This site will look much better in a browser that supports web standards, but it is accessible to any browser or Internet device.



blog0news


  • Acabar com a corrupção eh o objetivo supremo de quem ainda nao chegou ao poder. (Millor Fernandes)

  • Vislumbres

    Assinar
    Postagens [Atom]

    Powered by Blogger

    Fragmentos de textos e imagens catadas nesta tela, capturadas desta web, varridas de jornais, revistas, livros, sons, filtradas pelos olhos e ouvidos e escorrendo pelos dedos para serem derramadas sobre as teclas... e viverem eterna e instanta neamente num logradouro digital. Desagua douro de pensa mentos.


    sábado, julho 12, 2014

    Mortovivos vagam pela Copa



    (Salvador, BA)

    Marcadores: ,

    Paris Review – No More Tears, Brazil


     article-0-1F7E220400000578-586_634x421


    "Those seven goals brought Brazil’s coach, Luiz Felipe Scolari, the “worst day of [his] life.” I suggest copies of British psychoanalyst Adam Phillips’s recent book Missing Out for him and everyone on his team. Phillips wants us to live the life we have, and not the one that we imagine erroneously we might have had, if we were contenders. That route leads to a bad narrative, “and what was not possible all too easily becomes the story of our lives.” In all the soul-searching, all the talk of distress, disturbance, and suffering in Brazil, the scars that will never heal, the everlasting shame and so on, a useful perspective has been lost: Brazil didn’t lose a war with millions of dead. It lost a soccer game! Put the handkerchiefs away—or, as Phillips says, “our lived lives might become a protracted mourning for, or an endless trauma about, the lives we were unable to live.” Even with the home-field advantage, Brazil was never truly a contender to win this World Cup, and all the bells say too late. This is not for tears. Adam Phillips to replace Regina Brandão for World Cup Russia 2018? "

    read post by Jonathan Wilson
    Paris Review – No More Tears, Jonathan Wilson

    Clóvis Rossi: Como futebol é espetáculo, não fiquei triste com o 7 a 1


    " Devo ter sido um dos poucos brasileiros, talvez o único, que não ficou triste com os 7 a 1 desta terça-feira (8).

    Fácil de explicar: entendo o futebol como um espetáculo –belo espetáculo, aliás– e não como expressão da honra da pátria.

    Futebol é para divertir, não para sofrer. E quem gosta dele só pôde se divertir com aquela infernal troca de passes da Alemanha em plena área da seleção brasileira. "

    leia opinião de Clovis Rossi

    Clóvis Rossi: Como futebol é espetáculo, não fiquei triste com o 7 a 1 - 12/07/2014 - Folha na Copa - Esporte - Folha de S.Paulo

    Equipe brasileira entra em campo


    (Curitiba, PR)
     
    clique na charge para ve-la em tamanho maior
    para ver outras charges clique em marcadores:charges  

    Marcadores: ,

    Brasileiros tem dificuldade para ver a partida de hoje


    (Curitiba, PR)
     
    clique na charge para ve-la em tamanho maior
    para ver outras charges clique em marcadores:charges  

    Marcadores: ,

    Arnaldo Branco: Não vai mudar nada


    Arnaldo Branco

     "Quantas vezes esse discurso (“esquecemos nossas qualidades, adotamos os defeitos dos outros” etc) se repetiu? E nada mudou – continuamos com perda de memória recente (só conseguimos pensar em termos de futuro em função da última derrota) e rezando por uma boa safra que salve a lavoura. As críticas à CBF procedem, mas são mais inócuas que uma hashtag. Por que seus gestores renunciariam ou mudariam um sistema em que a arrecadação não depende da qualidade do produto final?

    Mudar o futebol brasileiro significa também mudar o Brasil – a dependência do dinheiro das transmissões de TV, seu uso como moeda de troca política, a irresponsabilidade fiscal tolerada, tudo isso faz parte de um castelo de cartas solidamente colado com superbonder. Discurso indignado não vai mudar nada."


    leia o artigo de Arnaldo Branco > 
    Não vai mudar nada | Fan Ambassadors | ONE STADIUM:

    Merdalhas

    (São Paulo, SP) 
    para ver outras charges 
    clique em marcadores:charges

    Marcadores: ,

    Eliane Brum: O Brasil do eu acredito


     


    "Essa foi a seleção do pensamento mágico. E, nesse aspecto, não podia ser mais brasileira nesta Copa de 2014. Não o pensamento mágico como fonte de explosão criativa, mas como um produto de consumo. Vende-se que o espetáculo é a verdade profunda sobre o Brasil e o seu futebol. Confunde-se marketing publicitário com realidade. Os jogadores da seleção comportam-se como astros. Não mais astros de rock, mas astros de um show religioso. Confinados, assistem a palestras de "motivação", são treinados no pensamento de autoajuda mais do que no campo, com a bola no pé. 

    Age-se como se houvesse uma predestinação. Se você acreditar muito, você consegue. Se você rezar muito, acontece. A arrogância enorme de achar que "deus" é torcedor do seu time porque você é o mais merecedor expressa nas cenas de joelhos dentro do campo, os dedos apontando para o céu, a oração em transe nos momentos-limite."

     leia a análise de Eliane Brum
    Eliane Brum: O Brasil do eu acredito - 11/07/2014 - Folha na Copa - Esporte - Folha de S.Paulo


    De Márcio Guedes

    Embora Neymar tenha se comportado de forma impecável em sua visita à Granja, mostrando incrível maturidade para sua idade, não há dúvida de que ele foi usado pelos cartolas e pela comissão técnica. Além de castigado por inúmeros tapinhas nas costas, sua presença serviu para tirar o foco do vexame sob pretexto de solidariedade à ‘família’ em crise. Não se sabe se ele teve noção disso mas, de qualquer forma, aceitou e ponto final. Ele foi um fantoche para interesses políticos.


    De André Kfouri:

    Para que o dia 8 de julho de 2014 ficasse ainda mais tenebroso, Cafu foi convidado a se retirar do vestiário que é sua casa por um dinossauro egresso da ditadura brasileira. Cafu, três finais de Copa do Mundo no peito, é "pessoa estranha" ao ambiente da Seleção. O dinossauro, não. O futebol brasileiro é isso e continuará assim enquanto sua estrutura não for eviscerada da mesma forma que os alemães fizeram com o time em campo.

    Argentina é medrosa



    (Joinville, SC)
    para ver outras charges clique em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    sexta-feira, julho 11, 2014

    Mülller pode ser um craque dentro de campo, mas na pista de dança...



    Lovely/funny animated highlights of Argentina v Holland





    The people over at When Saturday Comes have created a highlights package unlike any other for the recent Argentina v Holland game. You remember the one. Argentina v Holland? The boring one. Yeh, that one!
    As the world took in a 0-0 draw, Tim Bradford got to work drawing all of the action for you, which as you will observe or may remember, was not in plentiful supply

    Lovely/funny animated highlights of Argentina v Holland

    A novela da derrota da Copa na mídia brasileira




    "Editoriais e opiniões que antes denotavam a seleção alegre, feliz, o grupo unido do menino “Ney’ e de Felipão rapidamente mudaram o tom e elevaram as críticas àquela que já chamam como a pior seleção brasileira dos últimos tempos. Uma situação que beira, inclusive, a esquizofrenia, quando o peso recai sobre os próprios privilégios.

    O aspecto mais emblemático é a critica acerca da exagerada exposição da seleção, com a abertura dos treinos e da concentração à imprensa, quando, na realidade, são as grandes emissoras, principalmente a Rede Globo, que se beneficiaram com links diretos, entregas de carta das mães para os respectivos filhos/jogadores e até participação ao vivo em programas de TV."


    leia o artigo de Ana Carolina Westrup > 

    A novela da derrota da Copa na mídia brasileira — CartaCapital

    Futebol Maruin




    (Rio de Janeiro, RJ)

    para ver outras charges clique em marcadores:charges

    Marcadores: ,


    O sebastianismo, a mística e o pachequismo são o helicóptero de Luciano Huck pousando no gramado da Granja Comary em meio a um treino. Um simbolismo de tudo aquilo que precisamos sepultar de vez.

    - Fabio Chiorino


    Para que a reformulação saia do papel, no entanto, precisa resolver um problema ainda mais profundo, que é ter uma classe dirigente que pense a longo prazo e atue em favor do desenvolvimento do futebol nacional, e não em causa própria. É aí, amigos, que a onça bebe água.


    - Otávio Maia

    Palavras de mudança - Janio de Freitas


     janio de freitas

     "O jornalismo brasileiro está precisando de uma reviravolta mais ou menos como a pedida para o futebol."

    "O ambiente ficou livre para que a falta de observações firmes, a tendência nacional ao oba-oba e os interesses comerciais se juntassem na criação do otimismo mentiroso. Logo, também na decepção doída como um luto. "


    leia a coluna de Janio de Freitas > 

    Palavras de mudança - 10/07/2014 - Janio de Freitas - Colunistas - Folha de S.Paulo

    E o Löw continuou tirando meleca do nariz




    (Lagoa Santa, MG)
    quer ver outras charges?
    clique em marcadores: charges

    Marcadores: ,

    Mobilizaçao de jogadores da seleçao por Neymar era açao patrocinada pela Sadia



     “A Sadia está por trás dessas demonstraçoes de apoio entre jogadores, como se poderia deduzir por causa das palavras escolhidas por eles. #jogapramim é a hashtag usada na propaganda da empresa na televisao, aquela em que crianças pedem à seleçao brasileira que jogue por elas, afinal nunca viram o Brasil ser campeao mundial. A marca de alimentos pertencente à BRF patrocinou os posts desses atletas em redes sociais, uma iniciativa pensada em parceria com a F/Nazca, agência de publicidade que atende a marca. A açao seria transformada em vídeo em breve”.

    Mobilizaçao de jogadores da seleçao por Neymar era açao patrocinada pela Sadia - Blue Bus

    Anatomy of a drubbing: How and why Brazil were annihilated by Germany · Project Babb


    O passo a passo da derrota do Brasil para a Alemanha (com diagramas)  :

    three-open-in-middle

    veja aqui
    Anatomy of a drubbing: How and why Brazil were annihilated by Germany · Project Babb

    quinta-feira, julho 10, 2014

    A Cofa é Nossa!



    (São Paulo, SP)
     
    para ver outras charges clique em
    "marcadores: charges"

    Marcadores: ,

    Brasil dá W.O. e Alemanha joga sozinha


    Voces tiveram a impressão que o Brasil nem entrou em campo naquele jogo com a Alemanha?  Esse pessoal também:

    Blatter pega dicas com Lula

    Marcadores: ,


    De JAGUAR:

    "Tinha bolado um título porreta para minha crônica: a Copa dos goleiros. Em quase todos os jogos foram o destaque, com defesas mirabolantes (Howard, o goleiro americano, desmoralizou a Lei da Gravidade, deu saltos de matar de inveja o Homem-Aranha). Quando tinha acabado a crônica, liguei a tevê no SporTV. Comentam, é claro, a Copa dos goleiros. Impossível inventar algo original no momento em que milhões de jornalistas estão focados (deve ser algum foca de redação quem inventou a maldita palavra) dia e noite nisso."

    Alemanha 7 x 1 Brasil: O que explica o vexame do Brasil?


     Torcedor brasileiro se desespera no Mineirão diante da goleada sofrida pela seleção (Foto: Fabrice Coffrini / AFP)

    "O Brasil tem jogadores de muita técnica, mas raros são os que conseguem exercer mais de uma função dentro de campo, dando alternativas aos treinadores. Isso não ocorreu apenas nas duas últimas Copas do Mundo. É uma marca do futebol dos clubes brasileiros, cujas categorias de base são dedicadas a ganhar e não a ensinar os jovens a jogar futebol, incluindo os aspectos táticos, técnicos, físicos e mentais que essa tarefa necessita.

    Também nas comissões técnicas residem problemas graves. Os técnicos brasileiros são incapazes de mudar o esquema tático no meio dos jogos, ou de adotar inovações, uma incompetência que se torna notória diante da ausência de bons trabalhos feitos por treinadores brasileiros no exterior. Neste ano, o problema ficou claro. Felipão não mudou uma vez sequer o 4-2-3-1 que vinha da época de Mano Menezes, e apostou em dois observadores táticos – Gallo e Roque Júnior – cujas credenciais para exercer essa função são amplamente desconhecidas.

    O trabalho em equipe e os treinamentos geram confiança na capacidade de contornar problemas e reverter desvantagens. Apostar as fichas na amizade do grupo, na mística do treinador, no peso da camisa ou mesmo no lampejo de um craque é pouco. Muito pouco. Enquanto o Brasil não se adaptar a esta situação, vai continuar colecionando derrotas."


    leia o artigo de Jose Antonio Lima > 

    Alemanha 7 x 1 Brasil: O que explica o vexame do Brasil? - Esporte Fino:

    foto Fabrice Coffrine

    Quem sabe assim dá pro Brasil ganhar




    (São Paulo, SP)
    quer ver outras charges?
    clique em marcadores:charges

    Marcadores: ,

    Bizarrrice


    Pedir para alguém escolher o momento mais emblemático da semifinal Alemanha x Brasil é como exibir para eles "Eraserhead" do David Lynch e depois ficar: "O que você achou esquisito neste filme"?

    - Kevin Lincoln 

    Holanda


    Essa não entendi. No seu segundo jogo em importância no torneio (acabou sendo seu último), o estrategista-mór da Copa, Van Gall, adotou a tática da cautela e do recuo, costurando passes esperando a defesa argentina clarear - e quando dava penetrando pouco.

    Não se pretendia repetir o efeito do jogo contra o México, onde foi levando e nos últimos minutos o ataque correu à frente e marcou dois gols. Mas bastava olhar para o porte desses laranjas no bagaço nessa maratona tropical para ver que não teriam muito fôlego para repetir a façanha.


    Outra: se ele usou o Truque do Krull no jogo contra a Costa Rica, teria que repetí-lo no jogo seguinte. Manteve Cilessen no gol. A mensagem que havia passado era a seguinte: troquei o goleiro porque Krull é melhor para pegar penaltis. Cilessen não é tão bom para pegar pênaltis.

    Quando chegou a hora do confronto final, com Cillesen defendo Holanda na disputa de pênalti, os argentinos já entrariam com essa dose extra de confiança. Ao contrário do impacto que Van Gall causou na Costa Rica.

    Mas, enfim, num jogo ocho, com predomínio amplo das defesas, a Argentina foi ligeiramente melhor e mereceu ir à final. 



    Torcida distorcida (2)



    (Belo Horizonte, MG)
      
    para ver outras charges
     clique em marcadores:charges 

    Marcadores: ,

    Sete pecados do futebol brasileiro - Aydano Andre Motta


     

    " Os brasileiros ficaram no passado em esquemas de jogo e métodos de trabalho. Aqui, se ouve muito que “fulano entende os jogadores”, “sicrano sabe unir o grupo”, “beltrano tem pulso forte”, mas a última novidade surgida por estas bandas talvez tenha sido a coreografia de macaquices encenada pelos técnicos à beira do campo, jogo sim, jogo também."

    "No comando da CBF, um dirigente que milita no futebol há pelo menos 40 anos; à frente da seleção, o técnico de 2002 e o de 1994 (que era preparador físico em 1970). Se ao menos eles tivessem ideias novas... Mas não. Felipão repetiu, em 2014, o conceito de família que deu no penta conquistado em campos do Oriente. Ele, Parreira e José Maria Marin invocaram o discurso de “ninguém segura esse país” para turbinar o pré-Copa, garantindo que a conquista do hexa era quase uma formalidade, tamanho o poderio de nosso esquadrão. Para tudo se desmanchar na maior humilhação da seleção em todos os tempos."


    leia na análise de Aydano André Motta > 
    Sete pecados do futebol brasileiro - Jornal O Globo

    Goleiro da Alemanha diz que homossexuais no futebol deveriam se assumir

     
     Manuel Neuer goleiro da Alemanha (Foto: getty image)

    O goleiro da seleção da Alemanha e do Schalke 04, Manuel Neuer, afirmou que os jogadores profissionais homossexuais devem se revelar. A declaração foi dada em uma entrevista publicada na revista Bunte.

    - Sim, quem é homossexual deveria dizer que é. Os torcedores vão se acostumar rapidamente. O que importa é o rendimento do jogador, não a preferência sexual - afirmou o atleta, de 24 anos.


    Goleiro da Alemanha diz que homossexuais no futebol deveriam se assumir | globoesporte.com

    Comerciais são modificados depois da derrota






    (Rio de Janeiro, RJ)
      
    para ver outras charges clique 
    em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    Alcino Leite Neto: Jogadores brasileiros precisam estudar com afinco



    • "Vou dispensar a metáfora final dos comentários futebolísticos. Mas arriscarei ao menos um prognóstico. Esta é a Copa que talvez deixará claro ao imaginário coletivo que está em vias de acabar (ou já acabou) aquele velho Brasil –do jeitinho, da gambiarra, do país abençoado, do sucesso sem esforço, da falta de planejamento, do individualismo malandro e outras manias. Vamos fazer o novo. "

    leia texto de Alcino Leite Neto > 

    Alcino Leite Neto: Jogadores brasileiros precisam estudar com afinco - 10/07/2014 - Folha na Copa - Esporte - Folha de S.Paulo

    As sete bofetadas - Juca Kfouri


     juca kfouri

    "A primeira bofetada foi dada no compadrio, na panelinha dos cartolas que há décadas chutam a meritocracia para escanteio."

    leia as demais bofetadas aqui:

    As sete bofetadas - 10/07/2014 - Juca Kfouri - Colunistas - Folha de S.Paulo

    Alemanha se prepara para a grande final

    Marcadores: ,

    quarta-feira, julho 09, 2014

    "Não se match comigo!"


    E não é que o Ray Whelan - o chefão da Match, envolvido no escândalo dos ingressos para a Copa - foi solto?
    Está soltinho e de volta exercendo as suas funções.
    Como diz a Delia Fisher, portavoz da empresa: "Não podemos depender apenas do que é dito na imprensa".


    Parabens aos vice-campeões de 1950


    Enterrem as mentiras


     "Do outro lado, estava a Alemanha, talvez o time que mais se divertiu no Brasil até aqui. Não há traço de sofrimento, não há rosto de jogador alemão demonstrando superação. Só futebol, jogado com mais prazer e menos dor.

    Que a tragédia brasileira de ontem enterrem de vez algumas mentiras que passamos a acreditar. "


    leia a coluna de Eduardo Tironi>
     Blog do Tironi |

    Como vem jogando a Seleção Brasileira



    (São Paulo, SP) 
    para ver outras charges 
    clique em marcadores:charges

    Marcadores: ,


    Brasileiro é metido a espertinho. Criaram o mito do malandro e nisso acreditou-se até hoje. Acha que vai pra frente passando os outros pra trás.

    Felipão, por exemplo, ao invés de se preocupar em aprimorar seu time, dando consistência a jogadores que nunca tinham atuado juntos - numa formação nova forçada por circunstâncias - ficou mais preocupar em enganar olheiros do time adversário (Alemanha) e promoveu treinos com a escalação "errada", ou seja, a que não usaria no jogo.

    Deu no que deu? Ou deu no que não deu? Ou já tinha dado antes? 


    Vá pro inferno voce, Felipão


    O futebol brasileiro está atrasado?


     
Os jogadores da seleção brasileira após levaram um dos sete gols da Alemanha
Foto: Pedro Ugarte / AFP


    "Como um técnico pode falar que a seleção oponente deixou ou não jogar? Como se a gente fosse combinar com o oponente. Precisamos rever nosso futebol. Temos uma comissão técnica atrasada. O Parreira como auxiliar (na realidade, coordenador técnico) vai ser olheiro de que tipo de jogador? No futebol não se pode ouvir críticas? Como seria então o teatro e o cinema sem os críticos? Existe uma teimosia em não mudar. É uma comissão que não escuta ninguém, monocrática, autoritária e sem sensibilidade. "

    leia mais
    O futebol brasileiro está atrasado? - Jornal O Globo

    Felipão decepcionado com a equipe




    (Rio de Janeiro, RJ)

    para ver outras charges clique em marcadores:charges

    Romário desabafa sobre derrota do Brasil e fala em ‘revolta’ e ‘vergonha’


    Deputado Federal Romário
    "Marin e Del Nero tinham que estar era na cadeia! Bando de vagabundos!!!

    A corrupção da CBF tem raízes em todos os clubes brasileiros, vale lembrar que são as federações e clubes que elegem há anos o mesmo grupo de cartolas, com os mesmos métodos de gestão arcaicos e corruptos implementados por João Havelange e Ricardo Teixeira e mantidos por Marin e Del Nero. Vale lembrar, que estes dois últimos mudaram o estatuto da entidade e anteciparam a eleição da CBF para antes da Copa. Já prevendo uma possível derrota e a dificuldade que eles teriam de se manter no poder com um quadro desfavorável.

    E os clubes? Sim, eles também são responsáveis por essa crise. Gestões fraudulentas, falta de investimento na base, na formação de atletas. Grandes clubes brasileiros estão falindo afogados em dívidas bilionárias com bancos e não pagamentos de impostos como INSS, FGTS e Receita Federal.

    E toda essa má gestão que tem destruído o nosso futebol, infelizmente, tem sido respaldada há anos pelo Congresso Nacional com anistias e mais anistia destes débitos. "

    leio o texto do Romário
    Romário desabafa sobre derrota do Brasil e fala em ‘revolta’ e ‘vergonha’ - Jornal O Globo


    Tá todo mundo caindo na pele do Felipão,
    quando o buraco é mais em cima.
    A questão maior é quem o colocou como técnico.

    A festa alemã

    (Campinas, SP)

    para ver outras charges clique 
    em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    Vexame suscita debate para que o futebol brasileiro recupere a identidade perdida


     


    "Desde 1964, o futebol brasileiro ainda sofre para expurgar suas ligações com o regime.

    Deputado pelo partido de apoio ao governo no período, Marin é cobrado até hoje por organizações de direitos humanos pelo discurso em homenagem ao delegado Fleury, responsável pela tortura dos presos políticos. Embora seja civil, Parreira cresceu na vida esportiva a partir da sua ligação com a Escola de Educação Física do Exército, cujos quadros tomaram conta da comissão técnica da seleção após a queda do comunista João Saldanha, em 1969.

    HORA DE PASSAR A LIMPO

    Inflado após a conquista do penta, sem mostrar pudores em ferir a opinião pública, Felipão disse no programa Roda Viva que a ditadura de Pinochet produziu benefícios para a educação no Chile. Esportista sem responsabilidade pelo atentado às liberdades nos anos de chumbo e cidadão com direito a exprimir suas opiniões, Felipão reflete certa mentalidade e truculência que ainda encontra eco na sociedade brasileira. Fora do campo, quando entra nos gabinetes, a gestão do futebol brasileiro ainda está ligada à política e aos negócios escusos. Enquanto Ricardo Teixeira descansa em Miami, o próximo presidente, Marco Polo del Nero teve um ingresso de sua cota apreendido com cambistas.

    Já que o velho Maracanã não está mais aqui para contar a história redimida de 1950, resta a prudência para que a destruição não se repita. Antes que novo linchamento aconteça apenas ao nível do campo, melhor discutir o andar de cima. A julgar pela injustiça que durou 64 anos, chegou a hora de proteger as vítimas e passar a limpo as instituições do futebol brasileiro."


    leia mais no artigo de Pedro Motta Gueiros 
    Vexame suscita debate para que o futebol brasileiro recupere a identidade perdida - Jornal O Globo


    Felipão declarou diversas vezes que havia um complô para que o Brasil não fosse campeão da Copa do Mundo.

    Nunca vi um complô tão bem executado!


    Vem cá, a Skol não deveria sustar agora esse anúncio com torcedores brasileiros bradando o Hexa e desmerecendo torcedores da Alemanha?

    Seleção se(n)te a derrota





     
    (São Paulo, SP) 
     
    para ver outras charges 
    clique em marcadores:charges

    Marcadores: ,

    Estação Maracanã: Redenção de 50, vergonha de 2014






    "Não basta ter bons jogadores, é preciso transformar os clubes, acabar com o amadorismo de suas administrações, útil apenas para viabilizar a roubalheira que enriquece quase todos os que gravitam no futebol. É preciso estancar a saída precoce de jogadores, criar condições para que eles permaneçam por aqui. Necessário também criar uma espécie de Lei Áurea que elimine a escravidão imposta a jovens talentos por traficantes de gente, empresários que se tornam proprietários de garotos de 11, 12 anos.

    É fundamental trazer técnicos de outros países, profissionais que superem a lógica do vamos que vamos, que parem de falar em grupo fechado, que deixem de equiparar seus elencos a famílias. Times não são para encontros de família — para ser formados exigem trabalho, esforço e talento. "

    leia a coluna de Fernando Molica


    Estação Maracanã: Redenção de 50, vergonha de 2014 - Copa 2014 - O Dia

    O tempo passou na janela e só o futebol brasileiro não viu


    Lembram daquela decisão do Mundial de Clubes entre Santos e Barcelona?

    Uma grande final, seria uma bela disputa, os dois times cheios de craques, num resultado imprevisível...
    O que se viu foi uma derrota acachapante do Santos, tombado ao gramado sem fôlego, estupefato.
    Diante do show de bola, de técnica, de táticas, do Barcelona.
    Foi uma aula de futebol.

    Ninguem aprendeu a lição.

    O jogo de ontem, Alemanha x Brasil, semifinal da Copa de 2014, foi a mesma coisa.
    Um futebol ultrapassado tomando um banho de um futebol renovado. 
    Uma superioridade avassaladora de técnica, táticas, vontades.

    Nós, assistindo aos dois jogos, tivemos as mesmas sensações.
    Não era para ter passado por isto de novo.

    De lá para cá o futebol brasileiro - dentro de campo, na sua estrutura, na sua administração - não evoluiu nada.
    Eu escreveria até o contrário: involuiu! 


    Quando virá uma outra partida como esta, uma terceira tunda histórica? 


    Apareceu o Fuleco!



    (Manhuaçu, MG)

    Marcadores: ,

    É preciso ressuscitar


    É preciso haver a conscientização de que o futebol brasileiro precisa ser reformulado, a começar por essa CBF que não se dá ao trabalho de estudar, aprender, discutir, se informar, se atualizar com o futebol que corre o mundo. Uma conscientização da cartolagem. Não será com essas reeleições na CBF que isso se realizará.

    Criticar só cartolas é muito fácil. É politicamente corretinho poupar, por exemplo, nossos técnicos, os ditos “professores”, que, com raríssimas exceções, estão tão desatualizados, tão desinformados, tão despreparados, tão desinteressados no nível de qualidade do futebol brasileiro quanto os cartolas.
    Do que eles tratam aqui? Estão tantos e tantos anos atrasados que tratam de defender, armar retranca, segurar vitória de 1 a 0, dar chutões para frente, desencadear correrias, ensaiar faltas táticas, cometer essas faltas, dar pontapés, agarrões, puxões, coisas assim.

    Vocês viram ontem, entre um gol e outro que marcava na seleção brasileira, como se estivesse jogando contra uma ingênua equipe colegial — vocês viram a seleção alemã recorrer a um desses “recursos” citados acima e que vemos todos os dias nos campos brasileiros?

    E como anda nosso trabalho nas divisões de base? Estamos preparando atacantes e armadores como já tivemos — tantos! — nos anos do pentacampeonato? Ou estamos selecionando a garotada mais forte, mais parruda, para formar volantes, zagueiros e atacantes de força que corram mais do que os outros? Quem cuida, quem dirige, quem determina — depois do século passado — a filosofia, os conceitos, os princípios da formação de nossos jogadores?

    São nossos técnicos de renome? São os “professores “ tão admirados, estudados e comentados pela crítica? São os técnicos que passaram pela seleção nos últimos anos, inclusive o atual? 

    - Fernando Calazans 

    Não vai ter Capa



    Tive um sonho muito doido esta noite.
    Sonhei que a Seleção Brasileira jogou com a Seleção Alemã no Mineirão e tomou uma chulapada. Era gol atrás do outro. O primeiro tempo terminou 5 x0 com o time brasileiro desarvorado em frangalhos. A torcida vaiava o time e gritava olé para os alemães.
    Quando Felipão começou a dar entrevista dizendo  "isso são coisas do futebol", acordei com os meus próprios gritos...

    terça-feira, julho 08, 2014

    pela cochlea: Bye Bye, Brasil (Chico Buarque e Roberto Menescal)

    Da série "Reciclando Piadas Históricas"


    - Porque a defesa brasileira tem tantas árvores?

    - Para os alemães poderem avançar na sombra.

    (esta é do tempo da II Guerra Mundial)


    De Felipe Flexa

    Esta é a base do time para 2018. Vamos ter Neymar, Neymar e... Neymar. Ou vamos fazer como os alemães? A seleção que perdeu para o Brasil em 2002 foi a semente dessa Unidade Panzer que nos atropelou hoje. Criaram 18 centros de futebol. Não quero comparar um esporte com outro, muito menos em popularidade, mas a CBV tem UM centro de treinamento pros times masculino e feminino. Saímos de um time feminino que sempre perdia para o Peru e Cuba pra um bicampeonato olímpico incontestável. Saímos de uma (boa) geração de prata masculina pra um time bicampeão olímpico e nove vezes campeão da Liga Mundial. Ah, e bicampeão mundial. Não tem mágica. Como já dizia um dirigente do Barça, "a bola não entra por acaso". É treino, treino, treino. È garimpar, garmipar, garimpar. Mas fazer o quê na CBF, onde o PRESIDENTE ROUBA MEDALHAS DE ATLETAS?

    É preciso ter a humildade de reconhecer que TODOS os treinadores do Brasil estão ULTRAPASSADOS. TODOS. SEM EXCEÇÃO. Não é demais lembrar que Felipão é um responsável DIRETO pelo último rebaixamento do Palmeiras no Brasileirão. Ele largou o cargo antes da cagada consumada. Um ato nem tão honrado assim. Chegou a hora de trazermos um treinador de fora. Posso chutar nomes como Sanpaoli, Pekerman... Guardiola já disse que treinaria o Brasil. Chutem outros. Felipão já deu.

     

    BRASIL X ALEMANHA !!





    (Belém, PA)
     
    para ver outras charges clique em marcadores:charges  

    Marcadores: ,

    A ausencia de Neymar é uma presença constante




    QUINHO 
    (Belo Horizonte, MG) 
    para ver outras charges clique em marcadores:charges 

    Marcadores: ,


    Não sei se a Seleção Brasileira passa hoje à semifinal.
    Mas vou dizer uma coisa: a Polícia Federal é campeã.
    Com gol de placa.

    Canarinho danado


    (Rio de Janeiro, RJ)
     
    para ver outras charges clique 
    em marcadores:charges

    Marcadores: ,


    Muito se tem falado da cena de David Luiz consolando James Rodriguez, ao final do jogo do Brasil que eliminou a Colômbia. Realmente, uma das cenas mais emocionantes desta Copa cheia de emoções.

    Mas o lance de David Luiz que achei mais bacana ocorreu na disputa de penaltis entre Brasil x Chile.
    A cada penalti convertido, DL se dirigia ao batedor, cumprimentava e dava os parabéns.
    Ele fez isto com os jogadores brasileiros e inclusive com os jogadores chilenos.



    As véias na Copa





    (Joinville, SC)
     
    para ver outras charges clique em"marcadores: charges

    Marcadores: ,


    Saimos do epa e vamos para o hexa. (Jaguar)



    Uma das definições mais interessantes da atual Seleção Brasileira é esta do jornalista ingles Barney Rovay.

    Ele considera que o time está muito preso, contido,
    "parece às vezes o equivalente futebolístico de um musculoso segurança de buate que, quando a musica começa a tocar na pista, não se mexe além de bater o pé e erguer uma sobrancelha".

    Vamusisoltá, molecada!!!

    Atletas chegam às semifinais no bagaço


    (São Paulo, SP) 
     
    para ver outras charges 
    clique em marcadores:charges

    Marcadores: ,

    Watermelon man is the new star of the World Cup




    Pessoas estão fazendo de tudo para aparecer no telão dos estádios, nas transmissões de TV, num filma-eu-galvonismo elevado à potência planetária.
    Mas este do link é um tradicionalista. Coloca em pratica a máxima milenar:
    QUER APARECER? PÕE UMA MELANCIA NA CABEÇA!

    (clique no link para ver o vine) 
     Watermelon man is the new star of the World Cup · Project Babb

    E começam as semi-finais!!




    MIGUEL
    (Recife - PE) 
     
        clique na charge para ve-la em tamanho maior
    para ver outras charges clique 
    em marcadores:charges

    Marcadores: ,

    Violência chama violência


    Em meio à histeria vingativa contra zunigas, colombianos, arbitragens, continuo tentando contextualizar o incidente que eliminou Neymar da Copa 2014.

    Alguns dados. Qual a equipe que cometeu mais faltas numa única partida durante este torneio (até agora)? A Seleção Brasileira. Justamente no jogo contra a Colômbia. 31 faltas.
    E qual a equipe que está em segundo lugar nessa contagem faltosa? A Seleção Brasileira. No jogo contra o Chile, cometeu 28 faltas.
    Esta é a Seleção Brasileira com maior média de faltas/partida na história de sua atuação em copas do mundo.

    O time de Felipau entrou pra bater. E levou. Infelizmente, sobrou para Neymar. E para quem gosta de show de bola. 




    O brasileiro não sabe perder!



    "O brasileiro nunca priorizou essa tal nobreza. Quando perdemos, como em 1998, é porque o Mundial estava “comprado”. Em 2006 a culpa foi do Roberto Carlos, que estava arrumando o meião no lance do gol da França. Já na África do Sul, em 2010, criticamos Felipe Melo e Julio Cesar. Mas nunca fomos derrotados porque faz parte do esporte, porque o adversário mereceu. Afinal, nós somos o país do futebol e ninguém pode ser melhor em nenhuma hipótese.

    O jeitinho brasileiro também invade nossa forma de torcer. E será bem mais coerente culpar Zúñiga em caso de eliminação. Ninguém vai falar que nossa Seleção poderia ter se preparado melhor. Então vamos continuar chorando com a contusão de Neymar como se ele nunca mais fosse jogar bola. Uma comoção desproporcional que parou o país, típica de mau perdedor. Sei que a Seleção vai terminar esse Mundial com dignidade, mas não espero o mesmo do povo caso o título não venha."


    leia o artigo de Alessandro Abate

    O brasileiro não sabe perder! | Blog Paulistas


    Tá tudo muito bom, tá tudo muito bem, a festa tá bonita,mas começam a aparecer as rachaduras na fachada vistosa da FIFA: a manipulação de resultados e outros pontos de jogos (Camarões x Croácia, por exemplo); a venda paralela de ingressos por fora, envolvendo figurões da entidade)...

    segunda-feira, julho 07, 2014

    Panini’s World Cup sticker factory – São Paulo’s mecca for collectors


     freshly printed panini stickers

    "Over 65 million Panini sticker albums have been published for this World Cup. “What other publishing company prints 65 million copies of anything?” he says. “Except the Bible, maybe. We are the Bible!” News stories reflecting South America’s biblical love for Panini stickers became as common in the runup to the World Cup as anguished sports pieces about the fitness of various players: there was the heist of 300,000 stickers in Rio (“Something always happens in Rio!” laughs Martins), and the tale of the teacher in Colombia who was caught stealing stickers from his own students. One misguided soul tried to sue Panini for £50,000, claiming that his son had suffered “depression and illness” after failing to receive a sticker he ordered. “That was a nuisance,” tuts Martins."

    read story by Hadley Freeman

    Panini’s World Cup sticker factory – São Paulo’s mecca for collectors | Football | The Guardian

    Zuniga sai de campo


    (São Paulo, SP)
     
    para ver outras charges clique em
    "marcadores: charges"

    Marcadores: ,


    e o blog0news continua…
    visite a lista de arquivos na coluna da esquerda
    para passear pelos posts passados


    Mas uso mesmo é o

    ESTATÍSTICAS SITEMETER