

    pela cochlea: A Dandy Line - The Chet Baker Ensemble (1953)

    Mostra discute o papel do humor





    ilustração de PAULO CARUSO

    Gol da Alemanha




    (Vila Velha, ES)

    para ver outras charges clique 

    em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    Todos os condomínios do ‘Minha casa, minha vida’ no Rio são alvos do crime organizado




    Todos os condomínios do “Minha casa, minha vida” destinados às famílias mais pobres — a chamada faixa 1 de financiamento — no município do Rio são alvo da ação de grupos criminosos.

    "Após três meses de apuração, o EXTRA revela que, nos 64 conjuntos já construídos pelo programa federal, as 18.834 famílias beneficiadas são submetidas a situações como expulsões, reuniões de condomínio feitas por bandidos, bocas de fumo em apartamentos, interferência do tráfico no sorteio dos novos moradores, espancamentos e homicídios.

    No primeiro capítulo da série, o EXTRA revela que pelo menos 80 famílias foram expulsas do condomínio Haroldo de Andrade I, em Barros Filho, Zona Norte do Rio, após uma ordem do criminoso mais procurado do Rio, Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy. "

    leia a reportagem de Luã Marinatto​ e Rafael Soares 




    fotos de FÁBIO GUIMARAES

    domingo, março 22, 2015

    Tsunami


     SAMUCA
    (Recife, PE)

    clique na charge para ve-la maior

    para ver outras charges clique em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    Paquetá, um Rio em tempo mais calmo


     Carlyle – o apelido veio do antigo craque tricolor – nasceu e sempre morou na ilha



    Sunga, chinelo de dedo e o olhar fixo no horizonte. Na rua, o silêncio às vezes é interrompido pelo som de uma bicicleta. Mas som de verdade mesmo só o de pequenas embarcações flutuando pra lá e pra cá na beira da praia.

    "Esses ares conquistaram a cantora Cristina Buarque, que vive na ilha há oito anos. “O Rio anda muito nervoso. Aqui, não, todo mundo conversa, se cumprimenta”. A vontade de morar lá durou muitos anos. “Eu vinha pra cá pelo menos uma vez por mês. Às vezes ficava para dormir, às vezes só pra passear, tomar cerveja e voltar. Desde 2000, comecei a chamar amigos músicos pra passear em Paquetá”, lembra Cristina.

    Resultado: meses antes de Cristina se mudar para a ilha, o bandolinista Pedro Amorim já chegara à ilha de mala, cuia e família. “ Um dia, em vez de pegar a barca pra voltar, acabei dormindo. Na volta, Conceição (esposa), me perguntou o que eu queria ouvir: ‘E se a gente se mudasse pra cá?’”. Pronto. Mudança decidida.

    Com o baterista e percussionista Oscar Bolão, morador da ilha há dez meses, não foi diferente. Um dia ficou em vez de voltar. Quanto à barca,ele adora. “Quando ela balança assim”, diz Bolão fazendo o gesto do vaivém da embarcação, “eu já estou zerado, dormindo. A barca é o meu bercinho”.!


    leia a matéria de Vivi Fernandes de Lima​ > 

    Paquetá, um Rio em tempo mais calmo – 

    O bebê de Fernandinho




    (Rio de Janeiro, RJ)

    para ver outras charges clique em marcadores:charges 

    Marcadores: ,

    Dos 92 prefeitos do Estado do Rio, 70% deles são alvo de investigação na Justiça





    Em Cachoeiras de Macacu, o prefeito Waldecy Fraga Machado, o Cica, em seu terceiro mandato, coleciona nada menos que dez ações por improbidade movidas pelo MP estadual."

    "O prefeito de Cabo Frio, Alair Corrêa, encabeça o número de ações por improbidade — responde a 11 processos — e também já foi condenado. Teve a candidatura impugnada nas eleições de 2012, mas reverteu a decisão no TSE. Ao reassumir seu terceiro mandato, deu início ao processo de licenciamento do parque Riala (Alair ao contrário), de sua propriedade,"

    "Na última terça-feira, a 21ª Câmara Cível proibiu o prefeito de Búzios, André Granado, de fazer qualquer nova contratação de servidor. A medida, pedida pelo Ministério Público, é uma tentativa de frear a série de desmandos que levou o chefe do Executivo a responder a dez ações por improbidade administrativa e a duas penais, que já resultaram em uma condenação.

    Além disso, a prefeitura pagava R$ 250 pela reposição de um único parafuso. O absurdo levou a Câmara a instaurar a CPI do Parafuso, que concluiu pela responsabilidade de Branco e Granado, enviando o caso ao MP. A Justiça concluiu que as notas eram frias e que os serviços, além de contratados ilegalmente, não foram de fato realizados."


    Leia mais na repostagem de Elenilce Bottari​ , Selma Schmidt e Sergio Ramalho​ > 
     Dos 92 prefeitos do Estado do Rio, 70% deles são alvo de investigação na Justiça - Jornal O Globo

    sábado, março 21, 2015

    pela cochlea: Sombras - Concha Buika e Chucho Valdés



    Y en la penumbra vaga
    De la pequeña alcoba,
    Cuando una tibia tarde
    Me acariciabas toda,
    Te buscarán mis manos,
    Te besará mi boca
    Y aspiraré en el aire
    Aquel olor a rosas,
    Cuando tú te hayas ido, amor
    Me envolverán las sombras.

    Fases do Lava Jato




    (Rio de Janeiro, RJ)
     
    para ver outras charges clique 

    em marcadores:charge

    Marcadores: ,

    PALAVRAS: Terry Pratchett


    Pecado é quando se trata as pessoas como coisas.
    Inclusive a si mesmo. 

    - Terry Pratchett


    It´s only words: Terry Pratchett



    Sin is when you treat people as things.
    Including yourself.


    - Terry Pratchett

    pela cochlea: Arctic Monkeys - Fireside



    I'm not sure if I should show you what I've found
    Has it gone for good?
    Or is it coming back around?
    Isn't it hard to make up your mind?
    When you're losing and your fuse is fireside

    De volta às panelas



    (Vila Velha, ES)

    para ver outras charges clique 

    em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    Canal Nostalgia


    21 provas de que o brasileiro é capaz de fazer piada com qualquer coisa


     Nem uma placa de trânsito.

    veja mais
    21 provas de que o brasileiro é capaz de fazer piada com qualquer coisa

    sexta-feira, março 20, 2015

    O panelaço continua



    (Belém, PA) 

    para ver outras charges

    clique em marcadores: charges 

    Marcadores: ,

    Em acórdão inédito, STF reconhece direito de adoção e denomina casais homoafetivos como família


     "A Constituição Federal não faz a menor diferenciação entre a família formalmente constituída e aquela existente ao rés dos fatos. Como também não distingue entre a família que se forma por sujeitos heteroafetivos e a que se constitui por pessoas de inclinação homoafetiva. Por isso que, sem nenhuma ginástica mental ou alquimia interpretativa, dá para compreender que a nossa Magna Carta não emprestou ao substantivo "família" nenhum significado ortodoxo ou da própria técnica jurídica. Recolheu-o com o sentido coloquial praticamente aberto que sempre portou como realidade do mundo do ser. Assim como dá para inferir que, quanto maior o número dos espaços doméstica e autonomamente estruturados, maior a possibilidade de efetiva colaboração entre esses núcleos familiares, o Estado e a sociedade, na perspectiva do cumprimento de conjugados deveres que são funções essenciais à plenificação da cidadania, da dignidade da pessoa humana e dos valores sociais do trabalho. Isso numa projeção exógena ou extramuros domésticos, porque, endogenamente ou interna corporis, os beneficiários imediatos dessa multiplicação de unidades familiares são os seus originários formadores, parentes e agregados. Incluído nestas duas últimas categorias dos parentes e agregados o contingente das crianças, dos adolescentes e dos idosos. Também eles, crianças, adolescentes e idosos, tanto mais protegidos quanto partícipes dessa vida em comunhão que é, por natureza, a família. Sabido que lugar de crianças e adolescentes não é propriamente o orfanato, menos ainda a rua, a sarjeta, ou os guetos da prostituição infantil e do consumo de entorpecentes e drogas afins."

    Leia Mais:
    Em acórdão inédito, STF reconhece direito de adoção e denomina casais homoafetivos como família | Revista Lado A

    O monopólio que pode f#)&* o mercado de HQs no Brasil



    Desde que Dinap e a Chinaglia foram fundidas sob o guarda-chuva da Abril, uma série de novas dificuldades surgiram no mercado editorial brasileiro – e isso inclui, claro, as editoras de histórias em quadrinhos, que estão tendo um caminho mais difícil, quase impossível, pra chegar nas bancas

     



    Midtown Comics, em Nova York (Scott Beale / Laughing Squid)

    "A ÚNICA distribuidora do PAÍS tá procurando editoras menores e oferecendo um esquema abusivo.

    “Hoje, mais de 56% do preço de capa fica com eles. Duvido que os donos de banca fiquem com mais de 26%”, afirma. No passado, a distribuidora ficava com por volta de 53% do valor de venda. “E não é só isso: se a venda gera menos de R$3.500 de pagamento para eles, precisa pagar uma ‘multa’ pra inteirar esse valor”.


    leia a reportagem de Renan Martins Frade​ > 
    O monopólio que pode f#)&* o mercado de HQs no Brasil:

    Via Iris: LE MERAVIGLIE (Alice Rohrwacher, Italia, 2014)

    A volta da ditadura


    (Porto Alegre, RS)

    para ver outras charges clique 

    em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    Traço Livre – Galeria Scenarium realiza exposição sobre humor gráfico


    Quais são os papéis e os limites do humor nos dias de hoje? Estas e outras questões fazem parte da exposição “Traço Livre”, cuja estreia acontece no próximo dia 4, na Galeria Scenarium, localizada na Rua do Lavradio, nº 15. Com curadoria de Ana Pinta e Ricky Goodwin, a mostra terá 24 obras, divididas entre chargistas e ilustradores/artistas gráficos, de diversas gerações e estilos, e traz uma reflexão sobre o papel do humor no mundo atual. “Muitas coisas estão perdendo a graça e o riso pode se transformar num gesto perigoso”, afirmam os curadores

    miran 24 x 16


    A ‘Traço Livre’ é uma exposição variada e abrangente, com desenhos em papel, pintura em tela, xilogravura, além de uma obra tridimensional. A mostra conta com grandes nomes das artes gráficas, como Ziraldo, Jaguar, Claudius, Chico Caruso, Aroeira e Rubem Grillo.
    ziraldo


    A motivação central da exposição são os fatos relacionados com o atentado ao jornal francês Charlie Hebdo, ocorrido no começo do ano em Paris. “O atentado teve grande repercussão em todo o mundo, o que gerou um impacto profundo entre a classe dos humoristas gráficos brasileiros, que mantém relações com a redação do Charlie desde os tempos do Pasquim. Muitos artistas brasileiros foram influenciados pelo humor cáustico e o traço anárquico de artistas como Wolinski (assassinado nesse atentado), Reiser e Siné”, afirma Ricky.

    Charge Chico Caruso

    O objetivo da exposição é ir além do noticiário imediato, apresentando temas peculiares à própria criação e publicação do humor gráfico, como a linguagem da sátira, a liberdade de expressão, a força de uma piada, os limites do humor, etc. De acordo com os curadores, a mostra possui um caráter histórico, onde o visitante pode conhecer o registro de uma classe de artistas atingida em seu cerne e que reage através do humor e da criação.
    “As obras expostas representam a documentação de uma volta por cima, de uma recusa à intimidação, um recorte do poder da arte. A exposição está num local histórico, onde os personagens são os próprios artistas, representados pela figura do Lápis, fio condutor da mostra, mas que falam de todos nós que apreciamos as artes. Como diria Vinicius, se estivesse por aqui: ‘Mais que nunca é preciso gargalhar’”, afirma Ricky.
    claudius

    Marcadores:

    PELA COCHLEA: O Terno - O Cinza



    Quem vê de cima olha a fumaça se espalhando
    Entre as buzinas, passam quase atropelando
    Mesmo de dia as luzes já estão acesas
    Caiu a noite, mas sem lua nem estrelas

    Nasce mais uma manhã nublada em SP
    Hoje o sol não vai se pôr
    Porque não quis nascer
    O cinza

    Dilma comenta as manifestações




    (Curitiba, PR)

    para ver outras charges

    clique em"marcadores: charges

    Marcadores: ,


    e o blog0news continua…
    visite a lista de arquivos na coluna da esquerda
    para passear pelos posts passados


    Mas uso mesmo é o

    ESTATÍSTICAS SITEMETER