This site will look much better in a browser that supports web standards, but it is accessible to any browser or Internet device.



blog0news


  • Acabar com a corrupção eh o objetivo supremo de quem ainda nao chegou ao poder. (Millor Fernandes)

  • Vislumbres

    Assinar
    Postagens [Atom]

    Powered by Blogger

    Fragmentos de textos e imagens catadas nesta tela, capturadas desta web, varridas de jornais, revistas, livros, sons, filtradas pelos olhos e ouvidos e escorrendo pelos dedos para serem derramadas sobre as teclas... e viverem eterna e instanta neamente num logradouro digital. Desagua douro de pensa mentos.


    quarta-feira, junho 28, 2017

    O governo continua nos trilhos


    (São Paulo - SP) 

    Marcadores: ,

    terça-feira, junho 27, 2017

    O cão com a cabeça a prêmio por cartel de drogas

     Marin e Choko



    "Outra ameaça chegou através de um garoto num ônibus: "Ele primeiro me perguntou se ele era o Choko, eu disse que sim, então ele contou que um chefe de outro cartel de drogas oferecia de 3 milhões de pesos colombianos (US$ 990) para quem o capturasse ou matasse". 

    LEIA MAIS>>

    O cão com a cabeça a prêmio por cartel de drogas - BBC Brasil

    Temer não tem condições de conduzir reformas nem “reformas”, por Janio de Freitas



    "No plano da intenção de­sumana, mesmo a mais sim­plória das medidas propos­tas representa o conjunto numeroso. É a redução do tempo vago a título de al­moço, de uma para meia ho­ra. Ninguém leva uma hora comendo. O desatino dos proponentes da redução desconhece que a hora é também para descanso, ao fim de quatro horas de tra­balho e antes de mais qua­tro. Não é preciso lembrar do trabalho operário: as quatro horas de pé dos vendedores de lojas fala de uma exaustão que centenas de deputados e senadores ja­mais sentiram. E se o expediente total não se altera, seja o das atuais oito horas ou das doze propostas, retirar meia hora de descanso não muda o tempo de atividade laboral. A redução do alegado almoço é só uma mani­festação a mais da nostalgia escravocrata.

    O projeto governamental de “reforma” da Previdên­cia, por sua vez, estava tão carregado de arbitrariedades e desprezo por seres huma­nos, no original do ministro da Fazenda, que foi estraça­lhado por cortes – sem, no entanto, tornar-se inteligen­te e com alguma sensatez."

    leia coluna de JANIO DE FREITAS 

    Temer não tem condições de conduzir reformas nem “reformas”, por Janio de Freitas | Combate Racismo Ambiental

    pela cochlea<< Carminho e Marisa Monte - Estrada do Sol (Dolores Duran)



    É de manhã, vem o sol
    Mas os pingos da chuva que ontem caiu
    Ainda estão a brilhar
    Ainda estão a dançar
    Ao vento alegre que me traz esta cançã
    Quero que você me dê a mão
    Vamos sair por aí
    Sem pensar no que foi que sonhei
    Que chorei, que sofri
    Pois a nossa manhã
    Já me fez esquecer
    Me dê a mão, vamos sair pra ver o sol

    Entreouvido no Baixo Jaburu


    CHICO CARUSO
    Rio de Janeiro


    para ver outras charges clique em
    "marcadores: charges

    Marcadores: ,

    A justiça que serve a Abdelmassih e Andrea Neves é cega para os presos “comuns”





    "A prática jurídica de encaminhar suspeitos de tráfico diretamente para a prisão provisória se tornou comum por uma interpretação da Lei de Drogas. O STF decidiu que a interpretação é inconstitucional por ir de encontro com o princípio constitucional da presunção de inocência.

    O  Brasil tem 221 mil presos provisórios, dos quais 29% são suspeitos de tráfico. Por falta de critérios que possibilitem distinguir tráfico de uso pessoal, as cadeias têm se abarrotado de réus sem antecedentes e não violentos. Isso está diretamente conectado a outro reflexo da desigualdade: a falta de condições para pagar um advogado, sobrecarregando a defensoria pública.!"

     leia reportagem de HELENA BORGES

    A justiça que serve a Abdelmassih e Andrea Neves é cega para os presos “comuns”:

    segunda-feira, junho 26, 2017

    Smartphone





    LEONARDO
    (Rio de Janeiro = RJ)

    para ver outras charges clique em marcadores:charges

    Marcadores: ,

    pela cochlea>> Elvis Presley & The Matomatics - Return To Sender




    I gave a letter to the postman,
    He put it his sack.
    Bright in early next morning,
    He brought my letter back.

    She wrote upon it:
    Return to sender, address unknown.
    No such number, no such zone.

    Por que negligenciamos um projeto para proteger a Amazônia?

     
     "Brasileiro adora bacalhau e faz piada com o fato de o peixe vindo do outro lado do oceano Atlântico, das águas geladas da distante Noruega, nunca ter sido visto com cabeça. Agora a piada somos nós.

    Onde estávamos com a cabeça quando negligenciamos um projeto - financiado pelos noruegueses - para proteger a Amazônia e os povos da floresta? Foram quase R$ 3 bilhões doados por eles a um fundo criado por nós em 2008, gerenciado pelo BNDES, para apoiar projetos de combate ao desmatamento e de desenvolvimento sustentável na Amazônia Legal."

    leia o artigo de André Trigueiro​

    Instituto Humanitas Unisinos - IHU - Por que negligenciamos um projeto para proteger a Amazônia?:

    pela cochlea>> ICEWATER (ft. Chris Bell of Big Star) "Looking Forward"

    domingo, junho 25, 2017

    10 Very Rare (and Very Expensive) Video Games | Mental Floss

     Original image


    If you’ve ever collected baseball cards, comic books, stamps, or those limited edition commemorative plates, you understand the concept of the “Holy Grail” item. It’s that last, hard-to-find, incredibly rare, usually expensive piece that you must have before you can officially say your collection is “complete.” If you’re a collector of vintage home video game cartridges (or “carts”), sometimes that can mean paying a pretty penny for the pièce de résistance.


    - See more at: http://mentalfloss.com/article/66183/10-very-rare-and-very-expensive-video-games#sthash.xXm208Uc.dpuf

    WikimediaCommons // CC BY 2.0
    WikimediaCommons // CC BY 2.0
    If you’ve ever collected baseball cards, comic books, stamps, or those limited edition commemorative plates, you understand the concept of the “Holy Grail” item. It’s that last, hard-to-find, incredibly rare, usually expensive piece that you must have before you can officially say your collection is “complete.” If you’re a collector of vintage home video game cartridges (or “carts”), sometimes that can mean paying a pretty penny for the pièce de résistance.
    - See more at: http://mentalfloss.com/article/66183/10-very-rare-and-very-expensive-video-games#sthash.xXm208Uc.dpuf

    WikimediaCommons // CC BY 2.0
    If you’ve ever collected baseball cards, comic books, stamps, or those limited edition commemorative plates, you understand the concept of the “Holy Grail” item. It’s that last, hard-to-find, incredibly rare, usually expensive piece that you must have before you can officially say your collection is “complete.” If you’re a collector of vintage home video game cartridges (or “carts”), sometimes that can mean paying a pretty penny for the pièce de résistance.
    - See more at: http://mentalfloss.com/article/66183/10-very-rare-and-very-expensive-video-games#sthash.xXm208Uc.dpuf
    10 Very Rare (and Very Expensive) Video Games | Mental Floss

    'Twin Peaks': 25 Big Questions We Have After First 7 Episodes


     https://www.thewrap.com/wp-content/uploads/2017/05/twin-peaks-revival-questions-dale-cooper-kyle-maclachlan.jpg

    "At just under 18 hours long, the "Twin Peaks" revival is the longest David Lynch movie ever, so it's only natural that we're gonna have a whole lot of questions four hours in. There are, of course, lingering questions from the original series -- but for now let's focus on the many new questions we have so far, through Part 7"
    see the gallery 

    'Twin Peaks': 25 Big Questions We Have After First 7 Episodes:

    Gafes temerosos




    (Joinville, SC)

    Marcadores: ,

    pela cochlea>> Haydn, Symphony No 78

    A cidade vivia o caos, e o prefeito fugia da chuva indo para casa?

    Artur Xexéo Foto: O Globo

    Todo mundo em pânico

    A cidade vivia o caos, e o prefeito fugia da chuva indo para casa? É assim que ele pretende ‘cuidar das pessoas’?

    Como todo mundo sabe, na última terça-feira, por volta de 20h30m, enquanto a cidade submergia diante de um temporal inesquecível, o prefeito envolveu-se num pequeno acidente de trânsito na Avenida das Américas, na Barra da Tijuca no sentido Recreio. O prefeito não se abalou. Como era um temporal dos diabos, e os diabos e o prefeito não se dão bem, o alcaide preferiu fingir que não viu nada, que não era com ele e foi em frente.

    Dizem que Crivella não está satisfeito com sua imagem. Quer mudá-la. Até encomendou a realização de novos anúncios na TV com essa intenção. Quer ficar mais parecido com João Dória, o prefeito de São Paulo, que até os adversários políticos admitem que é trabalhador. Crivella está pegando uma imagem de bon vivant, que troca qualquer compromisso por uma viagem internacional, que se cercou de uma equipe incompetente, que nunca é visto nos momentos e nas situações que a população espera.

    O prefeito poderia ter descido de seu carro, aparecer molhado diante da população — que estava encharcada naquele momento —, ajudar o dono do carro no qual bateu, mostrar, pelo menos, que estava sofrendo quase tanto quanto o resto dos moradores do Rio. Mas preferiu usufruir do privilégio de estar com uma comitiva formada por seguranças que resolveriam o problema para ele. Para quem quer mudar a imagem, foi uma bola fora. E deixou no ar uma pergunta que ainda não calou: para onde ia o prefeito àquela hora da noite? Ia para casa? A cidade vivia o caos, e o prefeito fugia da chuva indo para casa? É assim que ele pretende “cuidar das pessoas”? Não seria mais útil se ele estivesse no Centro de Operações comandando os trabalhos de sua equipe?

    Ah, a equipe de Crivella... Na quarta-feira, a gente teve um contato mais próximo com o secretário de Ordem Pública, Paulo César Amêndola. Para quem não está ligando o nome à pessoa, Amêndola é o secretário responsável pelo Centro de Operações que levou uma coça do jornalista André Trigueiro no “Bom dia Rio” daquela quarta-feira. Trigueiro chamou a atenção para o fato de a população não ter sido alertada sobre o temporal. Amêndola disse que sua prioridade era não causar pânico.

    Mal sabia ele que a população tinha passado a noite de quarta-feira em pânico atrás de botes para atravessar ruas, desviando de cobras na Rua Jardim Botânico, surpreendendo-se com o trânsito que passou a circular na contramão, presa em ônibus que não saíam do lugar, tentando evitar os bolsões d’água em volta da Lagoa Rodrigo de Freitas... Houve até quem pensasse que não poderia haver pânico maior. Mas isso só até a manhã de quarta-feira, quando Amêndola deu sua entrevista a André Trigueiro. Aí, sim, entrou todo mundo em pânico.

    O sujeito não conseguia esconder a insatisfação por estar sendo questionado por um simples repórter. Pareceu meio autoritário. Aliás, ele é do tempo em que autoritarismo era a palavra de ordem. Em 1971, ele era do Cenimar (Centro de Informações da Marinha), na época em que o órgão prendeu outro dos secretários de Crivella, Cesar Benjamim. Foi um dos criadores do Bope e da Guarda Municipal. Agora, aos 72 anos, ele assumiu a secretaria garantindo que, em um ano, vai mudar a imagem do Rio. Pelo visto, já começou. É isso que me dá pânico.
    ______
    Por falar em quarta-feira, foi nesse dia também que o prefeito, enfim, apareceu, sequinho, admitindo que diminuiu em 70% o orçamento da Secretaria de Conservação e Meio Ambiente, que as chuvas deveriam ter parado em março (chuva em junho só pode ser coisa do diabo) e dizendo-se satisfeito com a cidade que teria reagido bem ao temporal. Que cidade, cara pálida? Só se for Amsterdã.
    ______
    Agora, tudo que não funciona no Rio é justificado pelo prefeito com a desculpa de que a prioridade tem que ser saúde e educação. Da próxima vez que usar esta desculpa, o prefeito Crivella poderia acrescentar o que melhorou na saúde e na educação.

    sábado, junho 24, 2017

    Twin Peaks Revisited: Photos


    Outside the Mt. Si Motel in North Bend, Wash.


    "In making the show, David Lynch pulled together a set of locations that were primarily centered around the town of Snoqualmie; as is typical, they ended up using locations that were several hours away to establish just the right mood and feeling. This composite became the town of Twin Peaks. Based on this idea, I gave myself a 2-hour radius from Snoqualmie (the same distance Lynch utilized with his locations in the Pacific Northwest) to photograph things that left an impression on me, things that blend together the mood and atmosphere found in the show—which I realized already existed in my work."
    see the gallery by Todd Hido​

    Twin Peaks Revisited: Photos:



    A trailer in the woods in Snoqualmie.

    pela cochlea>> Radiohead: Exit Music (for a film)




    Wake from your sleep
    The drying of your tears

    Today we escape
    We escape

    sexta-feira, junho 23, 2017

    Angeli e Laerte deixam de lado 'humor escrachado' e criam revista com jovens



    " A mudança dos tempos também se reflete na linha editorial. Para Angeli, colaborador jornal, aquele humor escrachado, das gargalhadas, "já não interessa mais". "Ficou lá na década de 1980", afirma.
    Agora, diz, a busca é "mais profunda". "O que nos move é a renovação. É claro que o humor estará presente porque faz parte do nosso discurso, mas há vertentes e a ideia é não repetir o que passou." "

    leia a reportagem
    e veja as galerias



    Angeli e Laerte deixam de lado 'humor escrachado' e criam revista com jovens - 23/06/2017 - Ilustrada - Folha de S.Paulo



    Temporais castigam o Rio pelo menos uma vez por ano, desde o século XIX




    "Em um editorial publicado no dia 13 de maio de 1897, o jornal “O Paiz” protestava, com a grafia da época, contra a falta de ações do poder público para evitar as consequências de um temporal que alagara o Rio: “De quem é a responsabilidade? Ninguém poderá dizer, porque a anarchia dos serviços administrativos não deixa vaga ao exame e ao apuro de responsabilidade: a directoria de obras já nos diz em carta que nada tem com o peixe, porque o serviço de esgotos pluviais não corre a conta da Municipalidade, mas, sim, da Inspetoria de Obras Publicas, que é repartição federal. Esta, por sua vez, terá desculpas e justificativas a apresentar, e, estabelecido o jogo de empurra, triunfará a desídia tolerável nesta e em outras emergências, com que a moralidade da administração publica determinava, em outro paiz, severas e imediatas punições”.

    leia a reportagam de ANA LUCIA AZEVEDO




    Nada mudou. A Rua Jardim Botânico alagada no fim da década de 1980: uma cena que se repete em 2017 - Carlos Ivan /

    Naquele périplo internacional



    (Rio de Janeiro, RJ)

    para ver outras charges
     clique em marcadores:charges

    Marcadores: ,

    quinta-feira, junho 22, 2017

    Salah Ragab & the Cairo Jazz Band - Egypt Strut

    Entreouvido no Bolshoi





    CHICO CARUSO (Rio de Janeiro, RJ)

    Marcadores: ,

    Summer of Love 'trading cards' hit San Francisco bus stops / Boing Boing


    Haug collaborated with Ivan Uranga to produce the poster’s bold graphic style. Drawing from the vernacular of trading card, black and white photographs of each personage is set against a vibrant background, reminiscent of the era’s psychedelic rock posters. Each figure is given a title that reflects his/her role in the Summer of Love. For example, Leary appears under the title “Psychedelic Evangelist” along with his famous call from the Human Be-In, the prelude to the Summer of Love, to “Turn on, tune in, and drop out.” The use of the trading card format suggests that these diverse legacies have been commodified, gaining and losing value through the passage of time.
    The series includes other details that are the artist’s own invention. For example, a price is included on the bottom of each card, which was not standard trading card practice. She also uses the figures’ birthdates for their serial number. For instance, Allen Ginsberg is number 26, because he was born in 1926. An exception is Janis Joplin; she is no. 27, the age at which she died.



    " Haug collaborated with Ivan Uranga to produce the poster’s bold graphic style. Drawing from the vernacular of trading card, black and white photographs of each personage is set against a vibrant background, reminiscent of the era’s psychedelic rock posters. Each figure is given a title that reflects his/her role in the Summer of Love. For example, Leary appears under the title “Psychedelic Evangelist” along with his famous call from the Human Be-In, the prelude to the Summer of Love, to “Turn on, tune in, and drop out.” The use of the trading card format suggests that these diverse legacies have been commodified, gaining and losing value through the passage of time.
    ___
    The series includes other details that are the artist’s own invention. For example, a price is included on the bottom of each card, which was not standard trading card practice. She also uses the figures’ birthdates for their serial number. For instance, Allen Ginsberg is number 26, because he was born in 1926. An exception is Janis Joplin; she is no. 27, the age at which she died."


    see more>>

    Haug collaborated with Ivan Uranga to produce the poster’s bold graphic style. Drawing from the vernacular of trading card, black and white photographs of each personage is set against a vibrant background, reminiscent of the era’s psychedelic rock posters. Each figure is given a title that reflects his/her role in the Summer of Love. For example, Leary appears under the title “Psychedelic Evangelist” along with his famous call from the Human Be-In, the prelude to the Summer of Love, to “Turn on, tune in, and drop out.” The use of the trading card format suggests that these diverse legacies have been commodified, gaining and losing value through the passage of time.
    The series includes other details that are the artist’s own invention. For example, a price is included on the bottom of each card, which was not standard trading card practice. She also uses the figures’ birthdates for their serial number. For instance, Allen Ginsberg is number 26, because he was born in 1926. An exception is Janis Joplin; she is no. 27, the age at which she died.
    Haug collaborated with Ivan Uranga to produce the poster’s bold graphic style. Drawing from the vernacular of trading card, black and white photographs of each personage is set against a vibrant background, reminiscent of the era’s psychedelic rock posters. Each figure is given a title that reflects his/her role in the Summer of Love. For example, Leary appears under the title “Psychedelic Evangelist” along with his famous call from the Human Be-In, the prelude to the Summer of Love, to “Turn on, tune in, and drop out.” The use of the trading card format suggests that these diverse legacies have been commodified, gaining and losing value through the passage of time.
    The series includes other details that are the artist’s own invention. For example, a price is included on the bottom of each card, which was not standard trading card practice. She also uses the figures’ birthdates for their serial number. For instance, Allen Ginsberg is number 26, because he was born in 1926. An exception is Janis Joplin; she is no. 27, the age at which she died."
    Haug collaborated with Ivan Uranga to produce the poster’s bold graphic style. Drawing from the vernacular of trading card, black and white photographs of each personage is set against a vibrant background, reminiscent of the era’s psychedelic rock posters. Each figure is given a title that reflects his/her role in the Summer of Love. For example, Leary appears under the title “Psychedelic Evangelist” along with his famous call from the Human Be-In, the prelude to the Summer of Love, to “Turn on, tune in, and drop out.” The use of the trading card format suggests that these diverse legacies have been commodified, gaining and losing value through the passage of time.
    The series includes other details that are the artist’s own invention. For example, a price is included on the bottom of each card, which was not standard trading card practice. She also uses the figures’ birthdates for their serial number. For instance, Allen Ginsberg is number 26, because he was born in 1926. An exception is Janis Joplin; she is no. 27, the age at which she died.
    Summer of Love 'trading cards' hit San Francisco bus stops / Boing Boing:

    Maia assume a presidencia com viagem de Temer




    (Jaú, SP)

    para ver outras charges
    clique em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    pela cochlea: CARMEN MIRANDA E OS DIABOS DO CÉU – NA BATUCADA DA VIDA (ARY BARROSO)




    Cresci olhando a vida sem malícia
    Quando um cabo de polícia
    Despertou meu coração
    E como eu fui pra ele muito boa
    Me soltou na rua à toa
    Desprezada como um cão

    pela cochlea: CARMEN MIRANDA E OS DIABOS DO CÉU – NA BATUCADA DA VIDA (ARY BARROSO)




    Cresci olhando a vida sem malícia
    Quando um cabo de polícia
    Despertou meu coração
    E como eu fui pra ele muito boa
    Me soltou na rua à toa
    Desprezada como um cão

    quarta-feira, junho 21, 2017

    Uma coisa boa da crise




    (Salvador, BA)

    para ver outras charges 
    clique em marcadores:charges 

    Marcadores: ,

    Voltamos aos tempos da escravidão, quando ferro reprimia desobediência




    "Ao tatuarem a testa de um adolescente com a inscrição "eu sou ladrão e vacilão", em São Bernardo do Campo, depois da tentativa de furto de uma bicicleta, o país foi remetido para os tempos da escravidão, quando a marca de ferro quente era utilizada para reprimir a desobediência, ou, mais remoto ainda, para um sistema medieval de controle.


    Machista, inadequada e extemporânea: é o que se pode dizer da sentença que "indenizou" Fernanda Young por ataques sofridos na internet. Para fixar e reduzir o valor pecuniário da condenação, o juiz levou em conta não os parâmetros normais de aferição do dano moral, mas o fato de a vítima ter posado nua e ter, na percepção do julgador, uma "reputação elástica".


    Ao declará-la mais suscetível que outras ao desrespeito, ao assédio e à ofensa, a Justiça paulista fez reviver o superado dogma da "mulher honesta". "


    mais no artigo de LUIZ FRANCISCO CARVALHO FILHO 

    Talvez a resposta para um mundo mais diverso e conectado esteja offline



    "Não será uma outra estética nas redes que irá desconstruir o ódio, apenas. É preciso que o online não seja a única centralidade da expressão política e da vida. Para tanto, um outro ambiente de ação política se faz necessário. E, talvez, deva ter um peso offline maior do que o online. Nestes dias passados aqui em Londres para mais uma jornada de trabalho, foi possível ver que, além de uma militância em redes sociais, a campanha de Corbyn e dos outros candidatos do Partido Trabalhista foi se reinventando a partir de ações bairro a bairro, porta a porta. Muitos candidatos ao parlamento cresceram nos distritos por terem priorizado a relação comunitária. O Podemos, na Espanha, também conseguiu se projetar com uma vasta rede em bairros, com seus círculos e confluências. Malini afirma que a Europa, já tendo experimentado o gosto amargo da austeridade, começa a produzir saídas. O vínculo entre as políticas de austeridade e a cultura do ódio começa a mostrar que não é um bom caminho para a sociedade. Mas foi necessário falar das questões reais da vida, de porta em porta, para essa mudança aparecer."

    LEIA COLUNA DE MARCUS FAUSTINI 

    terça-feira, junho 20, 2017

    Trabalhista




     
    (São Paulo - SP)

    Marcadores: ,

    pela cochlea>> Edu e Bethânia - Candeias (Edu Lobo)



    Procissão de velas brancas no sentido da Bahia

    segunda-feira, junho 19, 2017

    PALAVRAS



    "Desde a gênese da nossa contestação temos que conhecer nossas forças: a palavra, o pensamento e a convicção, contra alguém que controla o Exército. É contraproducente dar a eles a resistência que esperam que demos. Isso iria legitimar sua violência. Optamos por um pacifismo extremista no qual sabemos que vamos ser agredidos, presos. Treinamo-nos para isso, não é fácil resistir ao revide. Sabemos que podemos ficar um ano tomando porrada sem reagir, mas, se houver um excerto de agressão da nossa parte, isso irá legitimar a repressão. Dar as costas é não permitir que digam que os agredimos. Que esteja na mão deles o início e o fim da violência. Eles devem nos agredir pelas costas, queremos levá-los ao limite da sua covardia."

    Luaty Beirão, rapper angolano

    Trancas




    (Vitoria, ES)
     
    para ver outras charges clique 
    em marcadores:charges

    PELA COCHLEA>> Na Asa • Luísa Maita



    Cadê o dengo renascê quise
    A tua lança tá na asa aqui não sobe a pé
    Só vir no jeito e já vem te pegar
    Da língua passa para o doce e depois e no ar

    PSDB no governo

    (Recife, PE)
     
    quer ver mais charges?
    clique em marcadores: charges 

    Marcadores: ,

    A fogueira das autoridades




    "Difícil dizer qual a imagem mais aterradora. A maciça torre residencial envolta em labaredas, com seus 24 andares de vida interior em desespero, iluminando a noite londrina de horror, gritos, sirenes e impotência. Ou a mesma estrutura, à luz do dia, eviscerada, de pé feito túmulo silencioso. Uma assombração sombria.

    Ambas também podem ser olhadas como monumento, ou ruína, da ideologia de combate a regulamentações na área de proteção social. Uma das pedras de toque dos governos neoliberais reza que normas reguladoras impedem a liberdade e prejudicam a produtividade. Na Inglaterra, um dos atrativos do Brexit foi acenar com menos normas impostas pela União Europeia, menos inspeções, mais independência para encontrar atalhos.

    Três anos atrás, o ministro da Habitação, Brandon Lewis (hoje ministro da Imigração de Theresa May), rejeitou a proposta que obrigaria construtoras a instalar sprinklers anti-incêndio em futurasn edificações. Deixou ao senhorio a opção de fazê-lo ou não, e vetou a medida como parte do plano May de combate à burocracia. “Introduzimos a regra ‘entra uma, saem duas regulamentações’, segundo a qual sempre que o governo adotar uma nova norma, vamos identificar duas existentes, e extingui-las”, explicou."


    Grenfell Tower em chamas (Foto: Natalie Oxford / https://twitter.com/Natalie_Oxford)

    LEIA A COLUNA DE DORRIT HARAZIM

    ilustração André Mello

    domingo, junho 18, 2017

    10 Best Movie Masturbation Scenes |




    Films depicting self-abuse have ranged from smart to sweet to silly. Here are a handful of popular American movies and a few foreign films that touch on the subject of touching one’s self.

    read more

    10 Best Movie Masturbation Scenes | Alternet:

    Temerolândia




    (Rio de Janeiro, RJ)
      
    para ver outras charges clique 
    em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    pela cochlea>> Black Alien, Speed Freaks & Rica Amabis - Vozes da Seca (Tributo a Luiz ...



    Seu doutô os nordestino têm muita gratidão
    Pelo auxílio dos sulista nessa seca do sertão
    Mas doutô uma esmola a um homem qui é são
    Ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão

    Diagnóstico




    (Rio de Janeiro, RJ)

    clique na charge para ve-la maior
    para ver outras charges clique em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    sábado, junho 17, 2017

    Enough with your “Twin Peaks” theories already, you’re ruining it - Salon.com


     Enough with your "Twin Peaks" theories already, you're ruining itEnl

    "Making sense of “Twin Peaks” using the same critical arsenal we’ve become accustomed to (episode recaps, conspiratorial YouTube videos, even the standard press junkets) risks spoiling the power of this. It’s an attempt to enforce the regime of consciousness, of ordering and analyzing and sense-making, onto a work of art that belongs to another category entirely. It just doesn’t work."

    read analysis by John Semley 

    Enough with your “Twin Peaks” theories already, you’re ruining it - Salon.com:

    The catastrophic consequences of being poor in one of London’s richest neighborhoods


     Flames and smoke billow as firefighters deal with the fire in the Grenfell Tower.


    "Joseph Downing, a researcher from the London School of Economics who studies urban deprivation in the UK and France, blames an institutional culture that allows social housing to be mismanaged and the concerns of tenants ignored. “These residents who started this campaign knew they were living in a death trap,” Downing says. “And they had no choice but to go back home at night and sleep there.”"

    read more.> 

    A deadly inferno at a shoddy public housing block in one of London’s richest neighborhoods is a stark reflection of housing inequality — Quartz

    Mesmo em crise, Temer decide viajar





    (Belém, PA) 
     
    para ver outras charges
     clique em marcadores:charges

    Marcadores: ,

    pela cochlea> Seasick Steve - Roy's Gang

    ´

    I wanna get on that stage
    Wanna play you my very best show

    JBS


    (Novo Hamburgo - RS) 
     
    para ver outras charges
    clique em marcadores: charges

    Marcadores: ,

    O secretario que derreteu

    Parada Gay 2017: Laerte-se (ou questione-se se for capaz)


     Tirinha de Laerte

    "O título Laerte-se, documentário que retrata o cotidiano de Laerte Coutinho, transforma em verbo o nome da cartunista mais conhecida do Brasil. Segundo uma de suas diretoras, a colunista do EL PAÍS Eliane Brum, a palavra foi ganhando esse peso ao longo do processo de filmagem. Assim, “laertar-se” é sinônimo de se questionar, de se colocar em dúvida, de pisar em um terreno em que não há certezas e que qualquer enquadramento será, sem dúvidas, precipitado."

    leia reportagem de André de Oliveira

    Parada Gay 2017: Laerte-se (ou questione-se se for capaz) | Brasil | EL PAÍS Brasil

    sexta-feira, junho 16, 2017

    Resgate Suicida


    (Belém, PA) 
     
    para ver outras charges
     clique em marcadores:charges

    Marcadores: ,

    pela cochlea: Russo Passapusso - Anjo



    Me deu vontade de calar tua boca
     Me deu vontade de rasgar tua roupa 
    Me deu vontade de, de te chamar de louca (louca)
    Mas a vontade é muita e coragem é pouca (pouca) 
    Me deu vontade de fazer mandinga, promessa pra você, mulher

    Pedido de impeachment




     SAMUCA
    (Recife, PE)
     
    clique na charge para ve-la maior
    para ver outras charges clique em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    This was a monstrous crime – there must be arrests after Grenfell Tower





    "The faces of Grenfell Tower victims are the faces of the residents of tower blocks across Britain: working-class, poor and often reliant on the state for their housing and safety. Yet for decades we have been pushing the state out and bringing the private sector in. We privatise profits for shareholders, but it is the insurance policy the state provides that lets them get away with it, always stepping in when the failures of the private sector spill over.

    Back in Dickensian Britain, a letter printed in the Times in 1849 warned that whole swaths of Londoners were “living in a wilderness, so far as the rest of London knows anything of us”. Plus ça change. Successive governments have condemned the vulnerable and the voiceless to Corbusier-inspired blocks to which few improvements have been made since they were built half a century ago. Planners, politicians and property developers have never seen London from the heights – or when it comes to living conditions, the depths – of the capital’s worst homes.

    Cutting council budgets by 40% has consequences far beyond street cleaning or libraries."


    more in the article by David Lammy​

    This was a monstrous crime – there must be arrests after Grenfell Tower | David Lammy | Opinion | The Guardian:

    Trump’s alleged mob ties




    Donald Trump’s possible links with organized crime have been under scrutiny for many years. Joy Reid and her panel detail the alleged connections. 


    WATCH THE VIDEO
    Trump’s alleged mob ties | MSNBC

    Simbiose




    (Curitiba, PR)
     
    para ver outras charges
    clique em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    pela cochlea: Kendrick Lamar & U2 - XXX


    The great American flag
    Is wrapped and dragged with explosives
    Compulsive disorder, sons and daughters
    Barricaded blocks and borders
    Look what you taught us!
    It's murder on my street, your street, back streets
    Wall Street, corporate offices
    Banks, employees, and bosses with
    Homicidal thoughts; Donald Trump's in office
    We lost Barack and promised to never doubt him again
    But is America honest, or do we bask in sin?
    Pass the gin, I mix it with American blood
    Then bash him in, you Crippin' or you married to blood?
    I'll ask again—oops—accident
    It's nasty when you set us up
    Then roll the dice, then bet us up
    You overnight the big rifles, then tell Fox to be scared of us
    Gang members or terrorists, et cetera, et cetera
    America's reflections of me, that's what a mirror does

    Listen to it here 


    I like it!

    Histórias que se encontram entre os moradores de rua




    "— Não desejo uma gravidez na rua nem para um cachorro. Sofri todo tipo de preconceito. As pessoas me chamavam de mendiga e cracuda porque hoje em dia, para a sociedade, todo mundo que dorme na calçada é viciado em crack — diz Erika, cuja família vive no Morro da Formiga, na Tijuca. — O mais difícil é voltar para casa. Bate a vergonha dos parentes e dos vizinhos.


    - Quando cheguei ao Rio, fui a Copacabana, deitei na areia da praia e pensei se conseguiria ter o que comer no dia seguinte. Eu ainda me preocupo com isso porque não nasci para roubar nem para traficar. Mas tenho um trabalho e componho minhas músicas. Um dia vou chegar lá."

    fotos ALEXANDRE CASSIANO 

    How Takeout Culture Has Changed Twin Peaks’ Relationship to CoffeeDoes the new Twin Peaks qualify for the Empty Cup Awards?


     tp

    "I created the Empty Cup Awards—first a hashtag, then a video essay on Slate—to draw attention to the fact that television is littered with actors carrying around empty cups that are supposed to contain liquid but clearly don’t. The primary offenders are takeout cups from Starbucks or similar establishments, usually added to scenes as a way of making characters seem more down to earth. Sure, Supergirl’s Kara can melt steel with her eyes, but she fumbles with a 20-oz. cup and a stack of papers just like the rest of us.

    Twin Peaks escaped the Empty Cup Awards in its original run, but takeout coffee culture has expanded dramatically in the years since. What does Twin Peaks’ relationship with coffee look like in 2017? TV critic Emma Fraser wrote in advance of its premiere that “the true test for the new Twin Peaks is if it can manage to avoid the #EmptyCupAwards” It’s hard to even imagine takeout cups in the Twin Peaks universe, where coffee is meant to be savored, not swigged. But when the revival began airing, the tweets started coming in: Empty cups had infiltrated Twin Peaks."


    more in the article by Miles McNutt

    Does the new Twin Peaks qualify for the Empty Cup Awards?

    quinta-feira, junho 15, 2017

    A reforma subiu no telhado



    CLAUDIO
    (São Paulo, SP)
     
    para ver outras charges clique em
    "marcadores: charges"

    Marcadores: ,

    pelka cochlea: Matthew Sweet & Susanna Hoffs - The Kids Are Alright (The Who)

     

    I don't mind other guys dancing with my girl
    That's fine, I know them all pretty well
    But I know sometimes I must get out in the light
    Better leave her behind with the kids, they're alright
    The kids are alright

    PSDB continua com Temer



    (Rio de Janeiro, RJ)
      
    para ver outras charges clique 
    em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    A noite, o chão e mais nada: um perfil da crescente população de rua do Rio




    "Um vento gelado corta a Avenida Marechal Câmara, no Centro, no meio da madrugada. Sentado sobre um papelão e duas cobertas, enrolado numa manta velha, Luiz Cláudio, de 45 anos, é o único acordado. Ao seu redor, o silêncio de dezenas de pessoas que se encolhem na calçada e uma imensidão de incertezas, os motivos da angústia que lhe tira o sono há sete meses. Ex-aluno de uma faculdade de História, ele já foi bancário, almoxarife e operário. No ano passado, quando o desemprego ...apertou na cidade mineira de Juiz de Fora, onde vivia com a família, decidiu jogar a sorte no Rio. Até agora, só perdeu. O dinheiro acabou; ele não conseguiu trabalho. Luiz Cláudio se juntou a uma legião de 14.279 pessoas, segundo um levantamento da prefeitura, que têm nas ruas do Rio o único pouso. Tornou-se um dos muitos rostos de uma convulsão social notada a cada esquina carioca, agravada pela crise econômica. Os caminhos dessa gente, quase sempre, são invisíveis à maioria.

    Para muitos, se você está na rua, é drogado ou ladrão. Você vira um pária, fica à margem da sociedade. Não quer dizer que seja um bandido. É um “nada” — diz Luiz Cláudio, que ainda não criou coragem de contar sua situação à filha, de 18 anos, para não deixá-la “desesperada”."


    LEIA A REPORTAGEM DE RAFAEL GALDO e THALITA PESSOA 


    FOTOS: ALEXANDRE CASSIANO


    quarta-feira, junho 14, 2017

    Reformas




    (Jaú, SP)

    para ver outras charges clique em"marcadores: charges

    Marcadores: ,

    Cachorro segue fotógrafo do Street View e faz ‘photobomb’ em todas as fotos ;-)


    cachorro-segue-fotografo-street-view3


    Google Street View, como já mostramos aqui em mais de uma ocasiao, está cheio de coisas estranhas – mas também tem sua parcela de coisas adoráveis. Entram nessa última categoria as imagens registradas por um fotógrafo a serviço do Google em Ulleung-gun, Gyeongbuk, na Coréia do Sul. Enquanto tirava as fotos, o homem foi seguido por um Golden Retriever, que portanto apareceu em literalmente todas as imagens que registram o trecho fotografado. As coordenadas do local ainda nao foram divulgadas, mas há quem já esteja pedindo por um ‘guia Golden’ para todo o resto do mundo. ;-

    Cachorro segue fotógrafo do Street View e faz ‘photobomb’ em todas as fotos ;-) - Blue Bus

    Chargista do jornal A Tarde é demitido e denuncia censura interna




    "Com a última mudança na direção do jornal, as pressões aumentaram ao ponto que tive que explicar o que era uma charge, e qual era o papel da sátira política em uma sociedade democrática e na imprensa livre. Fui indagado sobre quem me dava as pautas ao que respondi que as pautas eram os fatos, os quais pesquisava em profundidade, consultando várias fontes e colocando minha opinião na forma do jornalismo gráfico, caracterizado pela charge ou caricatura política. Fui advertido para não mexer em determinados temas e personagens, uma tarefa impossível no meio da putrefação política e ética em que se encontra o Brasil."
    mais no texto de SIMANCA


    Chargista do jornal A Tarde é demitido após desenhar Geddel Vieira Lima e denuncia censura interna: “A Tarde”


    e o blog0news continua…
    visite a lista de arquivos na coluna da esquerda
    para passear pelos posts passados


    Mas uso mesmo é o

    ESTATÍSTICAS SITEMETER