This site will look much better in a browser that supports web standards, but it is accessible to any browser or Internet device.



blog0news


  • TA TUDO MUITO ESQUISITO, DEPOIS QUE VISUAL VIROU QUESITO

  • Vislumbres

    Assinar
    Postagens [Atom]

    Powered by Blogger

    Fragmentos de textos e imagens catadas nesta tela, capturadas desta web, varridas de jornais, revistas, livros, sons, filtradas pelos olhos e ouvidos e escorrendo pelos dedos para serem derramadas sobre as teclas... e viverem eterna e instanta neamente num logradouro digital. Desagua douro de pensa mentos.


    domingo, janeiro 20, 2019

    Dorrit Harazim: Não estava tudo dominado


     


    "Fosse o episódio de menor relevância, seria o caso de perguntar o que andam fumando os advogados de Flávio Bolsonaro — junto ou em separado do cliente. O pedido de suspensão pelo STF da investigação sobre movimentações financeiras atípicas de Fabrício Queiroz, o encrencado ex-assessor do então deputado estadual e hoje senador, mais parece fruto de uma bad trip do que uma estratégia de defesa de causídicos para o filho 01 do presidente da República. Ficou escancarado que tem uma nau à deriva.

    Chama atenção no jabuti entregue a Fux, além do súbito apreço pela figura do foro privilegiado, que ainda em 2017 o hoje presidente Jair Bolsonaro tachava de “privilégio porcaria”, o pedido de “ilegalidade das provas e de todas as diligências de investigação determinadas a partir dela”. Como assim? Zerar tudo? Mas tudo o quê? A perplexidade faz voar alto a imaginação."


    mais no artigo de Dorrit Harazim​

    Dorrit Harazim: Não estava tudo dominado - Fundação Astrojildo Pereira

    Tem laranja no liquidificador


     " A revelação joga no liquidificador tudo o que os Bolsonaro já disseram sobre o escândalo. Na ausência de um mordomo, o presidente tentou jogar a culpa no motorista. Agora ficou difícil separar os saques do funcionário dos depósitos na conta de Flávio. O Planalto alega que o rolo do primeiro-filho não seria problema do governo. O discurso poderia colar se Queiroz não fosse tão próximo do presidente e não tivesse assinado um cheque de R$ 24 mil para Michelle Bolsonaro."
    meia a coluna de Bernardo Mello Franco​

    Democracia Política e novo Reformismo: Bernardo Mello Franco: Tem laranja no liquidificador

    Filho de Fux processa chargista por crítica a Bolsonaro e Netanyahu

    Bolsonaro e Netanyahu na charge de Aroeira


    "O advogado Rodrigo Fux, filho do ministro do STF Luiz Fux, pediu nesta terça a abertura de um processo criminal contra o chargista Aroeira. O motivo é uma charge crítica ao presidente Jair Bolsonaro e ao primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu."

    leia mais/

    Filho de Fux processa chargista por crítica a Bolsonaro e Netanyahu | Bernardo Mello Franco - O Globo

    YUKA



    GILMAR

    Marcadores: ,

    Minha Alma ( A Paz Que Eu Não Quero ) - O Rappa (IN MEMORIAM YUKA)

    vÀs vezes eu falo com a vida
    Às vezes é ela quem diz
    Qual a paz que eu não quero conservar
    Pra tentar ser feliz?

    sábado, janeiro 19, 2019

    Patria Armada, Brasil



    J. BOSCO

    Marcadores: ,

    Enfim, a “diferença” dos Bolsonaros a Lula e aos ex-presidentes



     

    "Já se mostrou que, ao tentar interferir em uma investigação criminal, seja lá por qual motivo for, os Bolsonaros conseguiram, em apenas 15 dias de governo, derrubar o discurso de que vieram para combater toda e qualquer corrupção e para por um fim na velha impunidade. Foi por águas abaixo também a promessa de fazer valer a lei para todos. Prejuízo esse já contabilizado.

    Mais grave, entretanto, é que, através do primogênito do clã, deram demonstração prática de uma grande diferença para com os políticos – por eles sempre criticados, ainda que com ênfase diferente – que passaram pela Presidência da República nos últimos anos. Entre eles, José Sarney, Fernando Henrique Cardoso, o próprio Michel Temer e, notadamente, aquele que elegeram como seu maior inimigo, o petista Luiz Inácio Lula da Silva. São, na visão dos bolsomitos, políticos tradicionais que o novo governo enterraria de vez.

    Todos esses quatro ex-presidentes, porém, como citou a Folha de S.Paulo na tarde de sexta feira (18/01) em Relembre as investigações envolvendo filhos de presidentes da República, viram seus filhos acusados de irregularidades sofrerem pesadas investigações. O que a Folha não realçou é que nenhum dos quatro, contudo, pelo menos publicamente, recorreu ao subterfúgio de tentar paralisar o trabalho dos investigadores. Tal como Flávio Bolsonaro fez agora."

    mais no artigo de MARCELO AULER


    Enfim, a “diferença” dos Bolsonaros a Lula e aos ex-presidentes – Marcelo Auler

    Todo Camburão Tem um Pouco de Navio Negreiro - IN MEMORIAM YUKA



    É mole de ver
    Que em qualquer dura
    O tempo passa mais lento pro negão
    Quem segurava com força a chibata
    Agora usa farda
    Engatilha a macaca
    Escolhe sempre o primeiro
    Negro pra passar na revista
    Pra passar na revista
    Todo camburão tem um pouco de navio negreiro
    Todo camburão tem um pouco de navio negreiro

    A triste despedida de Marcelo Yuka da realidade brasileira



     Marcio Nunes/Divulgação


    "É triste a partida de Marcelo Yuka neste momento da história do Brasil. Embora sempre associado ao grupo O Rappa e ao incidente que o deixou preso a uma cadeira de rodas pelo resto da vida, o compositor e baterista, que morreu nesta sexta-feira (18), reconstruiu sua vida para além deste trecho de sua biografia. Foram sete anos com a banda e 18 depois de sua saída. E uma de suas maiores frustrações era ver a ascensão do fascismo à rotina de nosso país, normalizando a violência e tirando o ódio do armário dos brasileiros.

    Yuka era um ativista da arte e sabia da importância da política nos pequenos atos do dia a dia. Pertencia a uma geração disposta a contar a história das ruas em canções que vão para os rádios, como a Nação Zumbi de Chico Science e os Racionais MC's de Mano Brown. Juntos, os três delimitaram um território musical no imaginário musical brasileiro que via o levante cultural de uma nova periferia como o começo de um rascunho de um novo país."


    leia o obit de Alexandre Matias​

    A triste despedida de Marcelo Yuka da realidade brasileira  - 19/01/2019 - UOL Entretenimento

    sexta-feira, janeiro 18, 2019

    Enquanto isso, naquele hospital em São Paulo...



    MOR

    Marcadores: ,

    Enquanto isso, naquele hospital em São Paulo....



    BRUNO AZIZ

    Marcadores: ,

    Books - Paul Weller

    What is this book
    That swells with fables
    On oceans of ages
    Of changing truths?
    What is this book?

    Honestidade relativa


    RICARDO COIMBRA

    Marcadores: ,

    Não foi delírio, foi ensaio


    O que assistimos bestificados, nessa primeira semana de janeiro, como se a virada do ano tivesse nos levado a outro país, não foi ao início de um novo governo, mas à implantação de um novo regime político, de traço teocrático-militar-fundamentalista e nitidamente ultraliberal na economia. É preciso entender sua natureza e não apostar que terá vida curta.

    É ilusão também acreditar que os absurdos da semana inaugural foram apenas expressões de regozijo e júbilo, temperados pelo revanchismo, na chegada ao poder. O presidente Bolsonaro tomou posse e prosseguiu brandindo a retórica de guerra ao “inimigo interno”, especialmente PT, esquerda, jornalistas e veículos de comunicação (exceto as duas TVs amigas). Ao contrário do que alguns esperam, ele não vai descer do palanque nem abrandar o discurso, pois isso é próprio da natureza do regime e faz parte de sua estratégia. 

    Engolimos com naturalidade a proclamação de inverdades, como a de que ele veio libertar o país do socialismo que nunca passou por aqui, ou a de que foi esfaqueado por “inimigos da pátria”, apesar da conclusão da PF, de que foi obra solitária de um desequilibrado. E tome tuitadas contra ONGs, índios e destruidores da família e dos bons costumes, com ministros da tropa ideológica fazendo coro. Quando se aventurou a falar sobre ações de governo, Bolsonaro explicitou seu despreparo, trombando com a própria equipe: confirmou um falso aumento de imposto, falou em idades mínimas de aposentadoria que desacreditam a reforma pretendida e questionou a fusão Embraer-Boeing, que os privatistas de Paulo Guedes aplaudem. 

    A semana inaugural não foi um happening de chegada, foi ensaio do que virá. A cruzada contra a esquerda, a imprensa, a ideologia de gênero, o marxismo cultural, a doutrinação e erotização das crianças, entre outras assombrações, vai continuar, enquanto as alas operacionais do governo (militares, Guedes e Moro) fazem seu trabalho. É preciso fidelizar os 39,2% de eleitores que elegeram Bolsonaro (em votos válidos), e danem-se os outros 60,8% que não votaram nele, votando em branco, nulo ou não comparecendo.

    As abobrinhas ideológicas entretem, deixando em segundo plano o desmonte de tudo o que significou avanços sociais e civilizatórios. E não estou falando de governos petistas, mas do pacto firmado na Constituição de 1988. Rompido para que o PT fosse tirado do governo, levou à eleição de Bolsonaro. Por tudo isso, ele não vai descer do palanque.

    SILVIO CALDAS - Á Deusa da Minha Rua

    Ela é tão rica e eu tão pobre
    Eu sou plebeu
    Ela é nobre
    Não vale a pena sonhar

    quinta-feira, janeiro 17, 2019

    O melhor da Marcha da História 2018


    "Empenhado em registrar os grandes momentos da história humana e também brasileira, o departamento de documentação da REPÚBLICA DOS BANANAS publicou 8.347 fotos em 2018 com 8.257 legendas. No entanto, segundo a margem de erro, podem ter sido 10.345 fotos com 3. 219 legendas. Não importa. O que importa é que selecionamos o melhor da MARCHA DA HISTÓRIA em 2018 para seu prazer e divertimento. Som na caixa, Caçulinha."




    O melhor da Marcha da História 2018 - Republica dos Bananas O melhor da Marcha da História em 2018

    Mamata



    JOTA CAMELO

    Marcadores: ,

    Weezer - California Kids

    When you wake up
    Cobwebs on your eyelids
    Stuck in rigor mortis
    Woah-woah
    Just get going
    'Til you hit the ocean
    And you turn Californian
    Woah-woah
    You don't have to have the answers
    Don't you worry
    Don't you worry

    Flávio Bolsonaro esconde algo ou é o político mais mal assessorado do mundo - 20/01/2017 - UOL Notícias


     


    "Politicamente, a jogada pode dar certo. Contudo, do ponto de vista do desgaste de sua imagem, vai deixar marcas.

    Pois, diante de tudo isso, pode-se dizer que Flávio Bolsonaro tem algo que não quer que venha à público ou é o político mais mal assessorado do mundo. E não digo assessoria em termos queirozianos, mas para política e comunicação. Pois esse tipo de ação é desastrosa para a imagem do parlamentar e apenas fortalece o discurso da oposição ao governo de seu pai que afirma ser Fabrício Queiroz um laranja da família Bolsonaro e o objetivo de sucessivos adiamentos (e desta decisão liminar do STF) é garantir a posse do senador sem constrangimentos. Pois, uma vez empossado, mesmo com a questão do foro, ele se torna um membro do Senado, que protege os seus. Ainda mais o filho de um presidente da República."


    mais na coluna de LEONARDO SAKAMOTO

    Politicamente, a jogada pode dar certo. Contudo, do ponto de vista do desgaste de sua imagem, vai deixar marcas. Pois, diante de tudo isso, pode-se dizer que Flávio Bolsonaro tem algo que não quer que venha à público ou é o político mais mal assessorado do mundo. E não digo assessoria em termos queirozianos, mas para política e comunicação. Pois esse tipo de ação é desastrosa para a imagem do parlamentar e apenas fortalece o discurso da oposição ao governo de seu pai que afirma ser Fabrício Queiroz um laranja da família Bolsonaro e o objetivo de sucessivos adiamentos (e desta decisão liminar do STF) é garantir a posse do senador sem constrangimentos. Pois, uma vez empossado, mes... - Veja mais em https://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/?cmpid=copiaecola"


    Flávio Bolsonaro esconde algo ou é o político mais mal assessorado do mundo - 20/01/2017 - UOL Notícias

    Guinga - "Lendas Brasileiras" (Chico Buarque)



    Dizem lendas que um labro marador
    Viu num luzeiral a Saruí
    Tendo ao lado dela
    Um Par da França
    Com a lança e o elmo em fogo de Santelmo
    Vendo o marador a meiga Saruí
    Transtornou-se em flor de cambuci
    Tingida de aniz marijuana
    Que azimbra as Malvinas das iguanas...
    Ah, o arco-íris virou quebra-luz
    Tuma ardilou-se em penas de avestruz
    E a minha avó batia pão-de-ló
    No sino da igreja do Jarí
    Ao ver casar Nhá-Piná e Raoni

    Liquidificador



    RUCKE 

    Marcadores: ,

    quarta-feira, janeiro 16, 2019

    Yer Blues - John Lennon & Plastic Ono Band - Toronto 1969

    and if i aint dead already
    girl you know the reason why

    Pátria Armada, Brasil



    LEONARDO

    Marcadores: ,

    Baratária



    Voce acha ofensiva a realização de uma performance com mulheres nuas e baratas de plástico.
    Ok. Mas ofensivo mesmo é ter acontecido no Brasil cenas como as que dão origem à performance.

    Ou, como dizia um cartaz presente na manifestação em frente à Casa França-Brasil
    “É proibido proibir trabalho sobre tortura, mas, não é proibido proibir a prática da tortura”


    ""Abre as pernas dela aí”. Parrudo, mesmo com uma de suas enormes mãos engessada, segurou seus dois joelhos e forçou para trás. Nua como estava, a posição deixava seu sexo exposto. Não era a primeira vez que seria violada — uma vez que os prendedores jacaré da máquina de choque foram apertados em seus lábios vaginais — mas Lenita agora tentara fechar desesperadamente as pernas. Quando Cazarré abriu a tampa da caixa, suas pupilas dilataram e ela voltou a ter seis anos de idade. A caixa estava cheia de baratas. Rindo, ele pegou uma, dessas grandes, de esgoto, e colocou na entrada de sua vagina. “E agora, você vai dizer quem eram os outros componentes da sua célula terrorista ou não?” Lenita achou o grito que calara no fundo da cova. Com o polegar, o demônio empurrou a barata para dentro dela. A estrutura áspera do inseto e o seu desespero em fugir a arranhava por dentro. Ela gritava, e gritava, e se debatia inutilmente com os braços amarrados, fazendo a corda de sisal cortar a pele de seus pulsos. Na sua cegueira seletiva, ela via apenas o escudo do Flamengo do braço de Cazarré e seu sorriso."

    A Board Game Based on 'Fear and Loathing in Las Vegas' by Hunter S. Thompson


     Fear and Loathing Board Game

    A Board Game Based on 'Fear and Loathing in Las Vegas' by Hunter S. Thompson

    terça-feira, janeiro 15, 2019

    Kraftwerk - Das Model

    Ceará



    DALCIO MACHADO

    Marcadores: ,

    Se vira!




    GILMAR

    Marcadores: ,

    Pesca de mentira


     Foto tomada por agente ambiental durante autuação de Jair Bolsonaro por pescar dentro da Estação Ecológica de Tamoios, região de Angra dos Reis (RJ)

    "A recente anulação da multa aplicada em 2012 a Jair Bolsonaro, por pesca ilegal em lugar ilegal, é mais interessante do que a sua notícia sugere.

    A multa foi de R$ 10 mil. O deputado recusou-se a mostrar documentos. A partir daí, o Ibama desenrolou um colar de inoperâncias muito ilustrativo da defesa ambiental que os governos brasileiros proclamam ao mundo com orgulho. "


    mais na coluna de Janio de Freitas​

    Pesca de mentira: Uma burla foi a solução dada por Bolsonaro para flagrante do Ibama

    The Style Council - My Ever Changing Moods

    I wish we'd come to our senses and see there is no truth
    In those who promote the confusion for this ever changing mood

    It´s Only Words (and images)


    BARBARA EHRENREICH 

    (ilust Mark Barr)


    segunda-feira, janeiro 14, 2019

    és um maluco



    GILMAR

    Marcadores: ,

    "Pepsi usa células de fetos abortados como adoçante", diz Olavo de Carvalho, guru de Bolsonaro



    VÍDEO: "Pepsi usa células de fetos abortados como adoçante", diz Olavo de Carvalho, guru de Bolsonaro

    Dimenstein: tenho que admitir que Jair Bolsonaro me surpreendeu





    leia o artigo de GILBERTO DIMENSTEIN 
    Dimenstein: tenho que admitir que Jair Bolsonaro me surpreendeu

    domingo, janeiro 13, 2019

    Lilliput


    TACHO

    Marcadores: ,

    Vintage Illustrations for Tolkien’s The Hobbit from Around the World




    "Writing about the allure of fantasy, J.R.R. Tolkien famously asserted that there is no such thing as writing “for children” — that’s perhaps why his stories continue to enchant generations and attract admirers of all ages. Tolkien’s first major work, The Hobbit(public library) — which predates his epic novel The Lord of the Rings by nearly 20 years — was published in 1937 and in the years since has drawn remarkable international acclaim. Because the story is driven by visual whimsy, it has also produced a number of vibrant illustrated editions from all around the world, beginning with Tolkien’s own artwork for the original edition, which I wrote about some years ago. Here are a few favorites."

    read the article and see the gallery by MARIA POPOVA 

    Vintage Illustrations for Tolkien’s The Hobbit from Around the World – Brain Pickings


    Primal Scream - I'm Comin' Down

    I've been drifting
    I've been strung out, I've been burned
    I've been lonely to the point of no return
    I drank myself to sleep last night
    I see the the world through bloodshot eyes

    'Nunca achei que 'Sopranos' criaria uma nova linhagem', diz David Chase





    Houve algum momento, no começo, em que você teve uma pista do que viria no futuro?
    Acho que “College” ( “Faculdade” ), quinto episódio da primeira temporada, me trouxe uma espécie de revelação. Quando Tony levou sua filha para conhecer faculdades ( e, no caminho, matou barbaramente um antigo mafioso que tinha mudado de lado ). Alguns dos melhores episódios foram aqueles em que ele (ou alguém) estava fora de seu habitat. Como “Pine Barrows”. Eram como pequenos filmes, o que eu sempre quis fazer. Um filminho por semana. Nunca quis fazer histórias contínuas.

    LEIA ENTREVISTA DE DAVID CHASE PARA JEREMY EGNER

    sábado, janeiro 12, 2019

    Incapacidade técnica



    ALVES

    Marcadores: ,

    Michael Jackson and Eric Clapton - “Billie Cocaine”



    MONTANARO

    Marcadores: ,

    Num acidente de trânsito, se tiver de escolher, quem você prefere que morra? - Jornal O Sul






    "Afinal, se um dia as ruas das cidades ficarem cheias de veículos sem motoristas humanos, as máquinas é que terão de fazer escolhas quando houver risco sério de acidente – como decidir sacrificar a vida do motorista para salvar um grupo de crianças em idade pré-escolar que estão atravessando a rua, por exemplo.

    Por outro lado, os dilemas propostos pela Máquina Moral (que pode ser acessada, inclusive em português, no endereço moralmachine.mit.edu) abrem uma janela indiscreta para as percepções de gente do planeta todo sobre o valor dos diferentes tipos de vida humana (e animal; bichos de estimação também são incluídos nos cenários virtuais).

    Isso significa que os 40 milhões de respostas computadas até agora podem ajudar a investigar as diferenças e semelhanças entre as noções de moralidade de gente no Brasil, no Cazaquistão ou na Islândia. Trata-se de um tema muito importante para a psicologia social: até que ponto existe um conjunto universal de ideias sobre o certo e o errado?"

    leia mais::

    Num acidente de trânsito, se tiver de escolher, quem você prefere que morra? - Jornal O Sul

    Jair Bolsonaro: O homem mediano assume o poder | Opinião | EL PAÍS Brasil



     Jair Bolsonaro

     ""O novo presidente representa, principalmente, o brasileiro que nos últimos anos sentiu que perdeu privilégios. Nem sempre os privilégios são bem entendidos. Não se trata apenas de poder de compra, o que é determinante numa eleição, mas daquilo que dá chão a uma experiência de existir, aquilo com que faz com que aquele que caminha se sinta em terra mais ou menos firme, conheça as placas de sinalização e entenda como se mover para chegar onde precisa.

    Vária irrupções perturbaram esse sentimento de caminhar em território conhecido, em especial para o homem branco e heterossexual. As mulheres disseram a eles com uma ênfase inédita que não seria mais possível fazer gracinhas nas ruas nem assediá-las nos trabalho ou em qualquer lugar. A violência sexual foi exposta e reprimida. A violência doméstica, quase tão comum quanto o feijão com arroz (“um tapinha não dói”) foi confrontada pela Lei Maria da Penha. Afirmar que uma “mulher era mal comida” se tornou comentário inaceitável de um neandertal.

    Na mesma direção, os LGBTI se fizeram mais visíveis na exigência dos seus direitos, entre eles o de existir, e passaram a denunciar a homofobia e a transfobia. Figuras públicas como Laerte Coutinho anunciaram-se como mulher sem fazer cirurgia para tirar o pênis. O que há entre as pernas já não define ninguém. E a posição de homem heterossexual no topo da hierarquia nunca foi tão questionada como nos últimos anos.

    Tanto que, como reação, surgiram proposições como criar o “Dia do Orgulho Heterossexual” ou o “Dia do Homem” e até o “Dia do Branco”. Não faz sentido criar datas para quem tem todos os privilégios, mas as propostas apontam como mesmo a perda destes privilégios em particular parece balançar o mundo de quem sempre teve a coleção completa de vantagens como direito inalienável.

    Em discurso, Bolsonaro prometeu “libertar” o Brasil do “politicamente correto”

    O que a maioria dos homens entendia como direito – falar o que bem entendesse, especialmente para uma mulher – já não era possível. “Não dá para falar mais nada” se tornou uma frase clássica na boca destes homens. As já tradicionais piadas de “viado”, um tema clássico de fortalecimento da identidade de macho, tornaram-se inaceitáveis. O “politicamente correto”, que Bolsonaro e seus seguidores tanto atacaram nesta eleição, foi interpretado como agressão direta a privilégios que eram considerados direitos.

    Para um homem pobre, seja ele branco ou negro, tripudiar sobre gays e/ou mulheres na vida cotidiana pode ser a única prova de “superioridade” enquanto enfrenta o massacre diário de uma jornada extenuante e mal paga. Bolsonaro compreendeu isso muito bem. Em seu discurso para a população aglomerada na Praça dos Três Poderes, nesta terça-feira, o presidente recém-empossado colocou o combate ao “politicamente correto” como uma das prioridades do seu governo. Não a assombrosa desigualdade social, que até mesmo presidentes conservadores achavam de bom tom citar, mas a necessidade de “libertar” a nação do jugo do “politicamente correto”.


    mais no artigo de Eliane Brum​


    Jair Bolsonaro: O homem mediano assume o poder | Opinião | EL PAÍS Brasil

    Na aldeia - Silvio Caldas

    Quero te ver bem faceira na porta da capelinha
    Escrevendo o nosso nome com a ponta da sombrinha
    Quero que a vida nos seja de venturas sempre cheia
    Com teu vestido de renda arrastando-se na areia

    Lei da Gravidade


    TACHO

    Marcadores: ,

    Reforma da previdência



    THIAGO LUCAS

    Marcadores: ,

    Celestial



    J
    JANIO DE FREITAS

    Bolsonaro volta atrás e mamata não vai mais acabar





    "O governo já está sendo chamado de rifa: aquela famosa “ação entre amigos”.

    leia mais>> 

    Bolsonaro volta atrás e mamata não vai mais acabar

    Ratos



    GILMAR

    Marcadores: ,

    Assassinato de PM no RN põe em alerta militantes do grupo Policiais Antifascismo


     


    " "Ele foi morto na sua condição de vulnerabilidade. Por ser um militante social e ser altamente crítico da corporação, ele desagradava setores que não estavam interessados que o seu discurso se propagasse", afirma Alves.

    Organizado de forma horizontal por meio de redes sociais na internet, o grupo Policiais Antifascismo foi fundado em setembro de 2017 em um encontro no Rio de Janeiro. Não tem líderes nem hierarquia, mas possui uma pauta bem definida.

    O grupo é a favor da desmilitarização das forças policiais, de uma carreira unificada na polícia -sem separação entre as carreiras de oficiais e praças- e do fim da separação entre policiais que atuam na prevenção e os que operam na repressão.

    Também entraram na pauta do grupo temas como o respeito aos direitos humanos e a descriminalização das drogas com controle da produção e do comércio pelo Estado"

    leia a reportagem de João Pedro Pitombo

    Assassinato de PM no RN põe em alerta militantes do grupo Policiais Antifascismo - Bem Paraná

    Vítima de Danilo Gentili, enfermeira revela que quis se matar


     

    "Michele ficou conhecida nacionalmente por que doou centenas litros – cerca de 400 – de leite materno. Danilo chamou-a de de “vaca” e a comparou com o ator pornográfico Kid Bengala.
    “O trauma que senti foi tão forte que meu leite secou. Passei a ter dores insuportáveis de cabeça”.
    Michele preferiu manter o silêncio com medo dos ataques dos seguidores de Danilo Gentili.
    Quando uma juíza determinou que Gentili pagasse R$ 200 mil, ela se viu atacada de todos os lados com mensagens ofensivas."


    leia mais >> 

    Vítima de Danilo Gentili, enfermeira revela que quis se matar

    Aracy de Almeida - Ganha-se pouco mas é divertido (Wilson Batista - Cyro de Souza)

    Ele trabalha de segunda a sábado
    Com muito gosto sem reclamar
    Mas no domingo ele tira o macacão
    E embandeira o barracão, põe a família pra sambar

    sexta-feira, janeiro 11, 2019

    Damarices



    NANI

    Marcadores: ,

    He’s been president a week – and already Bolsonaro is damaging Brazil





    "The world needs to understand what Brazil has become, before it’s too late. Jair Messias Bolsonaro’s Brazil is not just another country that elected a far-right president at a time when the world’s most powerful nation is led by Donald Trump. It’s not just South America’s version of the current trend of countries sliding into authoritarianism, like we’ve seen in Hungary, Poland, Turkey and the Philippines. It’s not simply a peripheral nation with a pathetic leader. Brazil has become the apocalyptic vanguard that signals how radical this moment is – one with the power to worsen the climate crisis at top speed and blight the entire planet."

    read article y Eliane Brum​

    He’s been president a week – and already Bolsonaro is damaging Brazil | Eliane Brum | Opinion | The Guardian

    E o Queiroz ?



    PELICANO

    Marcadores: ,

    Livros, labirintos


     



    "O escritor argentino Jorge Luis Borges bem sabia que livros  e labirintos têm muita coisa em comum além da possibilidade, eventual, de os primeiros forrarem os corredores dos segundos em uma abadia num país longínquo – se não inventado mesmo, com requintes de verossimilhança. Nos 30 livros aqui selecionados, fazendo um recorte possível da produção editorial brasileira em 2018, os caminhos se bifurcam em progressão geométrica: da poesia aos quadrinhos, do ensaio ao teatro, da biografia à literatura de ficção, essa é uma antologia que abre passagens para estreias literárias, edições póstumas, reedições atualizadas com afinco. E também para as histórias das vidas de quem os escreveu e dos próprios livros, com narrativas e tempos que se sobrepõem e se colam aos signos que percorrem cada página. No todo, atendem àquela ideia do contemporâneo como um tempo “saturado de agoras”, na expressão de Walter Benjamin, em que passado e presente se articulam na busca por uma resposta contra as trevas. Entre portas espelhadas, alçapões e passagens estreitas, tateamos entre violências e solidões, esperanças ou puro deleite. É dessa maneira que, acumulando a maior das riquezas pelo caminho, não perdemos de vista a saída que tanto ansiamos."

    veja a seleção de Almir de Freitas​

    Livros, labirintos

    Equipe sintonizada



    ALVES

    Marcadores: ,

    Celso Rocha de Barros*: A Previdência não veste azul




    "Os políticos do bolsonarismo sabem que seus eleitores não votaram no programa do Guedes. O mercado pode ter tido conversas entusiasmantes com o novo ministro, mas o grande público não teve esse privilégio.

    E, quando os cortes começarem, não vai ter WhatsApp que resolva."

    LEIA COLUNA DE CELSO ROCHA DE BARROS

    Democracia Política e novo Reformismo: Celso Rocha de Barros*: A Previdência não veste azul

    Novo governo se enrola com o conflito dos impostos



    0


    "Economistas de Jair Bolsonaro dizem com frequência que impostos sobre empresas vão baixar. Logo, a arrecadação vai diminuir. Então, alguém vai ficar com esta conta: vai pagar mais imposto. 
    Por quê? O governo não pode tomar ainda mais empréstimos para cobrir suas despesas. Mesmo se cortar muito gasto, faltará dinheiro por anos: ainda haverá déficit e dívida crescente, um motivo principal desta meia década de crise.
    Quem vai ficar com o mico? 
    Pode ser a classe média remediada ou ricos. Mas não sabemos. Parece que o governo também não. O próprio presidente não sabe o que seus assessores sabem e vice-versa, mesmo quando se trata de decisões que já teriam sido firmadas. Ou não.""

    Tumbling Dice ~ The Rolling Stones : IN MEMORIAM CLYDIE KING

    quinta-feira, janeiro 10, 2019

    Led Zeppelin / The Beatles "Whole Lotta Helter Skelter" Soundhog Mix

    Mourinho


    THIAGO LUCAS 

    Marcadores: ,

    Village Voice film poll 2018–19: What movies would have won.


     


    "Of the many reasons to mourn the Village Voice’s abrupt shuttering in 2018, its annual film poll, which the paper had conducted since 1999, isn’t the most urgent. (The paper’s local reporting on New York City had more impact, and its Pazz & Jop poll—which a skeleton crew of staffers is continuing this year—was a longer-running cultural survey.) However, the film poll was a fun and useful snapshot of the year in cinema from a healthy roster of film critics, and it’s one feature that a grieving fan desperately trying to duck family members over the holidays could theoretically replicate. Using the roster of critics from last year’s poll, and the Voice’s stated tabulation rules, I created an approximation of what the 2018 results might have looked like for Best Film. It’s almost certainly not “accurate”—for one thing, I heard from or found published Top 10 lists for only 85 of the 112 folks who participated last time—but it should at least be in the ballpark. If it isn’t, there’s no one left to complain!"

    Village Voice film poll 2018–19: What movies would have won.

    Bolsonaro no Palácio do Alvorada



    JOTA CAMELO

    Marcadores: ,

    Milton Nascimento - Um Girassol da Cor do Seu Cabelo (Com Letra na Descr...

    Se eu morrer não chore não
    É só a lua
    É seu vestido cor de maravilha nua
    Ainda moro nesta mesma rua
    Como vai você?
    Você vem?
    Ou será que é tarde demais?

    Azul, rosa e a criação permanente de crises




    "Que objetivo a titular da pasta da Mulher, Família e Direitos Humanos tinha com a sentença, proferida quase em êxtase, além de comemorar vitória?
    O dilema das cores nada tem de secundário na luta ideológica desatada pelo governo Bollsonaro.
    É inútil repetir que enquanto se discutem roupas de meninos e de meninas, Paulo Guedes vai fazendo barbaridades. Trata-se de uma única batalha.
    A AÇÃO CENTRAL da nova gestão é a disputa ideológica, ou "guerras culturais", como querem os mais modernos. Em português claro, uma disputa de hegemonia. Isso se dá criando-se uma mistificação - falsa consciência - na agenda nacional, o que envolve a escolha de inimigos a todo momento e o apelo a conceitos totalizantes, como "nação", "pátria", "amor" etc. Aqui estariam todos os brasileiros "de bem".
    Quem estiver contra o governo, logo será acusado de inimigo da pátria, assim como a facada no candidato-presidente foi denunciada por ele como obra dos "inimigos da pátria", em discurso no púlpito do Palácio.
    A criação de uma mitologia sobre o grande mal que paira sobre todos nós - o socialismo, a esquerda, a ideologia de gênero, o bolivarianismo, o politicamente correto e outros - é central na produção de ações oficiais nos próximos meses: tensão e turbulência."

    quarta-feira, janeiro 09, 2019

    Courtney Barnett - Elevator Operator



    Feeling sick at the sight of his computer
    He dodges his way through the Swanston commuters
    Rips off his tie, hands it to a homeless man
    Sleeping in the corner of a metro bus stand and he screams
    "I'm not going to work today
    Going to count the minutes that the trains run late
    Sit on the grass building pyramids out of Coke cans"

    Filhos



    PELICANO 


    Marcadores: ,

    Escolhido por Bolsonaro, novo chefe da Marinha diz que Brasil participou de três guerras mundias | Revista Fórum




    Escolhido por Bolsonaro, novo chefe da Marinha diz que Brasil participou de três guerras mundias | Revista Fórum


    e o blog0news continua…
    visite a lista de arquivos na coluna da esquerda
    para passear pelos posts passados


    Mas uso mesmo é o

    ESTATÍSTICAS SITEMETER