This site will look much better in a browser that supports web standards, but it is accessible to any browser or Internet device.



blog0news


  • O PROBLEMA DO MUNDO DE HOJE EH QUE AS PESSOAS INTELIGENTES ESTÃO CHEIAS DE DUVIDAS, E AS PESSOAS IDIOTAS ESTAO CHEIAS DE CERTEZAS. (BUKOWSKI)

  • Vislumbres

    Assinar
    Postagens [Atom]

    Powered by Blogger

    Fragmentos de textos e imagens catadas nesta tela, capturadas desta web, varridas de jornais, revistas, livros, sons, filtradas pelos olhos e ouvidos e escorrendo pelos dedos para serem derramadas sobre as teclas... e viverem eterna e instanta neamente num logradouro digital. Desagua douro de pensa mentos.


    segunda-feira, abril 06, 2020

    Maré Alta


    Zizek vê o poder subversivo do Coronavírus






    " Mercados financeiros em pânico. Indústria de automóveis parada. Cidades sem trabalho. Aos poucos, pandemia transtorna normalidade opressora do capitalismo, expõe suas entranhas e mostra: outras formas de estar no mundo são necessárias"
    artigo de Slavoj Zizek​

    Zizek vê o poder subversivo do Coronavírus - Outras Palavras

    Maré Alta


    The guy with the keys





    "This is the moment The Church of the Holy Sepulchre in Jerusalem was closed due to Coronavirus.

    Last time this happened was in 1349, during The Black Death, a bubonic plague pandemic.

    What’s fascinating about this story is the guy with the keys."

    Vendetta



    VASQS

    Marcadores: ,

    New Yorker


    Apocalypse - Cigarettes After Sex

    You leapt from crumbling bridges watching cityscapes turn to dust
    Filming helicopters crashing in the ocean from way above
    Got the music in you baby
    Tell me why

    Engatilhando a arminha



    AROEIRA

    Quatro Generais comandam o Brasil, mas Bolsonaro fica pra divertir os bolsomínions ⋆




    "De acordo com Walter Falceta, o Brasil já é governado por quatro generais em substituição ao desastroso Governo Bolsonaro. O ainda presidente brasileiro seguirá animando seus fiéis seguidores mentecaptos que, cegos, nem sabem que ideologia defendem. O chefe do executivo segue decorativamente como uma rainha da Inglaterra sem realeza, cumprindo agendas que se limitam a receber seu público no picadeiro do Palácio da Alvorada. Segue o texto do jornalista:"

    Quatro Generais comandam o Brasil, mas Bolsonaro fica pra divertir os bolsomínions ⋆

    Brasil: ¿A Bolsonaro se le insubordinan los general...




    "Surgen señales de descomposición del régimen que autorizan especular sobre varios escenarios futuros que van desde el desplazamiento del mandatario para que su cargo sea ocupado pro el vicepresidente, general Hamilton Mourao, a la prolongación de status quo con un Bolsonaro espectral, sin autoridad sobre una parte o todo el gobierno. Tampoco se descarta como salida un autogolpe: la semana pasada un periodista le preguntó si pensaba en esa opción y le jefe del Ejecutivo no la descartó."

    por Dario Pignotti

    Brasil: ¿A Bolsonaro se le insubordinan los general... | Página12

    Caneta no Mandetta


    MIGUEL PAIVA

    Marcadores: ,

    PASQUIM 50 ANOS

    Já que nao se pode mais mais sair de casa para ir ver a exposição PASQUIM 50 ANOS no Sesc-Ipiranga (São Paulo)
    aqui vai uma imagem da expo para curtir o seu conteúdo.
    de autoria do ZIRALDO


    O desenho tem um motivo de estar enrugado
    (quem tiver ido à exposição vai entender) 

    Quarentena Seletiva



    NANDO MOTTA

    Marcadores: ,

    Laura Rucker - Cryin' the blues

    I woke up this morning
    Couldn't even get outta my bed
    Had the blues about my honey
    Nearly killed me dead
    So I cried all night and all that night before
    So I cried all night and all that night before
    Gonna change my way of living
    Maybe I won't have to cry no more


    Como o Rio sofreu com epidemia de gripe espanhola em 1918, mas sobreviveu para pular um carnaval inesquecível




    Caixões insepultos no Caju, durante a epidemia de gripe espanhola, em 1919


    "Sem remédio para amenizar os sintomas, as pessoas apelavam para religião e o que mais houvesse às mãos. Os preços do limão e do frango dispararam, porque acreditava-se que esses produtos combatiam os sintomas. Usava-se muito também o quinino, alcaloide de funções antitérmicas que pode causar efeitos colaterais como distúrbios visuais e náuseas."

    LEIA ARTIGO DE WILLIAM HELAL FILHO

    Auxílio Emergencial


    AMORIM

    Marcadores: ,

    domingo, abril 05, 2020

    Hope | Esperança

    Hope | Esperança

    Mascarado



    EDGAR VASQUES

    Marcadores: ,

    Vieram nos salvar do Corona



    CUSTODIO

    Marcadores: ,

    Where Have All the Flowers Gone? - Marlene Dietrich (Pete Seeger)

    Where have all the soldiers gone?
    Gone to graveyards every one
    When will they ever learn?
    When will they ever learn?

    Coronavírus: guerra política precisa de um cessar-fogo

    Lula João Doria



    "Quem vive reclamando da polarização na política não tem o direito de chamar de “erro” um ex-presidente petista reconhecer o trabalho de um governador tucano. Ainda mais quando o chefe da nação encara a guerra contra um vírus mortal lançando mão de mentiras, radicalismos e politicagem rasteira. Jornalistas que cegamente alimentaram o lavajatismo, que por sua vez ajudou a colocar o bolsonarismo no poder, deveriam ser mais cuidadosos ao criticar gestos republicanos de políticos que se fiam na ciência."

    leia artigo de Joao Filho

    Coronavírus: guerra política precisa de um cessar-fogo

    Hope | Esperança

    Hope | Esperança

    Páscoa está chegando



    AMORIM

    Marcadores: ,

    The Smiths - Still Ill live on the Tube 1984

    Under the iron bridge we kissed
    And although I ended up with sore lips
    It just wasn't like the old days anymore
    No, it wasn't like those days, am I still ill?

    PASQUIM 50 ANOS



    Já que nao se pode mais mais sair de casa para ir ver a exposição PASQUIM 50 ANOS no Sesc-Ipiranga (São Paulo)
    aqui vai uma imagem da expo para curtir o seu conteúdo:


    O futuro está em disputa: pode ser Gênesis ou Apocalipse (ou apenas mais da mesma brutalidade)



    Jovem em Mumbai, Índia, no primeiro dia de quarenta imposta no país diante da pandemia de coronavírus, nesta quarta-feira.

    "No princípio era o vírus. Coronavírus. Em menos de dois meses após a primeira morte, registrada na China em 9 de janeiro, ele atravessou o mundo a bordo de nossos corpos que voam em aviões. Tornou-se onipresente no planeta, ainda que tão invisível quanto certos deuses para olhos humanos. Hoje, 1,7 bilhão de pessoas, cerca de um quinto da população global, está em isolamento. Escolas, restaurantes, cinemas e até shoppings cerraram as portas, fronteiras de países e de continentes fecharam, aviões se esvaziaram, presidentes maníacos finalmente foram reconhecidos como presidentes maníacos, neoliberais foram vistos clamando —“cadê o Estado? cadê o Estado?” —, ardorosos defensores dos planos privados de saúde compartilharam campanhas pelo fortalecimento do SUS, terraplanistas exigiram respostas da ciência. Pelas janelas do Facebook, Twitter, Whatsapp e Instagram, pessoas decretam: o mundo nunca mais será o mesmo.

    Não será. Mas talvez seguirá sendo bastante do mesmo. Além de nossa sobrevivência, o que disputamos neste momento é em que mundo viveremos e que humanos seremos depois da pandemia. Essas respostas vão depender do modo como vivermos a pandemia. O depois, o pós-guerra global do nosso tempo, vai depender de como escolhemos viver a guerra. Não é verdade que na guerra não há escolhas. A verdade é que, na guerra, as escolhas são muito mais difíceis e as perdas decorrentes dela são muito maiores do que em tempos normais.

    Na guerra, temos dois caminhos pessoais que determinam o coletivo: nos tornarmos melhores do que somos ou nos tornarmos piores do que somos. Esta é a guerra permanente que cada um trava hoje atrás da sua porta. Momentos radicais expõem uma nudez radical. Isolados, é também com ela que nos viramos. O que o espelho pode mostrar não é a barriga flácida. Pouco importa, já não há onde nem para quem desfilar barrigas-tanquinho. O duro é encarar um caráter flácido, uma vontade desmusculada, um desejo sem tônus que antes era mascarado pela espiral dos dias. O duro é ser chamado a ser e ter medo de ser. Porque é isso que momentos como este fazem: nos chamam a ser"

    Mais no texto de Eliane Brum

    Diário da privação: Chorei, de chorar, de lágrima mesmo, tá ligado?



    Herbet Douglas Santos da Silva, 24, sua esposa, Regina Santos Silva, 24, e os filhos Isac e Isabela; moradores de Paraisópolis na zona sul de São Paulo, fazem parte de um contingente que sofre as consequências da crise no meio da pandemia do coronavírus

    "Desempregado há um ano e meio, Hebert Douglas, 24, é um dos mais de 13 milhões de moradores de favelas no Brasil. Numa casa de dois cômodos, em Paraisópolis, comunidade carente com cerca de 100 mil habitantes, ele e a mulher, também desempregada, Regina Santos Silva, 24, tentam arranjar o básico para dar o que comer para os filhos de 1 e 2 anos. Até esta segunda-feira (30), o que tinham não passava de um pacote de arroz, dois de feijão, um litro de óleo e sal."

    leia reportagem de EMILIO SANT' ANNA 


    Jornal Floripa - Diário da privação: Chorei, de chorar, de lágrima mesmo, tá ligado?

    Wientraub usa Cebolinha para ridicularizar chineses





    DALCIO MACHADO

    Marcadores: ,

    Nina Simone - Stars (Janis Ian)



    Some make it when they're young,
    Before the world has done it's dirty job.
    And later on, someone will say,
    "You've had your day, now you must make way."
    Don't they always?
    But they'll never know the pain
    Of living with a name you never owned.
    Or the many years forgetting,
    What you know too well,
    That you who gave the crown,
    Have been let down.
    You try to make amends
    Without defending
    Perhaps pretending
    You never saw the eyes
    Of young men at twenty-five,
    who followed as you walked,
    Asked for autographs,
    Kissed you on the cheek.
    And you never could believe,
    They really loved you.
    Never
    Some make it when they're old
    Perhaps they have a soul they're not afraid to bare.
    Perhaps there's nothing there.

    Coronavírus é antagonista à altura do estado de alucinação de Bolsonaro



     

    "O universo das fake news e da pós-verdade, não por acaso, cancela a ciência e afronta a ordem jurídica, acuando-as. Acoplado a ele, Bolsonaro pretende viver num estado de instantaneidade virulenta e sem depois (que não comporta nem admite, por isso mesmo, nenhum projeto que não seja o do atropelamento das instituições).

    Eis que parece ter chegado um antagonista à altura desse estado de alucinação continuada, talvez o único capaz de puxar o tapete discursivo em que o presidente se move, e deslocar em alguma medida a hipnose de massas sobre a qual ele se construiu: chama-se real. Antes de dar nome à moeda, o real é o poder da realidade quando envolve a todos de maneira incontornável. Real é aquilo que não dá para não ver, mesmo que seja invisível, como um vírus"


    leia artigo de José Miguel wisnik​

    Coronavírus é antagonista à altura do estado de alucinação de Bolsonaro - 20/03/2020 - Ilustríssima - Folha:

    Gentileza: na crise, vizinhos se ajudam para enfrentar o isolamento social



     Amanda Mujica: rotina de solidariedade

    "O isolamento social dos que podem ficar em casa tem afastado muita gente da família e dos amigos, mas, por outro lado, conseguiu aproximar pessoas que até então se limitavam a trocar aquele automático “bom-dia”. Neste período de quarentena, vizinhos têm se tornado grandes aliados. São eles que ajudam com compras indispensáveis, nos passeios com o cachorro e até fazendo pequenos shows para entreter um fim de dia trancado em casa, às vezes, tão entediante."
    reportagem de LIVIA BREVES


    Gentileza: na crise, vizinhos se ajudam para enfrentar o isolamento social: ,

    PALAVRAS



    É muito triste a solidão dos doentes. A partir do momento em que uma pessoa é internada, acaba o contato familiar. A pessoa se vê só, com uma doença que todos temem, isolada, e sem apoio de quem ama. Ao se despedir, pode ser a última vez que esteja vendo a família, porque não há visitas. Serão semanas assim. Se morrer, seus parentes e amigos não poderão fazer um velório. É uma doença da solidão.

    - Roberto Medronho

    sábado, abril 04, 2020

    19



    SIMANCA

    Marcadores: ,

    1942 HITS ARCHIVE: Blues In The Night - Woody Herman


    Underworld - Ova Nova

    Change your mind
    Change your mind

    That’s a paradox of choice
    And that’s the business of options

    Hope | Esperança

    Hope | Esperança

    ‘As famílias estão destruídas, não podem se despedir dos seus’, conta diretora de funerária na Itália

    Caixões com corpos de vítimas do coronavírus em depósito perto da cidade de Bergamo, uma das mais atingidas pela Covid-19, na Itália Foto: PIERO CRUCIATTI / AFP



    "Em tempos normais, trabalhamos das 8h às 17h. Neste mês, todos nós, sócios e funcionários, um total de 45 pessoas, estamos fazendo 18 horas de jornada. Há muito cansaço e medo. Tivemos cinco funcionários contagiados, e um deles morreu com Covid-19. Meu pai e meu tio também estão doentes. A equipe ficou menor.
    Do início de março até o dia 20, mais ou menos, o maior número de óbitos se registrava nos hospitais. Eram cerca de 20, 25 por dia, nos hospitais e nas casas de repouso para idosos. Nos últimos dez dias, contudo, a maioria das mortes ocorreu em residências. Como os hospitais estão sobrecarregados, as pessoas são obrigadas a seguir o tratamento em casa. Esses são os casos mais difíceis para uma funerária. Na estrutura hospitalar, geralmente ligam e avisam que há dez mortos. Então vamos lá com dez caixões e fazemos tudo de uma vez. Algumas casas são distantes ou são apartamentos no quinto andar, por exemplo. Tudo fica mais difícil. Não há homens suficientes e meios de realizar o trabalho."
    Roberta Caprini, em depoimento a Lucas Ferraz
    leia mais>>

    ‘As famílias estão destruídas, não podem se despedir dos seus’, conta diretora de funerária na Itália – Folha de Búzios

    Free access to 50 concerts to stream - MJF



    Olhai, o Festival de Montreux liberou seu acervo de filmes para assistir gratuitamente no Quello.
    São mais de 50 apresentações no evento lendário.
    Aliás, o Quello é uma boa dica para quem gosta de assistir a concertos e documentários musicais.

    Montreux Jazz Festival Posters | Design Playground Montreux Jazz Festival would like to bring a little magic into your home! We have made over 50 Festival concerts available to stream for free, including performances by Ray Charles, Wu-Tang Clan, Johnny Cash, Nina Simone, Marvin Gaye, Deep Purple, Carlos Santana, and more. We hope that a little music and soul will brighten up your day!

    Free access to 50 concerts to stream - MJF:

    Of the Gun - M Ross Perkins

    A sunny morning, arise
    And you find your way
    To the window pane
    To have a look outside
    How's that lovely world appear today?

    Well it's vile
    And it's cold
    And yet still spring marigolds arrive
    How really kind of grim it is to be alive
    I know it seems that you ought to run and hide
    But no

    Teoria da conspiração diz que o coronavírus é arma biológica da China






    "Nada disso faz o menor sentido: pressupõe que apenas Bolsonaro, e nenhuma potência global, conseguiu desvelar o complô chinês; pressupõe que os modelos epidemiológicos com dados de contaminação na Europa e nos Estados Unidos não têm validade. É tão absurdo que em circunstâncias normais não mereceria nossa atenção.

    Mesmo assim, é isso o que está sendo discutido nos canais de YouTube e nos áudios de WhatsApp —e acredito que temos motivos para acreditar que é isso o que move o presidente e o seu entorno."
    leia coluna de PABLO ORTELLADO

    Democracia Política e novo Reformismo: Pablo Ortellado* - O 'vírus chinês'

    O que Bolsonaro não diz


    PASQUIM 50 ANOS

    Já que nao se pode mais mais sair de casa para ir ver a exposição PASQUIM 50 ANOS no Sesc-Ipiranga (São Paulo)

    aqui vai imagens da expo para curtir o seu conteúdo:







    Gado de Troia


    THIAGO LUCAS

    Marcadores: ,

    sexta-feira, abril 03, 2020

    The Military Knew Years Ago That a Coronavirus Was Coming |





    "Despite President Trump’s repeated assertions that the Covid-19 epidemic was “unforeseen” and “came out of nowhere,” the Pentagon was well aware of not just the threat of a novel influenza, but even anticipated the consequent scarcity of ventilators, face masks, and hospital beds, according to a 2017 Pentagon plan obtained by The Nation."

    read more>> 

    Exclusive: The Military Knew Years Ago That a Coronavirus Was Coming | The Nation

    Tora! Tora! Tora!



    AROEIRA

    Marcadores: ,

    Matosinhos


    Hotel California Gabriella Quevedo

    Entrevista da 2ª Quem admira torturador não se coloca no lugar do outro, diz Miriam Chnaiderman


     Miriam Chnaiderman, que conta como manter a saúde mental


     "O caminho é se apropriar da situação, pensando em como tornar isso um aprendizado do contato com os recursos que cada um tem com o isolamento, com a ruptura de hábitos muito arraigados.

    Eu acho que cada um vai sair transformado disso. Uma experiência dessa vai te levar a romper com hábitos. É muito duro isso, mas quando você rompe, você se abre também. Eu espero (risos)."


    leia entrevista de Miriam Chnaiderman​ para Claudia Colucci​

     ntrevista da 2ª Quem admira torturador não se coloca no lugar do outro, diz Miriam Chnaiderman - Titulos.com.ar

    Diário de confinamento: 'Cada incursão ao exterior é uma operação de guerra'








     

    "Chegando ao supermercado, fila de cabisbaixos. Diligentemente esperando o 1x1 (um sai, outro entra). À entrada, um funcionário com figurino de astronauta sinaliza o álcool em gel. Mostro minhas luvas. “Pfffode pfffassar pfffor fffcima”, escuto ele dizer por detrás do ffcapuz bfffranco.
    Gôndola das cervejas. Distraída, estendo a mão pra pegar uma clara. Não gosto de cerveja, mas sei lá. #DesejosdeQuarentena.

    Não reparo que uma mulher havia chegado antes à gôndola e observa as garrafas e latas transfixadas. Dá um salto olímpico e vai parar do lado dos cereais.

    Grita P*****! A DISTÂNCIA DE UM METROOOO! E eu demoro microssegundos pra perceber que é comigo. Eu infringi uma linha invisível que nos separa a todos. Bad, bad girl."



    mais no relato de Susana Bragatto

    Paga logo Bolsonaro!



    GILMAR

    Marcadores: ,

    Renato Braz & Chico Cesar - Vida da Semana (Riachão) |

    Segunda-feira eu brinco
    Terça-feira eu descanso
    Quarta-feira vou à missa
    Beijar o pezinho do santo
    Quinta e sexta vou trabalhar
    No sábado vender tamanco
    Oi, cumpade, domingo é dia de branco



    IN MEMORIAM RIACHÃO

    O bastão de Asclepius





    Para todos os profissionais de saúde que arriscam suas próprias vidas para salvar as nossas. OBRIGADO! 

    To all the healthcare workers who risk their own lives to save ours. THANK YOU!


    DALCIO MACHADO

    Marcadores: ,

    Modern marvels ~ Takashi Yoshimatsu ~ Kamui-Chikap Symphony {1990} ~ iv....

    to calm anxiety in these troubled times....

    Bolsonaro preocupado em salvar vidas

    de IDELBER AVELAR

    O discurso de ontem de Bolsonaro tem uma pérola que merece um lugar na prateleira com Dilma. Trata-se de uma das frases mais inacreditáveis que já vi em língua portuguesa:

    "A minha preocupação sempre foi salvar vidas, tanto as que perderemos pela pandemia como aquelas que serão atingidas pelo desemprego, violência e fome."

    Ou seja, Bolsonaro quer salvar as vidas que ele já dá por perdidas para a pandemia, e ele quer salvar as vidas de quem será "atingido" pelo desemprego. Como, em geral, no Brasil, pelo menos, as pessoas não costumam morrer de desemprego, e sim passar por um perrengue que exige recolocação no mercado, é impossível não concluir que:

    Bolsonaro quer salvar vidas de dois tipos: as que já estão perdidas e as que não precisam ser salvas. Ou seja, o cara fez uma frase maluca para confessar que é um assassino mesmo.

    A língua disse o cara, o discurso o falou.

    New Yorker


    O presidente mandou o Brasil morrer



     


    "A essa altura, é até difícil interpretar o que o presidente tinha em mente quando foi à TV para matar gente. Talvez tenha sido só sociopatia: talvez ele simplesmente não compreenda que a vida dos outros mereça consideração. Talvez tenha se inspirado em Trump, que vem discursando a favor da volta ao trabalho —sem data marcada, após estudos, e com a manutenção do isolamento por enquanto. Note-se que até o ideólogo Steve Bannon defende um isolamento forte que permita uma saída rápida da crise. Talvez os brasileiros morram porque o presidente da República assiste a vídeos ainda mais toscos que os de Bannon no YouTube.

    Mas também é possível que Jair tenha tentando um golpe de jiu-jitsu muito além de sua faixa. Pode ter criticado o isolamento enquanto torce para que ele dê certo. Se der, o número de casos será pequeno e Bolsonaro poderá mentir que o risco nunca foi tudo isso, não precisava ter sacrificado a economia, ele bem que avisou."


    mais na coluna de Celso Rocha de Barros​ 

    Celso Rocha de Barros: O presidente mandou o Brasil morrer - Fundação Astrojildo Pereira

    Conceição de Mato Dentro


    Come out, Brazilians!



    KAL

    Marcadores: ,

    Pacto com o Diabo


    quinta-feira, abril 02, 2020

    Autorretrato: Matriz de Conceição


    01 Marta Ren & The Groovelvets - Don't Look

    Sweet honey in the rock - Ella's Song

    We who believe in freedom cannot rest untill it comes

    Conceição do Mato Dentro


    Conversas como essas



    RICARDO COIMBRA

    Marcadores: ,


    e o blog0news continua…
    visite a lista de arquivos na coluna da esquerda
    para passear pelos posts passados


    Mas uso mesmo é o

    ESTATÍSTICAS SITEMETER